Primeira relação aos 22

Economia alemã recua pela primeira vez desde 2015. ... (22/11) O mês de novembro em imagens ... Morreu aos 95 anos, Stan Lee, lenda dos quadrinhos e pai dos mais importantes personagens da ... Chegou o momento tão esperado para alguns jovens e tão rodeado de dúvidas para outros… A decisão sobre a primeira relação sexual!. Segundo a Organização Mundial da Saúde, 22% dos adolescentes fazem sexo pela primeira vez aos 15 anos de idade. Nas pesquisas realizadas a cada semestre com os jovens da Unibes, a primeira relação sexual da maioria aconteceu aos 14/15 anos. 1 CORÍNTIOS Tema A primeira epístola aos Coríntios foi escrita com o propósito de corrigir desordens que haviam surgido na Igreja de Corinto e para estabelecer aos fiéis um modelo de conduta cristã. Assim sendo, podemos determinar o seu tema da seguinte maneira: a conduta cristã na igreja, no lar e no mundo (M. Pearlman).… 'A minha primeira relação homossexual foi aos 18 anos, uma relação de um ano às escondidas. Ninguém sabia', contou ainda. Seguiram-se outras relações, mas apenas aos 24 anos esta se sentiu preparada para assumir aos pais que é homossexual. Diz-se orgulhosa do filho, fala da relação que mantêm com ele. msn entretenimento. fornecido por Microsoft News. ... Joana Amaral Dias foi mãe pela primeira vez aos 22 anos TVI. 22:43 - 07/02/20 por Catarina Carvalho Ferreira . ... 'A minha primeira relação homossexual foi aos 18 anos, uma relação de um ano às escondidas. Ninguém sabia', contou ainda. Secretaria da Primeira Instância COMUNICADO CG Nº 2231/2018 (CPA Nº 2018/182612 – SPI) A Corregedoria Geral da Justiça COMUNICA para conhecimento geral que foi detectada falha na emissão das Certidões de Distribuição Cíveis em nome de Pessoa Jurídica, internet e presencial, A atriz de 'A Lagoa Azul' teve a primeira relação sexual aos 22 anos com Dean Cain, que interpretou o Super-Homem do seriado 'Lois e Clark: As Novas Aventuras do Superman'. Ela chegou a declarar que por ser católica, sentiu-se culpada e saiu correndo assim que chegaram ao fim do ato. Gente, olhem, BEYONCÉ teve a primeira relação sexual dela com o marido jay-z aos 21 anos, então, eu me senti bem, pq eu sou fã dela, me inspiro nela, e vou completar 21 anos e ainda sou virgem, quando eu fiz 20 eu fiquei desesperada, queria conhecer qualquer cara só pra ir pra cama e me livrar da situação de sempre : minhas amigas de 15 ... Clique aqui 👆 para ter uma resposta para sua pergunta ️ 1)em relação aos participantes desse debate e as regras adotadas responda: letra A )quem de atua como m…

Ricardo Mangas: «Vejo de novo o 'Boavistão'»

2020.10.17 13:09 egalves Ricardo Mangas: «Vejo de novo o 'Boavistão'»

https://www.record.pt/entrevistas/detalhe/ricardo-mangas-vejo-de-novo-o-boavistao?
15 outubro 2020 - 03:44
Aos 22 anos, o defesa-esquerdo aposta forte na nova aventura no Bessa e sente que chegou a um clube de outra dimensão, antevendo um futuro bem risonho para os axadrezados “se o crescimento for sustentado”
RECORD - Sendo este o ano zero de um projeto que parece bastante ambicioso, onde é que vê o Boavista daqui a três/quatro anos?
RICARDO MANGAS – Se as pessoas que estão à frente do projeto continuarem a ser as mesmas e se o crescimento for sustentado como tem sido nestes primeiros meses em que aqui estou, vejo o Boavista a tornar-se de novo o ‘Boavistão’.
RM – Se o crescimento for sustentado acredito que sim.
RM – Esta oportunidade surgiu através dos meus empresários, que me comunicaram que havia a forte hipótese de ingressar no Boavista e desde que surgiu essa possibilidade não pensei em mais nada e foi a primeira opção.
RM – Sou jogador do Boavista.
RM – Estão a correr muito bem. A adaptação tem sido muito boa. As coisas individualmente estão a correr muito bem e as pessoas são espetaculares, é tudo pessoal credível e isso tornou a adaptação ainda mais fácil.
RM – Claro que sim e até superou as minhas expectativas. A exigência é outra, em relação ao que estava habituado e isso faz com que se dê até mais pelo clube.
RM – Nos dois jogos em que empatamos fora fomos superiores, claro que as coisas correram mal contra o FC Porto, mas estamos é já focados no próximo jogo, que é sempre o mais importante.
RM – Sinceramente não há nada para retificar. Tudo isto é normal e faz parte do crescimento de uma equipa. Neste momento, estamos a criar um desenvolvimento sustentável.
RM – O nosso objetivo é ir jogo a jogo, como tem sido até agora. Entrar sempre confiantes nos jogos, tentando impor as nossas ideias em campo e como é óbvio tentar ganhar todos os jogos.
RM – Tenho os meus objetivos pessoais, mas prefiro deixar para mim, porque são ambições apenas minhas mesmo. Tento-me focar ao máximo nisso, mas também na equipa para ajudar a conseguir os objetivos coletivos.
RM – Foi um sentimento muito especial, por ser o primeiro jogo com a camisola do Boavista e consegui que ele ficasse marcado.
RM - Sim, há dois clubes antes disso. Comecei a jogar nos Nazarenos, com 8 anos, depois estive um ano sem jogar e voltei com 10 anos a jogar no Marítimo de Olhão.
RM - Sonhava com isto, com este momento. Sonhava chegar a um nível mais alto do futebol mundial. Sei que ainda estou longe disso, mas estou mais perto do que estava há uns meses.
RM - Gosto mais de atacar. Defino-me como um lateral muito ofensivo.
RM - No início estava na dúvida entre central e lateral-esquerdo, mas quando cheguei aos sub-15, no Benfica, fixei-me como lateral e a partir daí foi sempre.
RM - Sim, posso dizer que sou um pouco versátil nesse aspeto e isso pode beneficiar e muito a minha carreira. É importante os treinadores terem jogadores em quem possam confiar não só numa posição, até porque durante um jogo isso pode ser ajustável e pode ajudar a equipa.
RM –Já não vou à Seleção há muito tempo, desde os sub-17, creio. Não penso nisso.
RM – Claro que sim. É o clube que me formou e estou grato pelos momentos que lá passei.
RM – Era júnior de primeiro ano e o míster falou comigo e disse-me que não ia ser muito utilizado. Quis rodar noutro clube, porque acho que um jogador cresce em competição e estava a necessitar disso.
RM – Sou jogador do Boavista.
RM – O meu foco é aqui. No Boavista e no presente.
RM – Vejo como mais um jogo. Vale três pontos como todos os outros. Vamos tentar implementar as nossas ideias e com a certeza de que vamos lutar até ao fim para ficarmos com os três pontos.
RM – Por todos os reforços que foram contratados pelas várias equipas, a Liga tem tudo para ser ainda mais competitiva.
RM – Vejo-me com a camisola da Seleção Nacional.
Por António Mendes
submitted by egalves to BoavistaFC [link] [comments]


2020.10.15 17:23 Dynamic_Viscosity [OC] Análise das maiores fugas de rebaixamento na era dos pontos corridos.

[OC] Análise das maiores fugas de rebaixamento na era dos pontos corridos.
Bom, há alguns dias fiz um post sobre as maiores desvantagens revertidas pelos campeões brasileiros desde 2006 e, como já estava com os dados organizados, resolvi fazer uma análise análoga para as maiores escapadas de rebaixamento na era dos pontos corridos (desde 2003).
Os critérios usados são bem semelhantes ao do outro post, com alguns ajustes que comentarei mais adiante. Não estamos olhando para aproveitamento ou pontuação absoluta. O que nós estamos interessados aqui é descobrir, dentre os times que escaparam do rebaixamento, quem tinha cavado o buraco mais fundo. A nossa referência principal, dessa vez, é a diferença de pontuação do time na zona de rebaixamento para o primeiro time fora da zona. Essa diferença chamamos de DF.
Antes de mais nada quero destacar que os jogos atrasados/adiantados são contados na rodada em que pertencem. Não valeria a pena ficar analisando todos os jogos atrasados e adiantados. Me lembro, por exemplo, do Flamengo de 2007 que teve uma série de jogos remarcados no Maracanã por causa do Pan. O próprio Goiás, no nosso Brasileirão atual, está a 7 pontos do Coritiba (primeiro time fora da zona) mas tem 3 jogos a menos. Até que o Goiás dispute esses dois três jogos essa diferença é muito mais virtual do que real.
A tabela abaixo traz os 30 times que reverteram as maiores diferenças de pontos para sair da zona e escaparam ao fim do campeonato. A coluna n indica quantos jogos restavam no campeonato no momento em que essa diferença existiu. Note que DF é a maior diferença que o time teve para o primeiro fora da zona naquele campeonato, dessa forma se o time esteve a 1, 2, 3, 4 e 5 pontos de sair da zona, em rodadas diferentes, nós só estamos levando em consideração a diferença máxima, que nesse caso seria 5. Outro detalhe importante também é que n é o menor número de jogos que restavam no campeonato. Se o time esteve a 5 pontos de sair da zona quando faltavam 20 jogos e depois novamente quando faltavam 7 jogos, nós só consideramos a menor quantidade, que nesse caso seria 7.

Rank Ano Time DF n
1 2009 Fluminense 9 10
2 2003 Grêmio 9 13
3 2018 Ceará 9 23
4 2007 Náutico 9 26
5 2005 Figueirense 8 16
6 2015 Coritiba 8 21
7 2005 Athetico-PR 8 32
8 2010 Atlético-MG 7 13
9 2010 Atlético-GO 7 23
10 2006 Palmeiras 7 28
11 2008 Fluminense 7 29
12 2004 Paraná 6 19
13 2017 Vitória 6 21
13 2019 Fluminense 6 21
15 2004 Botafogo 6 35
16 2004 Paysandu 6 37
17 2014 Coritiba 5 13
18 2006 Goiás 5 18
19 2011 Atlético-MG 5 19
20 2008 Santos 5 24
20 2018 Athletico-PR 5 24
22 2003 Goiás 5 27
23 2010 Avaí 4 7
23 2013 Criciúma 4 7
25 2007 Athletico-PR 4 16
26 2013 São Paulo 4 19
27 2016 Cruzeiro 4 21
28 2009 Athletico-PR 4 23
29 2004 Flamengo 4 25
29 2014 Flamengo 4 25
Confesso que a primeira vez que vi essa tabela fiquei meio surpreso. Não com o líder, pois já esperava que fosse o Fluminense de 2009 fosse o principal time dessa análise, afinal, desde então o tricolor foi até apelidado de "Time de Guerreiros". Minha maior surpresa está no segundo colocado. O Grêmio de 2003 teve que reverter uma situação muito semelhante à do Fluminense e não é tão conhecido assim.
Resolvi até dar uma procurada em matérias sobre o assunto "maiores fugas de rebaixamento" pra ver se haveria citação a esse time do Grêmio mas não encontrei nenhuma. Talvez o time tenha ficado marcado entre os gremistas. Talvez ele realmente não tenha ficado marcado e o motivo pode ter sido o fato de que o Grêmio acabou caindo de qualquer forma em 2004.
O gráfico abaixo apresenta a DF dos times que conseguiram reverter as maiores desvantagens e escaparam do rebaixamento, desde 2003, ao longo do campeonato. Todos os pontos abaixo da linha laranja DF = 0 indica que o time em questão estava na zona de rebaixamento naquela rodada.

https://preview.redd.it/hr25ph0iz9t51.png?width=906&format=png&auto=webp&s=2dfdfbe41fa2ce4e7dfd9b1d13d3f9c051536469
De qualquer forma, esse ranking não é o meu ranking final. Como disse no post sobre as desvantagens revertidas pelos campeões, tirar 6 pontos faltando vinte rodadas é uma coisa. Tirar 6 pontos faltando duas é outra. Podemos, então, avançar um pouco mais na análise.
No post anterior eu havia criado uma "diferença ajustada" DFA, que, basicamente, era a divisão da DF pelo percentual de campeonato restante. Porém aqui seríamos obrigados a fazer algumas modificações.
A primeira delas diz respeito ao "percentual de campeonato restante". Não acho que cabe mais ficar olhando para percentual restante agora que os campeonatos tem durações diferentes (em 2003 e 2004 o campeonato brasileiro durou 46 rodadas, e em 2005 durou 42). Tirar 6 pontos de diferença quando faltam duas rodadas é tão difícil em 2003 quanto em 2019. Se eu mantivesse esse percentual de diferença eu estaria dando um peso a mais aos campeonatos de 2003/04 e 05 que eu não julgo ser correto.
A outra questão em relação a DFA é que ela não faz muito sentido quando olhamos para a parte final do campeonato. Se nós pensarmos que a DFA(DF=3, n=10) é igual à DFA(DF=6, n=20), ou seja, que "tirar 3 pontos quando faltam 10 jogos é o equivalente à tirar 6 pontos quando faltam 20 jogos" a coisa até faz sentido. Mas se observarmos que a DFA(DF=3, n=1) é igual à DFA(DF=30, n=10) a coisa muda de figura. A DFA basicamente diz que precisar reverter uma diferença de 3 pontos quando falta 1 jogo é o equivalente a reverter 30 quando faltam 10, ou 60 quando faltam 20. E acho que vai ser difícil alguém considerar isso justo.
Obviamente eu precisei fazer um novo ajuste. Confesso que não gastei muito tempo aqui não, resolvi ir em algo mais simples e direto e que, mesmo que não fosse perfeito, fosse uma evolução do que eu tinha antes. Se por um lado a DF diz que tirar 3 pontos quando faltam 10 jogos é o mesmo que tirar 3 pontos quando falta 1 jogo e por outro a DFA diz que precisar ganhar todos os jogos que faltam quando falta 1 jogo é o mesmo que precisar ganhar todos jogos que faltam quando faltam 10 jogos, a solução mais simples é apenas tirara média geométrica das duas e avaliar se faz sentido. E essa é a DFX, ou "nova diferença ajustada".
DFX = sqrt(DFA*DF) = DF/sqrt(n)
Pela DFX, precisar tirar 3 pontos de diferença na última rodada não é o equivalente a tirar 9 pontos quando faltam 3 jogos, mas sim 5,2 pontos. Da mesma forma, precisar tirar 9 pontos quando faltam 10 jogos, que foi o que o Fluminense de 2009 fez, não equivale a tirar 0,9 pontos na última rodada, mas sim 2,8 pontos. Como disse, não é perfeita, mas é uma evolução. Em suma, a DFX é uma variável que busca traduzir qualquer diferença ao longo do campeonato para quando faltava apenas uma rodada para terminar o campeonato.
Podemos então, finalmente, ranquear as maiores fugas de rebaixamento da era dos pontos corridos com base na DFX. Na tabela abaixo, a coluna n traz o número de rodadas que faltavam quando o time teve sua máxima DFX. Observe que não necessariamente a rodada da máxima DFX é a mesma da máxima DF. O Grêmio de 2003, por exemplo, teve a máxima DF na 33ª rodada, quando estava a 10 9 pontos do primeiro time fora da zona. A sua máxima DFX, porém, foi na 42ª rodada, quando esteve a 6 pontos do primeiro fora da zona faltando apenas 4 5 rodadas para o final do campeonato. A última coluna apresenta qual era a DF quando o time teve a máxima DFX.

Rank Ano Time DFX n DF
1 2009 Fluminense 2,85 10 9
2 2003 Grêmio 2,68 5 6
3 2005 Figueirense 2,00 16 8
3 2013 Fluminense 2,00 1 2
5 2010 Atlético-MG 1,94 13 7
6 2018 Ceará 1,88 23 9
7 2007 Náutico 1,81 15 7
8 2015 Coritiba 1,75 21 8
9 2004 Atlético-MG 1,73 3 3
9 2017 Sport 1,73 3 3
11 2010 Avaí 1,51 7 4
11 2013 Criciúma 1,51 7 4
13 2010 Atlético-GO 1,46 23 7
14 2005 Athletico-PR 1,41 32 8
15 2014 Coritiba 1,39 13 5
16 2004 Paraná 1,38 19 6
17 2006 Palmeiras 1,32 28 7
18 2017 Vitória 1,31 21 6
18 2019 Fluminense 1,31 21 6
20 2008 Fluminense 1,30 29 7
21 2006 Goiás 1,18 18 5
22 2011 Atlético-MG 1,15 12 4
23 2005 Flamengo 1,06 8 3
23 2008 Athletico-PR 1,06 8 3
23 2018 Chapecoense 1,06 8 3
26 2008 Santos 1,02 24 5
26 2018 Athletico-PR 1,02 24 5
28 2004 Botafogo 1,01 35 6
29 2007 Athletico-PR 1,00 16 4
29 2007 Goiás 1,00 1 1
Como dá pra ver, Fluminense aparece 4 vezes no Top-20! Sendo uma dessas vezes o fatídico campeonato de 2013, marcado pelo caso Héverton. Pra encerrar, estou colocando abaixo as campanhas do Top-3 do ranking acima comparando a pontuação desses times, que escaparam do rebaixamento depois de cavarem um buraco considerável, com a pontuação do primeiro time fora da zona em cada rodada, portanto, enquanto o time esteve abaixo da linha vermelha ele esteve na zona, acima da linha vermelha, fora da zona.

https://preview.redd.it/5acnqwki0at51.png?width=906&format=png&auto=webp&s=cd31c19ebc7b87107da7e5b91fec73b739032a36

https://preview.redd.it/s9kmrinj0at51.png?width=906&format=png&auto=webp&s=95ff7763e9e842f2cb9c905cf069af9263b95351

https://preview.redd.it/10n0gdik0at51.png?width=906&format=png&auto=webp&s=6ef0b7f0f9cf8fd87dd02771bb6acefeb5d2a505
É isso aí. O post já está longo, vou encerrar por aqui. Depois quando tiver um tempo a mais vou fazer um com o outro lado da moeda, mostrando os times que tinham as maiores vantagens para a zona de rebaixamento e mesmo assim acabaram rebaixados, ou seja, as maiores quedas. Caso alguém queira deixar um palpite aí sobre a maior queda, fique a vontade.
submitted by Dynamic_Viscosity to futebol [link] [comments]


2020.10.04 02:59 heartless2000 Eu deveria terminar meu namoro?

a historia é longa mas vou tentar resumir:
Estou em um relacionamento a tres anos onde sempre deu tudo certo. Em maio desse ano eu acabei entrando no facebook do meu namorado e baixei uma conversa que ele tinha com uma menina chamada "Mariana". Eles conversavam no facebook de 2011 ate 2015 e tiveram um relacionamento mais serio em 2015. Apesar de isso tudo ter ocorrido muito antes da gente se conhecer(nos conhecemos em 2017) eu fiquei com uma pulga atras da orelha por dois motivos: 1 - ela é muuuito bonita e 2 - ele sempre deixou claro pra mim que eu fui a primeira namorada dele. Na conversa do facebook ficava nítido o quanto ele gostava dela e como ele ficou triste quando ela n quis levar o relacionamento pra frente pelo motivo de "ainda sou muito nova e quero aproveitar mais". Pouco tempo depois disso ele até tentou se matar mas n sei se tem algo a ver com essa menina.
Até ai vc deve estar me achando maluca e possessiva ne? Afinal, tudo isso aconteceu antes de nos conhecermos e eu nem deveria mexer nas coisas dos passado. O ponto é que fiquei com aquilo na cabeca e fui perguntar a ele sobre ela. Perguntei se durante o nosso namoro ele havia tido algum contato com ela e ele negou. Perguntei mil vezes e ele negou.
A questão é que fiquei desconfiada e acabei fazendo algo que nao me orgulho: peguei o celular dele enquanto ele dormia e fui atras de mensagens com ela no whatsapp. O fato é que ele havia mentido pra mim: eles conversavam sim durante nosso namoro e isso me deixou muito mal. Exportei toda a conversa(QUE ESTA ALI NO FINAL, SE VC QUISER LER) e no outro dia perguntei pra ele novamente se ele falava com ela. Implorei na verdade e ele continuava mentindo, dizendo que eu deveria acreditar nele. Ele so admitiu quando eu falei que havia acessado o celular dele.
Depois disso demos um tempo de 1 mes mas ele sempre insistiu pra continuarmos. Falava que aquelas conversas nao significavam nada e que ele somente respondia quando ela chamava ele. disse que gostava de ver ela sofrendo porque ela havia feito ele sofrer no passado.
Enfim, se vc leu ate aqui agradeço muito. Eu realmente n sei se devo continuar ou nao pois ele mentiu muito pra mim.

Por favor, me de a sua opinião.

Vcs confiariam novamente se estivessem no meu lugar?
Voce conversa com sua/seu ex? Se sim, por quê? é realmente sem sentimento nenhum?

---------------------------------CONVERSA QUE ELES TIVERAM NO WHATSAPP-------------------------
11/05/2020 13:22 - As mensagens e chamadas desta conversa estão protegidas com a criptografia de ponta a ponta. Toque para mais informações.
11/05/2020 13:22 - Mariana: E aí
11/05/2020 13:22 - Mariana: Como é que cê tá?
11/05/2020 13:37 - Joao: Heey, to bem você?
11/05/2020 13:38 - Mariana: Também
11/05/2020 13:38 - Mariana: Não estou bebada e tbm não acabei de levar um chifre
11/05/2020 13:38 - Mariana: hahahaha
11/05/2020 13:38 - Joao: Olha, isso é novidade hahah
11/05/2020 13:38 - Joao: Estranhei pelo horário, estar bebada agora seria meio estranho
11/05/2020 13:39 - Mariana: hahahahah
11/05/2020 13:39 - Mariana: To trabalhando
11/05/2020 13:39 - Mariana: e ontem lembrei de você
11/05/2020 13:39 - Mariana: e aí vim especular sua vida
11/05/2020 13:39 - Mariana: Na realidade, eu queria te perguntar uma coisa
11/05/2020 13:39 - Mariana: É pessoal, mas acho ok
11/05/2020 13:40 - Joao: Certo, o que é?
11/05/2020 13:44 - Mariana: Naquela época que tínhamos uma relação, você havia comentado que sofria de um transtorno de agressividade
11/05/2020 13:44 - Mariana: Lembra?
11/05/2020 13:44 - Mariana: Inclusive, pouco tempo depois tu ficou internado
11/05/2020 13:45 - Joao: Não, não era transtorno de agressividade, era boderline
11/05/2020 13:45 - Joao: Pq?
11/05/2020 13:47 - Mariana: O que é isso?
11/05/2020 13:47 - Mariana: Cara, pq eu precisava de certos acompanhamentos
11/05/2020 13:48 - Mariana: Eu sei que sou uma pessoa extremamente ansiosa, mas em alguns momentos de irritação - ainda que por motivos bem pequenos - eu tenho uma reação desproporcional
11/05/2020 13:48 - Mariana: E me sinto muito violenta
11/05/2020 13:48 - Mariana: Claro, não chego a fazer nada
11/05/2020 13:48 - Mariana: Mas a vontade é imensaa
11/05/2020 13:49 - Joao: Então, Boderline é um transtorno de personalidade, é um agregado de coisas
11/05/2020 13:50 - Joao: Para o diagnóstico do transtorno de personalidade limítrofe, os pacientes devem ter

Instabilidade persistente nos relacionamentos, na autoimagem e nas emoções (desequilíbrio emocional), bem como acentuada impulsividade.
Esse padrão é caracterizado por ≥ 5 dos seguintes:

Esforços desesperados para evitar o abandono (real ou imaginado)
Relacionamentos intensos e instáveis que se alternam entre idealização e desvalorização da outra pessoa
Autoimagem ou senso do eu instável
Impulsividade em ≥ 2 áreas que pode prejudicá-los (p. ex., sexo inseguro, compulsão alimentar, dirigir de forma imprudente)
Comportamentos, gestos ou ameaças repetidos de suicídio ou automutilação
Mudanças rápidas no humor, normalmente durando apenas algumas horas e raramente mais do que alguns dias
Sentimentos persistentes de vazio
Raiva inadequadamente intensa ou problemas para controlar a raiva
Pensamentos paranoicos temporários ou sintomas dissociativos graves desencadeados por estresse
11/05/2020 13:55 - Mariana: Hmm
11/05/2020 13:55 - Mariana: Poxa, isso tem martelado na minha cabeça
11/05/2020 13:56 - Mariana: Eu preciso ter mais calma, ou uma hora vou fazer algo que eu possa me arrepender
11/05/2020 13:56 - Joao: Mas tipo, isso é uma coisa, o certo é procurar acompanhamento para te diagnosticarem do jeito certo
11/05/2020 13:56 - Mariana: Não sei explicar, só sei que é algo muito forte e que vem de dentro!
11/05/2020 13:56 - Mariana: Aquele raiva!
11/05/2020 13:56 - Mariana: E depois eu penso, e vejo que é desproporcional sabe
11/05/2020 13:57 - Mariana: É, eu tenho que voltar a fazer acompanhamento
11/05/2020 13:57 - Mariana: Eu tinha achado umaclinica pelo meu plano
11/05/2020 13:57 - Mariana: Só que aí começou a Pandemia, e eu deixei de lado
11/05/2020 13:58 - Mariana: E como até hoje tive apenas 03 crises bem fortes
11/05/2020 13:58 - Mariana: Essas de ansiedade ou pânico, eu acabo deixando sabe
11/05/2020 14:00 - Joao: Entendo, as vezes eu tenho certas crises também, eu voltei pra tratamento agora depois de um bom tempo tentando marcar horário
11/05/2020 14:00 - Joao: Mas não estou mais tomando nada
11/05/2020 14:00 - Joao: Talvez tenha que voltar
11/05/2020 14:01 - Mariana: Que ótimo!
11/05/2020 14:01 - Mariana: Tomara que não precise voltar para o tratamento medicamentoso, mas se precisar, também não é o fim do mundo né
11/05/2020 14:02 - Mariana: Infelizmente esses problemas psicológicos tem se tornado cada vez mais comum
11/05/2020 14:15 - Joao: Pois é, também espero que não, sempre me senti estranho tomando. Não parecia ser eu, além disso tinham efeitos colaterais bem chatos
11/05/2020 14:17 - Mariana: Faz parte...
11/05/2020 14:17 - Mariana: Na minha volta bastante gente precisa se submeter e tais tratamentos
11/05/2020 14:18 - Mariana: Mas enfim! Como está a vida? Está aqui em SJP? Aulas suspensas?
11/05/2020 14:23 - Joao: Restrita, apesar de eu não ter parado de trabalhar
11/05/2020 14:24 - Joao: Estavamos imprimindo máscaras para o pessoal da saúde de Joinville e Curitiba
11/05/2020 14:24 - Joao: Mas as aulas pararam, só estou tendo EAD por enquanto, e por ai?
11/05/2020 14:27 - Mariana: EAD também!
11/05/2020 14:27 - Mariana: Escritório voltou semana passada
11/05/2020 14:27 - Mariana: Mas antes disso estávamos trabalhando em casa
11/05/2020 14:29 - Joao: Foda, aqui não tem previsão das aulas voltarem
11/05/2020 14:31 - Mariana: É, aqui disseram que retornaria em agosto
11/05/2020 14:31 - Mariana: Mas não sei em...
11/05/2020 14:31 - Mariana: Que situação, né?
11/05/2020 14:32 - Joao: Pois é, era pra estar mais controlado, mas o presidente não ajuda muito kk
11/05/2020 14:33 - Mariana: Não ajuda em nada! Estou preocupada com o que pode acontecer ainda
11/05/2020 14:34 - Mariana: Se passarmos por mais um impeachment é de se discutir a própria democracia né
11/05/2020 14:34 - Mariana: Pois ao que parece não está funcionando para eleger representantes
11/05/2020 14:34 - Joao: Sim, essa instabilidade total piora situações como ansiedade
11/05/2020 14:35 - Joao: Se passarmos por mais um nossa economia vai demorar mais de uma década pra ser recuperar, ninguém investe em um país que troca de presidente como troca de camiseta
11/05/2020 14:36 - Mariana: Com certeza...
11/05/2020 14:37 - Mariana: Poisé, mas tudo caminha para isso né
11/05/2020 14:38 - Mariana: Até pq inquerito já foi instaurado
11/05/2020 14:38 - Mariana: O cara também é bem burro né, não dá uma dentro!
11/05/2020 14:39 - Mariana: As vezes me arrependo de ter feito direito, sabia?
11/05/2020 14:39 - Mariana: Com outra profissão eu teria chance de tentar a vida em outro país
11/05/2020 14:40 - Joao: Eu to pensando, quando me formar acho que vou pro Canadá
11/05/2020 14:40 - Joao: Sim, todo dia uma atrás da outra
11/05/2020 14:41 - Mariana: Eu iria
11/05/2020 14:41 - Joao: Uma amiga conseguiu validar o diploma dela de engenharia quimica
11/05/2020 14:41 - Mariana: Eu não gosto que falem mal do país, sei que em todos os lugares existem problemas - culturais, políticos..
11/05/2020 14:41 - Joao: Creio que engenharia mecanica de boa também
11/05/2020 14:41 - Mariana: Mas porra, virou bagunça!
11/05/2020 14:41 - Mariana: Virou putaria bater panela
11/05/2020 14:42 - Mariana: Ué? não era de avião?
11/05/2020 14:42 - Joao: Então hahaha
11/05/2020 14:42 - Mariana: kkkkkkkkk
11/05/2020 14:42 - Mariana: Indeciso em!!???
11/05/2020 14:42 - Joao: Mudei da UFSC pro IFSC, pra conseguir trabalhar de dia
11/05/2020 14:42 - Joao: Na UFSC não tinha como trabalhar e estudar
11/05/2020 14:43 - Joao: Ai mudei pra engenharia mecânica no IFSC a noite, aqui em Joinville também
11/05/2020 14:43 - Joao: Mas não perdi quase nada, matei várias matérias
11/05/2020 14:43 - Mariana: Já pensou as suas entrevistas de emprego?
11/05/2020 14:43 - Mariana: Hahahahah
11/05/2020 14:43 - Mariana: Ah, comecei com o curso x, depois migrei para y, depois z, depois x novamente
11/05/2020 14:44 - Joao: A eu nem falo nada hahaha
11/05/2020 14:44 - Mariana: Hahahahahha
11/05/2020 14:44 - Mariana: E tu se forma quando?
11/05/2020 14:44 - Joao: Antes do COVID era pra ser uns 2 anos haha
11/05/2020 14:44 - Joao: agora já não sei mais
11/05/2020 14:44 - Joao: e vc?
11/05/2020 14:44 - Mariana: Último ano
11/05/2020 14:45 - Mariana: Ano que vem já sou bacharel ahahha
11/05/2020 14:45 - Mariana: Bacherel é quando se forma, né?
11/05/2020 14:45 - Mariana: E sou 1/2 advogada
11/05/2020 14:45 - Mariana: Falta a segunda fase, sabe lá Deus quando será!
11/05/2020 14:46 - Joao: Da OAB?
11/05/2020 14:46 - Mariana: Eu sou indecisa para a vida, relacionamentos e compras
11/05/2020 14:46 - Mariana: Para o curso tem se mantido ahahha
11/05/2020 14:46 - Mariana: Uhum
11/05/2020 14:47 - Joao: Então, na real eu ia manter, mas com a situação financeiro dos meus pais complicou eu resolvi tomar as rédias. Meus pais já estão cansados, não quero que fiquem me bancando kk
11/05/2020 14:48 - Joao: Que massa!
11/05/2020 14:48 - Mariana: É, eu imagino! É bom você trabalhar, já vai entrando no meio né.
11/05/2020 14:48 - Joao: Parabéns, a segunda fase tu vai tirar de letra tbm
11/05/2020 14:48 - Mariana: Cara, eu tinha tantas expectativas para esse ano, mas o COVID atrapalhou muito
11/05/2020 14:48 - Mariana: Por isso ando desanimada, sabe?
11/05/2020 14:48 - Joao: Nem me fale... kkk
11/05/2020 14:48 - Mariana: Deus lhe ouça
11/05/2020 14:49 - Mariana: Eu consegui monitoria com a professora que eu mais admiro
11/05/2020 14:49 - Mariana: E ela desenvolve várias pesquisas, já conhece professores de federal e tal
11/05/2020 14:49 - Mariana: Esta fazendo doutorado
11/05/2020 14:49 - Mariana: E eu quero muito fazer mestrado
11/05/2020 14:49 - Mariana: Mas uma pós na federal já vale
11/05/2020 14:49 - Mariana: Então, queria ficar ali no meio né
11/05/2020 14:50 - Mariana: Até uma aula eu dei, sabia? ahhaha
11/05/2020 14:50 - Mariana: SOZINHA
11/05/2020 14:50 - Mariana: Tinha tudo para ser um bom semestre, nesse sentido
11/05/2020 14:50 - Mariana: Mas.....
11/05/2020 15:25 - Joao: Que isso, ai sim em!
11/05/2020 15:25 - Joao: Ta mandando muito
11/05/2020 15:26 - Joao: Também penso em fazer mestrado, mas as vezes desanimo kk
11/05/2020 15:29 - Mariana: Pq desanimo?
11/05/2020 15:29 - Mariana: Eu preciso aprender uma outra língua
11/05/2020 15:30 - Mariana: Só sei português e merda
11/05/2020 15:30 - Mariana: hahahah
11/05/2020 15:33 - Mariana: Eu gostaria de lecionar, acho muito legal!
11/05/2020 15:33 - Mariana: E na advocacia passa mais credibilidade
11/05/2020 15:33 - Mariana: Só que meu sonho não é advogar
11/05/2020 15:35 - Joao: Ah sei lá, as vezes cansa essa rotina só de estudos
11/05/2020 15:36 - Joao: Eu manjava um pouco de inglês mas tive que aprender mais ainda na marra
11/05/2020 15:36 - Joao: As materias especificas o conteudo que presta é praticamente em inglês kk
11/05/2020 15:36 - Joao: Quer ir pra concurso?
11/05/2020 15:44 - Mariana: É, cansa! Eu imagino...
11/05/2020 15:44 - Mariana: Yes! Queria magistratura e atuar em vara cível
11/05/2020 15:44 - Mariana: Queria não, eu quero
11/05/2020 15:44 - Mariana: Mas não sei se tenho perfil de concurseira
11/05/2020 15:45 - Joao: Ninguém tem até tentar 🙃
11/05/2020 15:46 - Joao: Se tu tirando a OAB de letra tem que tentar sim
11/05/2020 15:46 - Mariana: Ah, vou tentar até meus 35 anos
11/05/2020 15:46 - Mariana: Aí prorrogo até 40
11/05/2020 15:46 - Mariana: Vai que
11/05/2020 15:46 - Mariana: hahaha
11/05/2020 15:47 - Mariana: Demora para sair, ainda mais eu que só vou tentar no sul
11/05/2020 15:53 - Joao: Vai dar boa, tu tem que advogar 3 anos pra poder concursar né?
11/05/2020 15:53 - Joao: Na magistratura
11/05/2020 15:53 - Mariana: Isso! Nesse período eu tento pós e mestrado
11/05/2020 15:54 - Mariana: Até pq conta como título
11/05/2020 15:54 - Mariana: Então, nada é perdido
11/05/2020 15:59 - Joao: Verdade, não tem nada a perder, só a ganhar tentando
11/05/2020 16:00 - Mariana: Uhum
11/05/2020 16:00 - Mariana: E o relacionamento?
11/05/2020 16:00 - Mariana: Firme e forte?
11/05/2020 16:00 - Joao: Então, ela ta aqui em Joinville comigo, ta sem aulas e o Banco afastou os estagiarios
11/05/2020 16:01 - Joao: Ai ela ta "morando" comigo faz uns dois meses
11/05/2020 16:01 - Joao: Amanhã a gente faz 3 anos
11/05/2020 16:01 - Joao: E o seu?
11/05/2020 16:02 - Mariana: Caralho, o tempo voa em
11/05/2020 16:02 - Mariana: Ah, o meu as vezes anda e as vezes desanda
11/05/2020 16:02 - Mariana: Ora quero casar e ter filhos, ora quero chutar o balde e ser solteira o resto da vida
11/05/2020 16:03 - Mariana: hahahahaha jeito Mariana de ser
11/05/2020 16:03 - Mariana: Bem decidida, sabe?
11/05/2020 16:03 - Joao: Sei bem haha
11/05/2020 16:03 - Joao: Filhos é uma parada que nem cogitamos haha
11/05/2020 16:04 - Mariana: É que eu quase tive né
11/05/2020 16:04 - Mariana: Dai as vezes da vontade hahaha
11/05/2020 16:04 - Mariana: Mas passa bem rapidamente
11/05/2020 16:04 - Mariana: Qd eu vejo que n
11/05/2020 16:04 - Mariana: não tenho paciência nem com a minha cachorra
11/05/2020 16:05 - Joao: kkkkkkkkkkkk
11/05/2020 16:06 - Joao: É, complicado haha
11/05/2020 16:06 - Joao: Como vão seus pais?
11/05/2020 16:06 - Mariana: A mãe esta em casa
11/05/2020 16:06 - Mariana: Foi suspendido o contrato
11/05/2020 16:06 - Mariana: O pai começou as férias hoje
11/05/2020 16:06 - Mariana: Por enquanto esta ok
11/05/2020 16:06 - Mariana: Ninguem demitido
11/05/2020 16:06 - Mariana: E os seus?
11/05/2020 16:07 - Joao: Suspenderam a licitação da obra que meu pai estava indo em Maceio
11/05/2020 16:07 - Joao: E agora os dois estão em casa kk
11/05/2020 16:09 - Mariana: Af, é foda para eles né
11/05/2020 16:09 - Mariana: Sua mãe chegou a inciar o restaurante no caminho do vinho?
11/05/2020 16:09 - Joao: Não, deu uma parada, ela andava meio mal
11/05/2020 16:09 - Joao: Agora segurou por conta do covid
11/05/2020 16:09 - Mariana: Depressão?
11/05/2020 16:10 - Joao: Uhum
11/05/2020 16:12 - Mariana: Eita, e ficar parado em casa só piora, né?
11/05/2020 16:15 - Joao: Uhum, ela ta tentando estudar outras coisas devagarzinho
11/05/2020 16:18 - Mariana: A mãe eu plantei ideia de fazer empedão para vender
11/05/2020 16:18 - Mariana: Pelo menos ela ocupa a cabeça
11/05/2020 16:18 - Mariana: E ainda lucra um pouco
11/05/2020 16:18 - Mariana: E eu ainda como toda semana hahahaha
11/05/2020 16:19 - Joao: hahahah
11/05/2020 16:19 - Joao: stonks
11/05/2020 16:19 - Mariana: o que é isso?
11/05/2020 16:28 - Joao: É um meme haha
11/05/2020 16:30 - Joao: É tipo quando você mostra solução pra algo de uma maneira diferente inédita
11/05/2020 16:30 - Joao: Meio difícil de explicar hahaha
11/05/2020 16:32 - Mariana: Hmmm
11/05/2020 16:32 - Mariana: Entendi 🤔
11/05/2020 16:41 - Joao: E suas irmãs, como estão?
11/05/2020 16:44 - Mariana: Ah nega continua na loja
11/05/2020 16:44 - Mariana: a*
11/05/2020 16:44 - Mariana: Passou na primeira fase junto comigo
11/05/2020 16:44 - Mariana: Diz que vai tirar a OAB
11/05/2020 16:46 - Joao: Mas ela ja se formou né?
11/05/2020 16:47 - Mariana: Aham, ano passado
11/05/2020 16:47 - Mariana: Não sei o que ela vai fazer da vida
11/05/2020 16:48 - Mariana: Diz que quer ser delegada
11/05/2020 16:48 - Mariana: Mas não estuda
11/05/2020 16:48 - Mariana: A Daiana ainda mora em SP e esta casada, a um tempinho já
11/05/2020 16:48 - Mariana: A Luana continua bem e está no segundo ano de BJ (mesmo ano em que a gente ficava)
11/05/2020 16:48 - Mariana: O tempo voa, né?
11/05/2020 17:15 - Joao: Nossa, já??
11/05/2020 17:15 - Joao: Sim, muito haha
11/05/2020 17:15 - Mariana: Poisé
11/05/2020 17:15 - Mariana: Eu ainda não me toquei ahahaha
submitted by heartless2000 to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 02:44 superpolytarget Me ajudem a organizar o meu pensamento

Bom a minha história é a seguinte, eu sou usuário do Pinterest, eu procuro inspirações pra desenhar e comento em outras fotos ou coisas do tipo. Um desses comentários que eu fiz acabou atraindo a atenção de uma pessoa, uma menina, e eu normalmente sou bem receptivo com com todas as pessoas não importa idade, sexo, gênero e por aí vai. A gente conversou, percebi que curtia as mesma bandas que eu, gostava de cinema como eu, e a gente tinha uma relação bacana. Mas pouco depois de alguns dias de conversa, eu tomei conhecimento dela ser menor de idade, ela tinha 13 anos, enquanto eu completei 22 hoje. Quando descobri a idade dela, obviamente resolvi que conversaria com ela só como um amigo, um conselheiro as vezes, já que a primeira msg dela foi me perguntando a respeito da minha faculdade. O tempo foi passando e ela começou a me mandar algumas mensagens meio suspeitas, como se estivesse querendo dizer algo sem dizer ao mesmo tempo, mas eu preferi tocar o barco, pq até aquela altura ela não tinha me falado nada muito contundente. Acontece que hoje a gente conversou, e ela acabou me contando que gosta de mim, e eu expliquei pra ela que eu tenho 22 anos, que não é certo eu me relacionar com alguém que é quase 10 anos mais nova que eu, mesmo que ela fosse uma menina muito legal, inteligente, e que a gente tivesse tantas coisas em comum. Eu tentei ser o mais delicado possível, escolhi cada uma das minhas palavras pra fazer ela entender que ela não tinha nada de errado, que o problema naquela situação era o fato de que eu sou bem mais velho que ela. Mas agora eh me sinto mal, não por "ter dado um fora" na menina, por que isso não poderia ter sido diferente, mas por causa da forma como ela acabou se sentindo, ela ficou visivelmente magoada na hora (agora não sei, pq até o momento ela ainda não mandou mais msg), por mais que ela tenha entendido meu lado. Também tem o fato de que eu não sou exatamente a pessoa mais auto confiante que existe, na vdd eu não sou muito meu próprio fan, e não consigo compreender o que de tão maravilhoso ela viu em mim, graças a esse fato eu me sinto mal por uma menina legal ter sido obrigada a receber um inevitável não de um cara como eu, eu honestamente acho que ela merecia coisa melhor. Eu só quero me convencer de que eu não tenho culpa pelo que ela tá sentindo, por que eu me sinto péssimo com a situação dela.
submitted by superpolytarget to desabafos [link] [comments]


2020.09.08 03:55 LAGOOLIVEIRA A Consumação da Obra Únicana restauração do Senhor - a Nova Jerusalém

u / LAGOOLIVEIRA1postado poru / LAGOOLIVEIRAAgora mesmo

A Consumação da Obra Únicana restauração do Senhor - a Nova Jerusalém

📷
Página 1O TRABALHO ÚNICO NA RECUPERAÇÃO DO SENHOR (Sábado - Sessão da Tarde) Mensagem Nove A Consumação da Obra Únicana restauração do Senhor - a Nova Jerusalém Leitura da Escritura: Apocalipse 3:12; 21: 2, 9-23 I. A única obra na restauração do Senhor é elaborar a Nova Jerusa-lem - o objetivo final da economia de Deus - Apoc. 21: 10-11: A. A degradação da igreja é principalmente devido ao fato de que quase todos os cristãosostrabalhadores americanos estão distraídos para tomar algo diferente de Nova Jerusalémcomo seu objetivo.B. Devemos fazer apenas uma obra, que é tornar o povo escolhido de Deus seres ema Nova Jerusalém - 3: 12.II. A Nova Jerusalém é a consumação final da construção deos crentes, que foram feitos Deus em vida, na natureza, na constituição, e em expressão, mas não na Divindade; assim, há uma relação intrínsecarelação entre os crentes tornarem-se Deus em vida e na natureza e oprodução de Nova Jerusalém - 21: 2; 3: 12: A. A Nova Jerusalém envolve Deus se tornando homem, e o homem se transformando Deus emvida e na natureza, mas não na divindade, e Deus e o homem sendo mesclados para-juntos como uma entidade - João 1: 12-14; 14:20; 15: 5a; Rev. 21: 3, 10-11.B. Em Cristo, Deus se tornou o homem para fazer o homem Deus em sua vida e em sua naturezazapara que o Deus redentor e o homem redimido podem ser mesclados, constituídos, juntos para serem uma entidade - a Nova Jerusalém - vv. 3, 22.C. A Nova Jerusalém é uma composição dos escolhidos, redimidos, regenerados de Deus, santificado, renovado, transformado, conformado e glorificado pessoas que têmfoi deificado - João 3: 6; Heb. 2:11; ROM. 12: 2; 8: 29-30: 1. Para nós, sermos deificados significa que estamos sendo constituídos com ou processado e consumando o Deus Triúno para que possamos ser feitos Deus em vida e emnatureza para sua expressão corporativa para a eternidade - Ap. 21: 11.2. A deificação dos crentes é um processo na salvação orgânica de Deus queserá consumada em Nova Jerusalém; esta é a verdade mais elevada e oevangelho mais elevado - Rom. 5:10; Rev. 3:12; 21: 10-11.D. No início da Bíblia, há o único Deus, e no final há umgrande Deus corporativo, a Nova Jerusalém, um Deus-homem corporativo - o ampliado, incorporação universal divino-humana do processado e consumadoDeus Triúno com os crentes regenerados, transformados e glorificados - Gên.1: 1; Rev. 21: 3, 22; 22: 17a.III. Hoje nossa obra para o Senhor com sua questão deve ser governada edirigido pela visão da Nova Jerusalém; o que é revelado noa descrição desta cidade única deve ser o modelo do que somos ecomo trabalhamos - 3:12; 21: 2, 9-23: 63Página 2A. A Nova Jerusalém é uma consumação da construção orgânica doCorpo de Cristo nas igrejas locais; as igrejas locais são o procedimento paraDeus realizará a edificação do Corpo de Cristo para a edificação doNova Jerusalém - 1 Coríntios. 1: 2; 12: 12-13,27; Rev. 21: 2: 1. O Corpo de Cristo precisa das igrejas locais para sua existência e funcionamento - Atos 8: 1; 13: 1.2. As igrejas locais são as muitas expressões em muitas localidades de umCorpo de Cristo - Apoc. 1: 4, 11,3. No primeiro capítulo do Apocalipse vemos as igrejas locais, mas nos últimosimodois capítulos, vemos apenas uma cidade - v. 11; 21: 2.4. O desejo do Senhor é ganhar uma Nova Jerusalém por meio do precursor doCorpo orgânico de Cristo edificado nas igrejas locais - Ef. 4:16; Rev. 21: 2.B. A Nova Jerusalém é o candelabro universal de ouro - vv. 18b, 23: 1. A Nova Jerusalém é a consumação final dos candeeiros noEscrituras - Exo. 25: 31-37; 1 Reis 7:49; Zech. 4: 2; Rev. 1:20; 21: 18b, 23,2. As igrejas como candeeiros de ouro serão consumadas em Nova Jerusalémsalem, o agregado de todos os candeeiros - 1:20; 21: 18b, 23: uma. No livro do Apocalipse, há dois grandes sinais - o sinal do ourocandeeiros e o sinal da Nova Jerusalém - 1: 1, 12, 20; 21: 2, 10-11.b. A revelação começa com os candeeiros e termina com o candelabro -1: 20; 21: 18b, 23.c. Os candeeiros são sinais das igrejas, enquanto a Nova Jerusalémé um sinal da morada eterna de Deus - vv. 2-3, 22,3. A Nova Jerusalém, uma montanha de ouro, é o candelabro universal de ourosegurando o Cordeiro como a lâmpada que resplandece Deus como a luz - vv. 18b, 23; 22: 1, 5.C. A Nova Jerusalém é a eterna Betel - Gên. 28: 10-22; Rev. 21: 3, 22: 1. O sonho de Jacó era um sonho da meta de Deus, um sonho de Betel, um sonho docasa de Deus (Gen. 28: 10-22), que é a igreja hoje (1 Tim. 3:15) eque se consumará na Nova Jerusalém como a morada eternalugar de Deus e Seus eleitos redimidos (Ap 21: 3, 22): uma. Deus teve um sonho, e esse sonho era ter a Nova Jerusalém, umcidade construída, como a consumação de Sua economia - v. 2b. Nosso sonho é nos tornar a Nova Jerusalém como a consumação deA economia de Deus - vv. 9-10,2. Cristo, sendo a escada celestial em Betel, fala-nos como Deusdeseja ter uma casa na terra localizada com Seus remidos eeleitos transformados, para que ele possa trazer o céu à terra e unir a terra paracéu, para tornar os dois um por toda a eternidade - Jo 1:51; Gênesis 28: 10-22.3. A construção de Deus, a casa de Deus, é a morada mútua de Deus e do homem; A casa de Deus é o homem, e a casa do homem é Deus - Isa. 66: 1-2; 1 Cor. 3:16; Psa.90: 1; João 15: 5a; 14: 23,4. Sem futuro da eternidade, a Nova Jerusalém estará em toda a unidadeverso como algo elevado em direção aos céus sobre o qual o anjofamília vai subir e descer para trazer o céu para a terra e unir a terra para64Página 3céu para o tráfego divino, uma comunhão divina, entre Deus e o homem -2 Cor. 13: 14.D. A Nova Jerusalém é o eterno Monte Sião, o Santo dos Santos, o lugaronde Deus está - Apoc. 14: 1-5; 21: 1-3, 16; Heb. 12h22: 1. Na era da igreja, os homens-Deus que foram aperfeiçoados e amadurecidos sãoSião, os vencedores - Rev. 14: 1: uma. A igreja é a Jerusalém celestial, e os vencedores de são Sião comoo pico alto e o destaque - Heb. 12:22; Rev. 14: 1.b. Os vencedores são para a edificação do Corpo de Cristo para consumiracasalar a Nova Jerusalém - Rom. 12: 4-5; Eph. 4:16; Rev. 3: 12.2. No novo céu e nova terra, toda a Nova Jerusalém se tornaráSião; a Nova Jerusalém, a eterna Sião, será o Santo dos Santos, olugar onde Deus está - 21: 1-3, 16, 22.E. A Nova Jerusalém é a Sulamita real e consumada - uma corporaçãoSulamita, incluindo todo o povo escolhido e redimido de Deus - SS 6:13; Rev.21: 2, 9-10; 22: 17: 1. A maravilhosa Sulamita, a duplicação de Salomão, é a maior efigura final de Nova Jerusalém - SS 6:13; Rev. 21: 2.2. Como contrapartida de Salomão, a Sulamita se tornou a mesma que Salomão emvida, natureza e imagem, como Eva era para Adão - Gên. 2: 20-23: uma. Isso significa que o amante de Cristo se torna o mesmo que em vida, natureza e imagem para combinar com Ele em seu casamento - 2Co 3:18; ROM 8: 29; Rev. 19: 7; 21: 2.b. Os muitos amantes de Cristo eventualmente se tornarão duplicações de Deus emvida e na natureza, mas não na divindade; este é o cumprimento de Deustornar-se homem para que o homem se torne Deus, que é o ponto alto daa revelação divina.IV. “O Deus Triúno processado e consumado, de acordo com o bemprazer de Seu desejo e pela intenção mais elevada em Sua economia, é construir a Si mesmo em Seu povo escolhido e Seu povo escolhido emEle mesmo, para que tenha uma constituição em Cristo como uma mistura de divindadecom a humanidade de ser Seu organismo e Corpo de Cristo, como Seuexpressão eterna e a morada mútua para o Deus redentor e ohomem redimido. Uma consumação final desta estrutura milagrosade tesouro será a Nova Jerusalém para a eternidade ”- inscrever-se emTumba de Witness Lee.Trechos do Ministério: DEIFICAÇÃO - TORNANDO-SE DEUSNA VIDA E NA NATUREZA, MAS NÃO NA TRINDADEIsso nos leva à questão da deificação - a intenção de Deus de tornar os crentes Deus emvida e na natureza, mas não na divindade. Atanásio referiu-se à deificação quando noConselho de Nicea em A. D. 325, ele disse: "Ele [Cristo] foi feito homem para que pudéssemos ser feitos Deus." Embora o termodeificação seja familiar a muitos teólogos e professores cristãos, durantenos últimos dezesseis séculos, apenas um pequeno número ousou usar sobre a deificaçãodos crentes em Cristo.65Página 4Não fui influenciado por nenhum ensino sobre deificação, mas aprendi com meuestudo da Bíblia que Deus pretende tornar os crentes Deus na vida e na natureza, mas nãona Divindade. Por exemplo, 1 João 3: 2 diz: “Amados, agora somos filhos de Deus eainda não foi manifestado o que seremos. Sabemos que se Ele se manifestar, seremoscomo Ele porque nós O veremos assim como Ele é. ”Este versículo revelador claramente que seremos comoDeus.Deus nos torna semelhantes a Ele ao transmitir Sua vida e natureza a nós. 2 Pedro 1: 4 dizque nos tornamos "participantes da natureza divina". João 1: 12-13 diz que nascemos, regenerado, por Deus com Sua vida. Como filhos de Deus, somos "deuses bebês", tendo a vida de Deus enatureza, mas não Sua Divindade. A Divindade é única; Ele é o único que deveria estar trabalhandoenviado.Nós nascemos de Deus e hoje, tendo a vida e a natureza de Deus, somos parcialmente comoEle. Um dia, quando Ele vier, seremos total e inteiramente como Ele.Foi maravilhoso para Davi ser um homem segundo o coração de Deus, mas não foi o suficiente.Deus quer aqueles que podem dizer: “Não sou apenas uma pessoa segundo o coração de Deus. Eu sou deus emvida e na natureza, mas não em Sua Divindade. ”Por um lado, o Novo Testamento revela quea Divindade é única e que somente Deus, o único que possui uma Divindade, deve ser adorado.Por outro lado, o Novo Testamento revela que nós, os crentes em Cristo, temosvida e natureza e que estamos nos tornando Deus em vida e na natureza, mas nunca teremos SuaDivindade. ( Foi maravilhoso para Davi ser um homem segundo o coração de Deus, mas não foi o suficiente.Deus quer aqueles que podem dizer: “Não sou apenas uma pessoa segundo o coração de Deus. Eu sou deus emvida e na natureza, mas não em Sua Divindade. ”Por um lado, o Novo Testamento revela quea Divindade é única e que somente Deus, o único que possui uma Divindade, deve ser adorado.Por outro lado, o Novo Testamento revela que nós, os crentes em Cristo, temosvida e natureza e que estamos nos tornando Deus em vida e na natureza, mas nunca teremos SuaDivindade. ( Foi maravilhoso para Davi ser um homem segundo o coração de Deus, mas não foi o suficiente.Deus quer aqueles que podem dizer: “Não sou apenas uma pessoa segundo o coração de Deus. Eu sou deus emvida e na natureza, mas não em Sua Divindade. ”Por um lado, o Novo Testamento revela quea Divindade é única e que somente Deus, o único que possui uma Divindade, deve ser adorado.Por outro lado, o Novo Testamento revela que nós, os crentes em Cristo, temosvida e natureza e que estamos nos tornando Deus em vida e na natureza, mas nunca teremos SuaDivindade. ( deve ser adorado.Por outro lado, o Novo Testamento revela que nós, os crentes em Cristo, temosvida e natureza e que estamos nos tornando Deus em vida e na natureza, mas nunca teremos SuaDivindade. ( deve ser adorado.Por outro lado, o Novo Testamento revela que nós, os crentes em Cristo, temosvida e natureza e que estamos nos tornando Deus em vida e na natureza, mas nunca teremos SuaDivindade. (Estudo-vida de 1 e 2 Samuel, pp. 166-167) A NOVA JERUSALÉM - UMA COMPOSIÇÃO DE DIVINDADE E HUMANIDADEMISTURADO E MISTURADO JUNTOS COMO UMA ENTIDADEA conclusão da revelação divina na Bíblia é um edifício, a Nova Jerusalém.Este edifício é uma fusão e mesclagem da divindade com a humanidade. Isso é provado pelodescrição da Nova Jerusalém em Apocalipse 21. O versículo 3 refer-se à Nova Jerusalém como “O tabernáculo de Deus” e o versículo 22 diz: “Não vi templo nele, pois o Senhor Deus, o Todo-Poderosoe o Cordeiro é o seu templo. ”A Nova Jerusalém como tabernáculo de Deus é para Deus habitarem, e Deus e o Cordeiro como o templo são para os santos redimidos habitarem. Isso indicaque a Nova Jerusalém será uma morada mútua para Deus e o homem. Além disso, esteedifício é uma composição de seres humanos. Os portões são pérolas inscritas com os nomes deas doze tribos dos filhos de Israel (v. 12), e nas doze fundações estão como dozenomes dos doze apóstolos do Cordeiro (v. 14). Isso indica claramente que a Nova Jerusalémé uma composição do Deus Triúno, que é a essência, centro e universalidade, e Deuspessoas redimidas.A Nova Jerusalém é uma composição da divindade e humanidade mescladas e mescladasjuntos como uma entidade. Todos os componentes têm a mesma vida, natureza e constituição eportanto, são uma pessoa corporativa. É uma questão de Deus se tornar o homem e o homem se tornar Deus emvida e na natureza, mas não na divindade. Esses dois, Deus e homem, homem e Deus, são construídosjuntos sendo misturados e mesclados. Esta é uma conclusão, uma consumação, do edifício de Deus. Todos nós precisamos ter essa visão. ( A Nova Jerusalém é uma composição de divindade e humanidade mescladas e mescladasjuntos como uma entidade. Todos os componentes têm a mesma vida, natureza e constituição eportanto, são uma pessoa corporativa. É uma questão de Deus se tornar o homem e o homem se tornar Deus emvida e na natureza, mas não na divindade. Esses dois, Deus e homem, homem e Deus, são construídosjuntos sendo misturados e mesclados. Esta é uma conclusão, uma consumação, do edifício de Deus. Todos nós precisamos ter essa visão. ( A Nova Jerusalém é uma composição de divindade e humanidade mescladas e mescladasjuntos como uma entidade. Todos os componentes têm a mesma vida, natureza e constituição eportanto, são uma pessoa corporativa. É uma questão de Deus se tornar o homem e o homem se tornar Deus emvida e na natureza, mas não na divindade. Esses dois, Deus e homem, homem e Deus, são construídosjuntos sendo misturados e mesclados. Esta é uma conclusão, uma consumação, do edifício de Deus. Todos nós precisamos ter essa visão. ( do edifício de Deus. Todos nós precisamos ter essa visão. ( do edifício de Deus. Todos nós precisamos ter essa visão. (Estudo-vida de 1 e 2 Samuel, pp. 198-199) O diamante na caixa Se lermos a Bíblia sem prestar atenção a este ponto crucial, então, de uma forma muito realsentido, a Bíblia é para nós um livro vazio. Isso significa que embora a Bíblia seja real em si mesma, emnosso entendimento dela é a Bíblia vazia. Como ilustração, vamos supor que um certoA caixa, bastante atraente, contém um grande diamante. Uma criança pode estar interessada na caixamas não no diamante. Um adulto, no entanto, focaria sua atenção no diamante contidona caixa. Hoje, muitos cristãos estão preocupados com a Bíblia como a "caixa", mas eles não viram e66 Página 5não apreciam o “diamante” que é o conteúdo desta caixa, e podem até condenaraqueles que têm uma apreciação adequada do "diamante" na "caixa". O “diamante” no “Caixa” da Bíblia é a revelação de que em Cristo Deus fez o homem para que o homempode se tornasse Deus em vida e na natureza, mas não na Divindade.A grande maioria dos cristãos de hoje negligencia o ponto crucial na Bíblia que emCristo Deus tornou-se homem para fazer do homem Deus na vida e na natureza, mas não naGodhead e que Deus deseja se mesclar com o homem para ser uma entidade. Alguns não sónegligencie isso; eles acusam falsamente como heréticos que o ensinam. Hoje muitos acreditam em umaspecto deste ponto crucial - que Deus se tornou um homem chamado Jesus - mas eles não acreditamo outro aspecto - que o homem está se tornando Deus em vida e na natureza,Estudo-vida de 1 e 2 Samuel, p. 204) A LUZ EA LÂMPADAA cidade que não tem necessidade do sol nem da lua Apocalipse 21:23 diz: “A cidade não precisa do sol nem da lua parabrilhe nele, pois a glória de Deus o iluminou, e sua lâmpada é o Cordeiro” . No milênio oa luz do sol e da lua será intensificada (Is 30:26). Mas na Nova Jerusalémno novo céu e nova terra, não haverá necessidade do sol nem da lua. O único a lua estará no novo céu e nova terra, mas não estará disponível noNova Jerusalém; pois ali Deus, a luz divina, brilhará com muito mais intensidade. Não Havendo NoiteNa Nova Jerusalém não haverá noite, pois “não haverá mais noite” (Ap 22: 5a). “Não haverá noite” (21: 25b). No novo céu e nova terra, ainda haverá odistinção entre dia e noite, mas na Nova Jerusalém não haverá tal distinçãoção. Fora da cidade haverá noite, mas dentro da cidade não haverá noite porque oa cidade terá uma luz eterna e divina, o próprio Deus. A Glória de Deus iluminando a cidade como a luz da vida divina, e o Cordeiro sendo a lâmpada que irradia a luz divinapela Cidade Transparente como a GlóriaApocalipse 21:11 e 23 nos dizem que a Nova Jerusalém tem a glória de Deus e que elaa luz é como uma pedra preciosíssima, como uma pedra de jaspe, clara como o cristal. Na nova JerusalémCristo, como a lâmpada da cidade sagrada, brilhará com Deus como a luz para iluminar a cidadecom a glória de Deus, uma expressão da luz divina. “A cidade não precisa de sol nem dea lua para que nela brilhassem, pois a glória de Deus a iluminou, e sua lâmpada é aCordeiro” (v. 23). A glória de Deus, que é Deus expresso, ilumina a Nova Jerusalém.Portanto, a glória de Deus, com Deus como sua substância, essência e elemento, é a luz doNova Jerusalém que brilha no Cordeiro como sua lâmpada. A glória expressa de Deus, ou o Deusda glória expressa, é a luz brilhando em Cristo como a lâmpada através da parede de jaspe deA Nova Jerusalém como o jaspe mais precioso, que traz a aparência de Deus rica em vida (v. 11) .A aparência de Deus rico em vida acompanhada o brilho para uma expressão de Deus em Sua emanifestação final consumada.Em 21:23, vemos que Deus é a luz e Cristo é uma lâmpada. Isso indica que Deus e o Cordeiro é uma luz. Deus é o conteúdo, e o Cordeiro, Cristo, é o portador da luz, oexpressão. Isso significa que Deus, que é a luz, brilhará em Cristo como a lâmpada em toda a cidade. Esta é uma questão de dispensar divino, pois o brilho da luz divina é realmenteo dispensar de Deus Triúno processado aos crentes.67 é o portador da luz, oexpressão. Isso significa que Deus, que é a luz, brilhará em Cristo como a lâmpada em toda a cidade. Esta é uma questão de dispensar divino, pois o brilho da luz divina é realmenteo dispensar de Deus Triúno processado aos crentes.67 é o portador da luz, oexpressão. Isso significa que Deus, que é a luz, brilhará em Cristo como a lâmpada em toda a cidade. Esta é uma questão de dispensar divino, pois o brilho da luz divina é realmenteo dispensar de Deus Triúno processado aos crentes.67Página 6 Deus, a luz divina, precisa de uma lâmpada. Sem o Cordeiro sendo a lâmpada, o brilho de Deusiria nos matar. No entanto, com o Cristo redentor como lâmpada, a luz divina não matanós, mas em vez disso nos ilumina. Primeira Timóteo 6:16 diz que Deus habita em luz inacessível.Em Cristo, porém, Deus se torna acessível. Separado de Cristo, o brilho de Deus seria ummatando, mas em Cristo o brilho de Deus é uma iluminação. Porque a luz divina brilha atravéso Cordeiro, o Redentor, tornou-se amável e palpável. Através do Cordeiro como olamp A luz de Deus se torna um brilho agradável para o dispensar de Deus. ( A Conclusão doNovo Testamento, pp. 2731-2733) A ESPOSA DO CRISTO REDENTORA Nova Jerusalém não é apenas o tabernáculo de Deus, mas também a esposa dos redentoresCristo. Tanto no Antigo como no Novo Testamento, Deus compara Seu povo escolhido a uma esposa porSua satisfação no amor (Isaías 54: 6; Jeremias 3: 1; Ezequiel 16: 8; Oséias 2:19; 2 Coríntios 11: 2; Efésios 5: 31-32) .Na Nova Jerusalém como a esposa do Cristo redentor, Deus terá a mais plena satisfaçãoção no amor.Apocalipse 21: 9b e 10 dizem: “Vem esposa, eu te mostrarei a noiva, a do Cordeiro.E ele me levou em espírito para uma grande e alta montanha e me mostrou a cidade sagrada, Jerusalém, descendo do céu da parte de Deus. ”Pensar que uma noiva é principalmente para o casamento, a esposa é para o resto da vida. A Nova Jerusalém será uma noiva no milênio paramil anos como um dia (2 Pedro 3: 8) e então a esposa no novo céu e nova terrapara a eternidade. A noiva no milênio incluirá apenas os santos vencedores, mas a esposano novo céu e nova terra incluirá todos os filhos redimidos e regenerados de Deus (Rev. 21: 7) .A Nova Jerusalém será uma com o Cristo redentor, como Eva se tornado uma comAdão. Eva foi construída a partir de uma costela que foi tirada do lado de Adão, e então ela foi trazida volta a ele para ser uma carne com ele - ser um com ele na natureza e na vida (Gênesis 2: 21-24; Ef. 5: 25-27, 29-32). O princípio é o mesmo com a Nova Jerusalém como a esposa doredimindo Cristo. Ela será uma com o seu Redentor na natureza e na vida. Mais uma vez vemosque a Nova Jerusalém não pode ser uma cidade material, pois uma cidade física não pode ser uma comCristo na natureza e na vida. A Nova Jerusalém não terá apenas o elemento divino adicionado a ele e a natureza santa de Deus trabalhada nele,Ter a Igreja como miniatura A Nova Jerusalém como esposa do Cristo redentor tem uma igreja como sua miniatura.Isso é revelado pela palavra de Paulo em Efésios 5: 22-32, onde ele fala da igreja como ocontraparte de Cristo. A igreja é na verdade uma parte de Cristo, pois a igreja vem deCristo é para Cristo, assim como Eva saiu de Adão e foi para Adão.Em Efésios 5:32, Paulo diz: “Grande é o mistério, mas falo a respeito de Cristoe a igreja. ”O fato de que Cristo e a igreja são um só espírito (1 Cor. 6:17), conforme tipificadopelo fato de o marido e a esposa serem uma só carne, é o grande mistério. Certamente é um grande mistérioque a igreja como a contraparte de Cristo vem de Cristo, tem a mesma vida e natureza queCristo, e é um com Cristo. Tendo sido a Noiva de Cristo no MilênioNo novo céu e nova terra, Cristo terá uma esposa, mas no milênio Ele teráter uma noiva (Ap. 19: 7-8; 21: 2), consistindo nos crentes vencedores. Em sua voltaCristo se casará com os vencedores. Esse casamento é descrito em Apocalipse 19: 7-9.68 Página 7 Apocalipse 19: 7 diz: “Alegremo-nos e exultemos, e demos glória a Ele, peloo casamento do Cordeiro chegou, e Sua esposa se aprontou. ”O casamento doCordeiro é o resultado da conclusão da economia neotestamentária de Deus. Economia de Deus emo Novo Testamento é obter para Cristo uma noiva, uma igreja, por meio de Sua redenção evida divina. Pela operação contínua do Espírito Santo ao longo de todos os séculos, esse objetivoserá concluído no final desta idade. Em seguida, uma noiva, que consistirá na superaçãocrentes, prontos prontos.As palavras Sua esposaem Apocalipse 19: 7 especial-se à igreja (Ef 5: 24-25, 31-32), a noivade Cristo (João 3:29). No entanto, de acordo com Apocalipse 19: 8 e 9, a esposa, a noiva de Cristo, consiste apenas nos crentes vencedores durante o milênio, enquanto a noiva, a esposa, em Apocalipse 21: 2 é composta por todos os santos salvos após o milênio para semprenidade.Apocalipse 19: 7b nos diz que a esposa “se aprontou”. A prontidão donoiva depende tanto da maturidade dos vencedores em vida quanto de serem construídos juntos comouma entidade corporativa. Portanto, osedores não são apenas maduros em vida, mas também construídosjuntos como uma noiva.Apocalipse 19: 8 diz: “Foi-lhe permitido que se vestisse de linho fino, resplandecentee puro; porque o linho fino são as justiças dos santos ”. Aqui puro se refere aonatureza ebrilhante , para a expressão. Como virtudes, ou atos justos, não se refere aa justiça (que é Cristo) que Recebemos para nossa salvação, uma justiça que é objetivo e que nos qualifica para atender às exigências de Deus justo. As justiçasdos crentes vencedores em Apocalipse 19: 8 são subjetivos para que possam encontrar oexigência da vitória de Cristo. O linho fino, portanto, indica nossa superaçãovida. Na verdade, é o Cristo que vivemos de nosso ser. Constituído por todos os santos aperfeiçoadosEm última análise, no novo céu e nova terra, a Nova Jerusalém como a esposa do Cristo redentor será constituída de todos os santos perfeitos. Depois do milênio tudoos santos foi aperfeiçoados e constituídos juntos para ser a entidade maravilhosa daNova Jerusalém.A consumação da igreja como a contraparte de Cristo será a Nova Jerusalémno novo céu e nova terra para a eternidade. Apocalipse 21: 2 diz: “Eu vi a cidade santa, NovaJerusalém, descendo do céu de Deus, preparada como uma noiva adornada para seu maridobanda.” A Nova Jerusalém é uma composição viva de todos os santos redimidos e aperfeiçoados porDeus por todas as gerações . Esta é uma noiva, uma esposa de Cristo como Sua contraparte. Comoa esposa de Cristo, a Nova Jerusalém sai de Cristo e se torna Sua contraparte. Elaé preparado pela participação nas riquezas da vida e natureza de Cristo.Apocalipse 22:17 indica que Cristo e a Nova Jerusalém como Sua esposa serão umcasal universal para a eternidade. O Espírito, que é a totalidade do Deus Triúno processado, torna-se um com os crentes, que agora estão totalmente maduros para serem celebrados a noiva. Portanto, um consomatório do Deus Triúno processado e a consumação dos escolhidos, redimidos de Deus, como pessoas regeneradas e transformadas serão uma e serão um casal universal expressando o Deus Triúno para a eternidade. ( a consomatório do Deus Triúno processado e a consumação dos escolhidos, redimidos de Deus, como pessoas regeneradas e transformadas serão uma e serão um casal universal expressando oDeus Triúno para a eternidade. ( a consomatório do Deus Triúno processado e a consumação dos escolhidos, redimidos de Deus, como pessoas regeneradas e transformadas serão uma e serão um casal universal expressando oDeus Triúno para a eternidade. (A Conclusão do Novo Testamento, pp. 2700-2703) 69📷
Texto original
O TRABALHO ÚNICO NA RECUPERAÇÃO DO SENHORugerir uma tradução melhor
submitted by LAGOOLIVEIRA to u/LAGOOLIVEIRA [link] [comments]


2020.08.17 17:39 altovaliriano Deveria ter três Starks que morreram na infância (abril/2019)

Link do SSM: Entrevista a Rolling Stones sobre a 8ª Temporada (22/04/2019)
Nesta entrevista à Revista Rolling Stones, GRMM fala sobre a adaptação de Wild Cards para o canal Hulu, Arya e Sansa, Maisie e Sophie, expectativas para o final de Game of Thrones e como o escritor se sente com isso.
Boa parte do que é falado é de conhecimento geral. Ainda assim quero destacar algumas passagens. Ressalto que a entrevista foi feita antes da oitava temporada estrear.
"A Idade Média foi muito patriarcal. Estou um pouco cansado de fazer tantas generalizações – já que isso me faz parecer um idiota –, mas, em geral, as mulheres não tinham muitos direitos"
GRRM
E em certo ponto do processo, eu estava realmente começando a dizer: "Isso é um desastre, não conseguiremos encontrar ninguém." Esses não são papéis que exijam que as garotas sejam fofas e façam pequenas frases inteligentes para dar uma rasteira no pai idiota, como se faz em uma sitcom. Essas são garotas que vão passar por traumas pessoais realmente enormes. Eles verão a morte e a guerra. Elas verão pessoas próximas a elas serem decapitadas. [...] Então eu vi a fita de Maisie, e foi tipo, “Aí está ela. Aí está ela. Arya". Ela estava dizendo as falas, ela estava viva, ela tinha o espírito de Arya, sabe? [...]. A Sophie também foi ótima - a encontramos mais rápido.
GRRM
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.08.10 00:26 claudiocastagnoli Será que coloquei tudo a perder?

Olá amigos, espero que tenham tido um ótimo domingo e um dia dos pais tranquilo. Venho aqui hoje para pedir uma opinião a respeito de algo que vem me deixando muito angustiado. Contextualizando, tenho 24 anos de idade, sou homem, moro há 10 meses sozinho em uma cidade que não é a minha de origem e que ainda conheço pouca gente. Pra entender os conceitos e causas do que vou contar, é preciso contextualizar a minha situação enquanto ser humano. Eu sempre fui obeso, desde a adolescência. Por mais que isso teve um impacto sobre mim durante toda a minha vida até aqui, eu nunca sofri muito em relação a ações de outras pessoas, como bullying. Acredito que pelo fato de ser bem alto, o que disfarça um pouco os 40kgs acima do peso em que cheguei no segundo mês de quarentena. O fato de ser obeso fez com que eu me tornasse uma pessoa muito tímida, desenvolvesse fobia social e fizesse com que eu não tivesse uma iniciação amorosa, digamos assim, como a maioria das pessoas. Beijei pela primeira vez aos 19 anos de idade, perdi a virgindade aos 22, etc. Eu nunca passei pelo processo de conquista nessas situações, sempre foi algo combinado antes e mecânico, utilizando geralmente o Tinder com um perfil anônimo procurando sexo. O motivo é simples, me sinto muito inseguro e tímido para desenvolver uma relação normal com uma pessoa nesse sentido, fico muito nervoso e quando tentei, diversas coisas aconteceram, como me dar um branco terrível e eu perder todo e qualquer assunto que eu teria com uma pessoa que eu conversava quase todos os dias pela internet. Eu sou uma boa pessoa, sou uma pessoa criativa, carinhosa, atenciosa, eu modéstia parte sempre agradei as poucas meninas que chegaram a ficar comigo, pq sempre pesquisei e estudei muito sobre o que fazer pra satisfazer uma pessoa da melhor maneira possível. Uma dessas garotas, das 3 que ficaram comigo na vida, foi inclusive o mais próximo que tive de um relacionamento, que só não rendeu pq me mudei de cidade na época. Eu nunca fiquei com ninguém, no sentido de sair com uma pessoa e durante esse encontro desenvolver uma atração e terminar o encontro com um beijo ou uma noite juntos. Isso me doía, mas agora anda doendo mais, e explico o motivo.
Logo ao me mudar para esta cidade no último ano, conheci uma garota maravilhosa. Sei o quanto isso pode parecer clichê, mas eu nunca conheci ninguém igual a ela. E só de pensar na personalidade, em todo o carinho que ela me entregou desde o início, eu me emociono enquanto escrevo meu relato. O fato é que do início de 2020 pra cá nos aproximamos MUITO, mas acabamos conseguindo sair apenas duas vezes antes da quarentena começar. Foram dois rolês incríveis que me lembro sempre com certa nostalgia. Depois desse segundo rolê, começamos a nos aproximar de maneira afetiva, e é aí que minha insegurança e inexperiência começa a afetar tudo. Estávamos muito próximos, falávamos de coisas que queríamos fazer, éramos muito carinhosos um com o outro, ela foi a primeira a dizer que me amava, o que me deixou muito feliz. Estávamos muito bem, mas eu estava com medo de estar entendendo as coisas da forma errada, e como já havia sofrido com isso antes, resolvi perguntar. Resumindo, ela disse que se interessava em ter uma amizade colorida comigo. Eu disse que tudo bem, eu também queria isso (por mais que por dentro já soubesse que estava apaixonado). Depois dessa nossa conversa, conversamos posteriormente mais uma vez sobre isso, confirmando o nosso status, mas com o tempo deu uma leve esfriada, o que é normal devido à quarentena. Mas a minha mente insegura ficava sempre buscando confirmações, e sei que isso pode ter afastado ela. Marcamos um encontro em minha casa nas últimas semanas, depois de ficarmos afastados desde março. Eu fiquei MUITO empolgado, fiz de tudo pra recebê-la da melhor maneira possível, deixei minha casa arrumada, cheirosa, comprei uma roupa nova pra usar, fui ao barbeiro, usei meu melhor perfume e recebi ela. Bom, foi muito legal, fizemos várias coisas, mas não rolou nada. Mesmo com ela dando um sinal com um comentário sobre a minha cama logo na chegada. As coisas foram ficando tensas, eu estava tenso, não rolou NADA. E aí volta a questão da inexperiência de nunca ter chegado a essa situação, de ter de criar um clima pras coisas acontecerem, por sempre ter tido apenas relações mecânicas. Ela foi embora depois de passar o dia todo comigo, fiquei frustrado, e como bom inseguro, resolvi comentar com ela na noite do mesmo dia. Disse que achei que iria rolar alguma coisa mas que eu estava um pouco tenso. E ela quebrou meu coração dizendo que não queria mais. Que me ama, mas não quer isso.
Uma semana antes estávamos trocando memes sobre beijo, duas ou três semanas antes estávamos insinuando atos de carinho. Assim que ela chegou na minha casa fez um comentário que soou como um sinal. E ali, ela disse que não queria isso. 🥺 Sei que provavelmente estraguei tudo com minha ineficácia em relação a deixá-la a vontade pra ficar comigo. Nós estamos bem (mas o assunto ficar nunca mais voltou a pauta), já estamos marcando dela vir outra vez nos próximos dias pra comermos algo. Mas agora pergunto a vocês meus amigos e amigas, da forma mais humilde possível: está tudo perdido mesmo? Como posso tentar reverter essa situação?
Obrigado por tudo ❤️
(Obs: estou fazendo terapia pra tratar essas questões pessoais)
submitted by claudiocastagnoli to desabafos [link] [comments]


2020.07.23 12:10 Gndossan Juiz acusado de ver relatos de menores abusados julgou pais de prostituta

https://www.noticiasaominuto.com/pais/1536734/juiz-acusado-de-ver-relatos-de-menores-abusados-julgou-pais-de-prostituta

O juiz Joaquim Manuel Silva, acusado por Ana Loureiro de ver vídeos de menores a relatarem abusos sexuais enquanto recorria a serviços de prostitutas, acredita que está a ser alvo de uma vingança, revela hoje a SIC Notícias.
De acordo com o canal de televisão, o magistrado de Mafra descobriu que foi ele que, em 2004, pronunciou os pais da prostituta e que os levou a julgamento num processo que lesou o Estado em mais de 2.3 milhões de euros.
Maria Gerarda e Manuel Marques eram os principais arguidos de um esquema de fraude e falsificação. Segundo a SIC Notícias, o casal, que detinha um posto de colheitas, na Almirante Reis, em Lisboa, falsificou milhares de credenciais e vinhetas de médicos e centros de saúde que enviavam para outros laboratórios que faziam parte do esquema. Pediam, normalmente, as análises mais caras e o valor das comparticipações do Estado era depois distribuído.
Perante esta descoberta, Joaquim Manuel Silva diz que é “muita coincidência” estar a ser acusado pela filha deste casal de algo que garante estar inocente.
“Isto é um bocado estranho. Isto vem de onde? Não sei se há, se não há [relação]. Que investiguem! Agora que é muita coincidência é”, atira na reportagem emitida esta quarta-feira.
Ainda durante a mesma entrevista, o magistrado garante que está inocente, que regula casos de responsabilidade parental e não de abusos de menores e que nunca recorreu a serviços de prostitutas.
“Eu tenho 59 anos e estou divorciado há dois, era normal ter ido às prostitutas, seria normal, mas eu já disse que nunca fui. Acham que eu sou parvo? Se eu tivesse ido ia dizer que nunca fui e depois descobriam que eu tinha ido e depois está a mentir aqui, está a mentir ali. Eu nunca fui. Para mim aquilo não tem sentido nenhum porque a dignidade das mulheres ali vale zero. Coitadas! Só tenho compaixão por aquilo. Portanto, eu não contribuo para aquele tipo de escravatura. Respeito quem faz, não tenho nada a ver com a vida privada de cada um. Eu não faço!”, garante Joaquim Manuel Silva.
Já Ana Loureiro mantém todas as acusações. A proprietária de uma casa de prostituição assegura que nunca se cruzou com Joaquim Manuel Silva na sala de audiências e soube pelo jornalista da SIC que foi ele quem interveio na fase de instrução do processo em que os pais foram arguidos.
A mulher garante ainda que não ganhava nada em mentir e que já entregou todas as provas ao Ministério Público e Polícia Judiciária.
“Vingança de quê? Não foi o Manuel que condenou a minha mãe, eu nem fazia ideia que ele tinha estado nesta reabertura de instrução, mas não foi ele que condenou a minha mãe”, salienta.
Recorde-se que Ana Loureiro é a primeira subscritora de uma petição para legalização da prostituição. No Parlamento, a 4 de junho, durante uma audição, a prostituta apontou o dedo a Joaquim Manuel Silva, garantindo que este pagava por sexo oral, enquanto ouvia relatos de crianças abusadas, usando esta denúncia para apelar à legalização da profissão mais antiga do mundo.

*surprised pikachu face*
submitted by Gndossan to portugueses [link] [comments]


2020.07.23 10:09 diplohora Mes estudos para o CACD - Bruno Pereira Rezende

Livro do diplomata Bruno Pereira Rezende
INTRODUÇÃO
📷📷Desde quando comecei os estudos para o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), li dezenas de recomendações de leituras, de guias de estudos extraoficiais, de dicas sobre o concurso, sobre cursinhos preparatórios etc. Sem dúvida, ter acesso a tantas informações úteis, vindas de diversas fontes, foi fundamental para que eu pudesse fazer algumas escolhas certas em minha preparação, depois de algumas vacilações iniciais. Mesmo assim, além de a maioria das informações ter sido conseguida de maneira dispersa, muitos foram os erros que acho que eu poderia haver evitado. Por isso, achei que poderia ser útil reunir essas informações que coletei, adicionando um pouco de minha experiência com os estudos preparatórios para o CACD neste documento.
Além disso, muitas pessoas, entre conhecidos e desconhecidos, já vieram me pedir sugestões de leituras, de métodos de estudo, de cursinhos preparatórios etc., e percebi que, ainda que sempre houvesse alguma diferenciação entre as respostas, eu acabava repetindo muitas coisas. É justamente isso o que me motivou a escrever este documento – que, por não ser (nem pretender ser) um guia, um manual ou qualquer coisa do tipo, não sei bem como chamá-lo, então fica como “documento” mesmo, um relato de minhas experiências de estudos para o CACD. Espero que possa ajudar os interessados a encontrar, ao menos, uma luz inicial para que não fiquem tão perdidos nos estudos e na preparação para o concurso.
Não custa lembrar que este documento representa, obviamente, apenas a opinião pessoal do autor, sem qualquer vínculo com o Ministério das Relações Exteriores, com o Instituto Rio Branco ou com o governo brasileiro. Como já disse, também não pretendo que seja uma espécie de guia infalível para passar no concurso. Além disso, o concurso tem sofrido modificações frequentes nos últimos anos, então pode ser que algumas coisas do que você lerá a seguir fiquem ultrapassadas daqui a um ou dois concursos. De todo modo, algumas coisas são básicas e podem ser aplicadas a qualquer situação de prova que vier a aparecer no CACD, e é necessário ter o discernimento necessário para aplicar algumas coisas do que falarei aqui a determinados contextos. Caso você tenha dúvidas, sugestões ou críticas, fique à vontade e envie-as para [[email protected] ](mailto:[email protected])(se, por acaso, você tiver outro email meu, prefiro que envie para este, pois, assim, recebo tudo mais organizado em meu Gmail). Se tiver comentários ou correções acerca deste material, peço, por favor, que também envie para esse email, para que eu possa incluir tais sugestões em futura revisão do documento.
Além desta breve introdução e de uma também brevíssima conclusão, este documento tem quatro partes. Na primeira, trato, rapidamente, da carreira de Diplomata: o que faz, quanto ganha, como vai para o exterior etc. É mais uma descrição bem ampla e rápida, apenas para situar quem, porventura, estiver um pouco mais perdido. Se não estiver interessado, pode pular para as partes seguintes, se qualquer prejuízo para seu bom entendimento. Na segunda parte, trato do concurso: como funciona, quais são os pré-requisitos para ser diplomata, quais são as fases do concurso etc. Mais uma vez, se não interessar, pule direto para a parte seguinte. Na parte três, falo sobre a preparação para o concurso (antes e durante), com indicações de cursinhos, de professores particulares etc. Por fim, na quarta parte, enumero algumas sugestões de leituras (tanto próprias quanto coletadas de diversas fontes), com as devidas considerações pessoais sobre cada uma. Antes de tudo, antecipo que não pretendo exaurir toda a bibliografia necessária para a aprovação, afinal, a cada ano, o concurso cobra alguns temas específicos. O que fiz foi uma lista de obras que auxiliaram em minha preparação (e, além disso, também enumerei muitas sugestões que recebi, mas não tive tempo ou vontade de ler – o que também significa que, por mais interessante que seja, você não terá tempo de ler tudo o que lhe recomendam por aí, o que torna necessário é necessário fazer algumas escolhas; minha intenção é auxiliá-lo nesse sentido, na medida do possível).
Este documento é de uso público e livre, com reprodução parcial ou integral autorizada, desde que citada a fonte. Sem mais, passemos ao que interessa.
Parte I – A Carreira de Diplomata
INTRODUÇÃO
Em primeiro lugar, rápida apresentação sobre mim. Meu nome é Bruno Rezende, tenho 22 anos e fui aprovado no Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) de 2011. Sou graduado em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (turma LXII, 2007-20110), e não tinha certeza de que queria diplomacia até o meio da universidade. Não sei dizer o que me fez escolher a diplomacia, não era um sonho de infância ou coisa do tipo, e não tenho familiares na carreira. Acho que me interessei por um conjunto de aspectos da carreira. Comecei a preparar-me para o CACD em meados de 2010, assunto tratado na Parte III, sobre a preparação para o concurso.
Para maiores informações sobre o Ministério das Relações Exteriores (MRE), sobre o Instituto Rio Branco (IRBr), sobre a vida de diplomata etc., você pode acessar os endereços:
- Página do MRE: http://www.itamaraty.gov.b
- Página do IRBr: http://www.institutoriobranco.mre.gov.bpt-b
- Canal do MRE no YouTube: http://www.youtube.com/mrebrasil/
- Blog “Jovens Diplomatas”: http://jovensdiplomatas.wordpress.com/
- Comunidade “Coisas da Diplomacia” no Orkut (como o Orkut está ultrapassado, procurei reunir todas as informações úteis sobre o concurso que encontrei por lá neste documento, para que vocês não tenham de entrar lá, para procurar essas informações):
http://www.orkut.com.bMain#Community?cmm=40073
- Comunidade “Instituto Rio Branco” no Facebook: http://www.facebook.com/groups/institutoriobranco/
Com certeza, há vários outros blogs (tanto sobre a carreira quanto sobre a vida de diplomata), mas não conheço muitos. Se tiver sugestões, favor enviá-las para [[email protected].](mailto:[email protected])
Além disso, na obra O Instituto Rio Branco e a Diplomacia Brasileira: um estudo de carreira e socialização (Ed. FGV, 2007), a autora Cristina Patriota de Moura relata aspectos importantes da vida diplomática daqueles que ingressam na carreira. Há muitas informações desatualizadas (principalmente com relação ao concurso), mas há algumas coisas interessantes sobre a carreira, e o livro é bem curto.
A DIPLOMACIA E O TRABALHO DO DIPLOMATA
Com a intensificação das relações internacionais contemporâneas e com as mudanças em curso no contexto internacional, a demanda de aprimoramento da cooperação entre povos e países tem conferido destaque à atuação da diplomacia. Como o senso comum pode indicar corretamente, o
diplomata é o funcionário público que lida com o auxílio à Presidência da República na formulação da política externa brasileira, com a condução das relações da República Federativa do Brasil com os demais países, com a representação brasileira nos fóruns e nas organizações internacionais de que o país faz parte e com o apoio aos cidadãos brasileiros residentes ou em trânsito no exterior. Isso todo mundo que quer fazer o concurso já sabe (assim espero).
Acho que existem certos mitos acerca da profissão de diplomata. Muitos acham que não irão mais pagar multa de trânsito, que não poderão ser presos, que nunca mais pegarão fila em aeroporto etc. Em primeiro lugar, não custa lembrar que as imunidades a que se referem as Convenções de Viena sobre Relações Diplomáticas e sobre Relações Consulares só se aplicam aos diplomatas no exterior (e nos países em que estão acreditados). No Brasil, os diplomatas são cidadãos como quaisquer outros. Além disso, imunidade não é sinônimo de impunidade, então não ache que as imunidades são as maiores vantagens da vida de um diplomata. O propósito das imunidades é apenas o de tornar possível o trabalho do diplomata no exterior, sem empecilhos mínimos que poderiam obstar o bom exercício da profissão. Isso não impede que diplomatas sejam revistados em aeroportos, precisem de vistos, possam ser julgados, no Brasil, por crimes cometidos no exterior etc.
Muitos também pensam que irão rodar o mundo em primeira classe, hospedar-se em palácios suntuosos, passear de iate de luxo no Mediterrâneo e comer caviar na cerimônia de casamento do príncipe do Reino Unido. Outros ainda acham que ficarão ricos, investirão todo o dinheiro que ganharem na Bovespa e, com três anos de carreira, já estarão próximos do segundo milhão. Se você quer ter tudo isso, você está no concurso errado, você precisa de um concurso não para diplomata, mas para marajá. Obviamente, não tenho experiência suficiente na carreira para dizer qualquer coisa, digo apenas o que já li e ouvi de diversos comentários por aí. É fato que há carreiras públicas com salários mais altos. Logo, se você tiver o sonho de ficar rico com o salário de servidor público, elas podem vir a ser mais úteis nesse sentido. Há não muito tempo, em 2006, a remuneração inicial do Terceiro-Secretário (cargo inicial da carreira de diplomata), no Brasil, era de R$ 4.615,53. Considerando que o custo de vida em Brasília é bastante alto, não dava para viver de maneira tão abastada, como alguns parecem pretender. É necessário, entretanto, notar que houve uma evolução significativa no aspecto salarial, nos últimos cinco anos (veja a seç~o seguinte, “Carreira e Salrios). De todo modo, já vi vários diplomatas com muitos anos de carreira dizerem: “se quiser ficar rico, procure outra profissão”. O salário atual ajuda, mas não deve ser sua única motivação.
H um texto ótimo disponível na internet: “O que é ser diplomata”, de César Bonamigo, que reproduzo a seguir.
O Curso Rio Branco, que frequentei em sua primeira edição, em 1998, pediu-me para escrever sobre o que é ser diplomata. Tarefa difícil, pois a mesma pergunta feita a diferentes diplomatas resultaria, seguramente, em respostas diferentes, umas mais glamourosas, outras menos, umas ressaltando as vantagens, outras as desvantagens, e não seria diferente se a pergunta tratasse de outra carreira qualquer. Em vez de falar de minhas impressões pessoais, portanto, tentarei, na medida do possível, reunir observações tidas como “senso comum” entre diplomatas da minha geraç~o.
Considero muito importante que o candidato ao Instituto Rio Branco se informe sobre a realidade da carreira diplomática, suas vantagens e desvantagens, e que dose suas expectativas de acordo. Uma expectativa bem dosada não gera desencanto nem frustração. A carreira oferece um pacote de coisas boas (como a oportunidade de conhecer o mundo, de atuar na área política e econômica, de conhecer gente interessante etc.) e outras não tão boas (uma certa dose de burocracia, de hierarquia e dificuldades no equacionamento da vida familiar). Cabe ao candidato inferir se esse pacote poderá ou não fazê-lo feliz.
O PAPEL DO DIPLOMATA
Para se compreender o papel do diplomata, vale recordar, inicialmente, que as grandes diretrizes da política externa são dadas pelo Presidente da República, eleito diretamente pelo voto popular, e pelo Ministro das Relações Exteriores, por ele designado. Os diplomatas são agentes políticos do Governo, encarregados da implementação dessa política externa. São também servidores públicos, cuja função, como diz o nome, é servir, tendo em conta sua especialização nos temas e funções diplomáticos.
Como se sabe, é função da diplomacia representar o Brasil perante a comunidade internacional. Por um lado, nenhum diplomata foi eleito pelo povo para falar em nome do Brasil. É importante ter em mente, portanto, que a legitimidade de sua ação deriva da legitimidade do Presidente da República, cujas orientações ele deve seguir. Por outro lado, os governos se passam e o corpo diplomático permanece, constituindo elemento importante de continuidade da política externa brasileira. É tarefa essencial do diplomata buscar identificar o “interesse nacional”. Em negociações internacionais, a diplomacia frequentemente precisa arbitrar entre interesses de diferentes setores da sociedade, não raro divergentes, e ponderar entre objetivos econômicos, políticos e estratégicos, com vistas a identificar os interesses maiores do Estado brasileiro.
Se, no plano externo, o Ministério das Relações Exteriores é a face do Brasil perante a comunidade de Estados e Organizações Internacionais, no plano interno, ele se relaciona com a Presidência da República, os demais Ministérios e órgãos da administração federal, o Congresso, o Poder Judiciário, os Estados e Municípios da Federação e, naturalmente, com a sociedade civil, por meio de Organizações Não Governamentais (ONGs), da Academia e de associações patronais e trabalhistas, sempre tendo em vista a identificação do interesse nacional.
O TRABALHO DO DIPLOMATA
Tradicionalmente, as funções da diplomacia são representar (o Estado brasileiro perante a comunidade internacional), negociar (defender os interesses brasileiros junto a essa comunidade) e informar (a Secretaria de Estado, em Brasília, sobre os temas de interesse brasileiro no mundo). São também funções da diplomacia brasileira a defesa dos interesses dos cidadãos brasileiros no exterior, o que é feito por meio da rede consular, e a promoção de interesses do País no exterior, tais como interesses econômico-comerciais, culturais, científicos e tecnológicos, entre outros.
No exercício dessas diferentes funções, o trabalho do diplomata poderá ser, igualmente, muito variado. Para começar, cerca de metade dos mil1 diplomatas que integram o Serviço Exterior atua no Brasil, e a outra metade nos Postos no exterior (Embaixadas, Missões, Consulados e Vice-Consulados). Em Brasília, o diplomata desempenha funções nas áreas política, econômica e administrativa, podendo cuidar de temas tão diversos quanto comércio internacional, integração regional (Mercosul), política bilateral (relacionamento do Brasil com outros países e blocos), direitos humanos, meio ambiente ou administração física e financeira do Ministério. Poderá atuar, ainda, no Cerimonial (organização dos encontros entre autoridades brasileiras e estrangeiras, no Brasil e no exterior) ou no relacionamento do Ministério com a sociedade (imprensa, Congresso, Estados e municípios, Academia, etc.).
No exterior, também, o trabalho dependerá do Posto em questão. As Embaixadas são representações do Estado brasileiro junto aos outros Estados, situadas sempre nas capitais, e desempenham as funções tradicionais da diplomacia (representar, negociar, informar), além de promoverem o Brasil junto a esses Estados. Os Consulados, Vice-Consulados e setores consulares de Embaixadas podem situar-se na capital do país ou em outra cidade onde haja uma comunidade brasileira expressiva. O trabalho nesses Postos é orientado à defesa dos interesses dos cidadãos brasileiros no exterior. Nos Postos multilaterais (ONU, OMC, FAO, UNESCO, UNICEF, OEA etc.), que podem ter natureza política, econômica ou estratégica, o trabalho envolve, normalmente, a representação e a negociação dos interesses nacionais.
O INGRESSO NA CARREIRA
A carreira diplomática se inicia, necessariamente, com a aprovação no concurso do Instituto Rio Branco (Informações sobre o concurso podem ser obtidas no site http://www2.mre.gov.birbindex.htm). Para isso, só conta a competência – e, talvez, a sorte – do candidato. Indicações políticas não ajudam.
AS REMOÇÕES
Após os dois anos de formação no IRBr , o diplomata trabalhará em Brasília por pelo menos um ano. Depois, iniciam-se ciclos de mudança para o exterior e retornos a Brasília. Normalmente, o diplomata vai para o exterior, onde fica três anos em um Posto, mais três anos em outro Posto, e retorna a Brasília, onde fica alguns anos, até o início de novo ciclo. Mas há espaço para flexibilidades. O diplomata poderá sair para fazer um Posto apenas, ou fazer três Postos seguidos antes de retornar a Brasília. Isso dependerá da conveniência pessoal de cada um. Ao final da carreira, o diplomata terá passado vários anos no exterior e vários no Brasil, e essa proporção dependerá essencialmente das escolhas feitas pelo próprio diplomata. Para evitar que alguns diplomatas fiquem sempre nos “melhores Postos” – um critério, aliás, muito relativo – e outros em Postos menos privilegiados, os Postos no exterior estão divididos em [quatro] categorias, [A, B, C e D], obedecendo a critérios não apenas de qualidade de vida, mas também geográficos, e é seguido um sistema de rodízio: após fazer um Posto C, por exemplo, o diplomata terá direito a fazer um Posto A [ou B], e após fazer um Posto A, terá que fazer um Posto [B, C ou D].
AS PROMOÇÕES
Ao tomar posse no Serviço Exterior, o candidato aprovado no concurso torna-se Terceiro-Secretário. É o primeiro degrau de uma escalada de promoções que inclui, ainda, Segundo-Secretário, Primeiro-
-Secretário, Conselheiro, Ministro de Segunda Classe (costuma-se dizer apenas “Ministro”) e Ministro de Primeira Classe (costuma-se dizer apenas “Embaixador”), nessa ordem. Exceto pela primeira promoção, de Terceiro para Segundo-Secretário, que se dá por tempo (quinze Terceiros Secretários são promovidos a cada semestre), todas as demais dependem do mérito, bem como da articulação política do diplomata. Nem todo diplomata chega a Embaixador. Cada vez mais, a competição na carreira é intensa e muitos ficam no meio do caminho. Mas, não se preocupem e também não se iludam: a felicidade não está no fim, mas ao longo do caminho!
DIRECIONAMENTO DA CARREIRA
Um questionamento frequente diz respeito à possibilidade de direcionamento da carreira para áreas específicas. É possível, sim, direcionar uma carreira para um tema (digamos, comércio internacional, direitos humanos, meio ambiente etc.) ou mesmo para uma região do mundo (como a Ásia, as Américas ou a África, por exemplo), mas isso não é um direito garantido e poderá não ser sempre possível. É preciso ter em mente que a carreira diplomática envolve aspectos políticos, econômicos e administrativos, e que existem funções a serem desempenhadas em postos multilaterais e bilaterais em todo o mundo, e n~o só nos países mais “interessantes”. Diplomatas est~o envolvidos em todas essas variantes e, ao longo de uma carreira, ainda que seja possível uma certa especialização, é provável que o diplomata, em algum momento, atue em áreas distintas daquela em que gostaria de se concentrar.
ASPECTOS PRÁTICOS E PESSOAIS
É claro que a vida é muito mais que promoções e remoções, e é inevitável que o candidato queira saber mais sobre a carreira que o papel do diplomata. Todos precisamos cuidar do nosso dinheiro, da saúde, da família, dos nossos interesses pessoais. Eu tentarei trazem um pouco de luz sobre esses aspectos.
DINHEIRO
Comecemos pelo dinheiro, que é assunto que interessa a todos. Em termos absolutos, os diplomatas ganham mais quando estão no exterior do que quando estão em Brasília. O salário no exterior, no entanto, é ajustado em função do custo de vida local, que é frequentemente maior que no Brasil. Ou seja, ganha-se mais, mas gasta-se mais. Se o diplomata conseguirá ou não economizar dependerá i) do salário específico do Posto , ii) do custo de vida local, iii) do câmbio entre a moeda local e o dólar, iv) do fato de ele ter ou não um ou mais filhos na escola e, principalmente, v) de sua propensão ao consumo. Aqui, não há regra geral. No Brasil, os salários têm sofrido um constante desgaste, especialmente em comparação com outras carreiras do Governo Federal, frequentemente obrigando o diplomata a economizar no exterior para gastar em Brasília, se quiser manter seu padrão de vida. Os diplomatas, enfim, levam uma vida de classe média alta, e a certeza de que não se ficará rico de verdade é compensada pela estabilidade do emprego (que não é de se desprezar, nos dias de hoje) e pela expectativa de que seus filhos (quando for o caso) terão uma boa educação, mesmo para padrões internacionais.
SAÚDE
Os diplomatas têm um seguro de saúde internacional que, como não poderia deixar de ser, tem vantagens e desvantagens. O lado bom é que ele cobre consultas com o médico de sua escolha, mesmo que seja um centro de excelência internacional. O lado ruim é que, na maioria das vezes, é preciso fazer o desembolso (até um teto determinado) para depois ser reembolsado, geralmente em 80% do valor, o que obriga o diplomata a manter uma reserva financeira de segurança.
FAMÍLIA : O CÔNJUGE
Eu mencionei, entre as coisas n~o t~o boas da carreira, “dificuldades no equacionamento da vida familiar”. A primeira dificuldade é o que fará o seu cônjuge (quando for o caso) quando vocês se mudarem para Brasília e, principalmente, quando forem para o exterior. Num mundo em que as famílias dependem, cada vez mais, de dois salários, equacionar a carreira do cônjuge é um problema recorrente. Ao contrário de certos países desenvolvidos, o Itamaraty não adota a política de empregar ou pagar salários a cônjuges de diplomatas. Na prática, cada um se vira como pode. Em alguns países é possível trabalhar. Fazer um mestrado ou doutorado é uma opção. Ter filhos é outra...
Mais uma vez, não há regra geral, e cada caso é um caso. O equacionamento da carreira do cônjuge costuma afetar principalmente – mas não apenas – as mulheres, já que, por motivos culturais, é mais comum o a mulher desistir de sua carreira para seguir o marido que o contrário2.
CASAMENTO ENTRE DIPLOMATAS
Os casamentos entre diplomatas não são raros. É uma situação que tem a vantagem de que ambos têm uma carreira e o casal tem dois salários. A desvantagem é a dificuldade adicional em conseguir que ambos sejam removidos para o mesmo Posto no exterior. A questão não é que o Ministério vá separar esses casais, mas que se pode levar mais tempo para conseguir duas vagas num mesmo Posto. Antigamente, eram frequentes os casos em que as mulheres interrompiam temporariamente suas carreiras para acompanhar os maridos. Hoje em dia, essa situação é exceção, não a regra.
FILHOS
Não posso falar com conhecimento de causa sobre filhos, mas vejo o quanto meus colegas se desdobram para dar-lhes uma boa educação. Uma questão central é a escolha da escola dos filhos, no Brasil e no exterior. No Brasil, a escola será normalmente brasileira, com ensino de idiomas, mas poderá ser a americana ou a francesa, que mantém o mesmo currículo e os mesmos períodos escolares em quase todo o mundo. No exterior, as escolas americana e francesa são as opções mais frequentes,
podendo-se optar por outras escolas locais, dependendo do idioma. Outra questão, já mencionada, é o custo da escola. Atualmente, não existe auxílio-educação para filhos de diplomatas ou de outros Servidores do Serviço Exterior brasileiro, e o dinheiro da escola deve sair do próprio bolso do servidor.
CÉSAR AUGUSTO VERMIGLIO BONAMIGO - Diplomata. Engenheiro Eletrônico formado pela UNICAMP. Pós- graduado em Administração de Empresas pela FGV-SP. Programa de Formação e Aperfeiçoamento - I (PROFA -
I) do Instituto Rio Branco, 2000/2002. No Ministério das Relações Exteriores, atuou no DIC - Divisão de Informação Comercial (DIC), 2002; no DNI - Departamento de Negociações Internacionais, 2003, e na DUEX - Divisão de União Europeia e Negociações Extrarregionais. Atualmente, serve na Missão junto à ONU (DELBRASONU), em NYC.
2 Conforme comunicado do MRE de 2010, é permitida a autorização para que diplomatas brasileiros solicitem passaporte diplomático ou de serviço e visto de permanência a companheiros do mesmo sexo. Outra resolução, de 2006, já permitia a inclusão de companheiros do mesmo sexo em planos de assistência médica.
Para tornar-se diplomata, é necessário ser aprovado no Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), que ocorre todos os anos, no primeiro semestre (normalmente). O número de vagas do CACD, em condições normais, depende da vacância de cargos. Acho que a quantidade normal deve girar entre 25 e 35, mais ou menos. Desde meados dos anos 2000, como consequência da aprovação de uma lei federal, o Ministério das Relações Exteriores (MRE/Itamaraty3) ampliou seus quadros da carreira de diplomata, e, de 2006 a 2010, foram oferecidas mais de cem vagas anuais. Com o fim dessa provisão de cargos, o número de vagas voltou ao normal em 2011, ano em que foram oferecidas apenas 26 vagas (duas delas reservadas a portadores de deficiência física4). Para os próximos concursos, há perspectivas de aprovação de um projeto de lei que possibilitará uma oferta anual prevista de 60 vagas para o CACD, além de ampliar, também, as vagas para Oficial de Chancelaria (PL 7579/2010). Oficial de Chancelaria, aproveitando que citei, é outro cargo (também de nível superior) do MRE, mas não integra o quadro diplomático. A remuneração do Oficial de Chancelaria, no Brasil, é inferior à de Terceiro-Secretário, mas os salários podem ser razoáveis quando no exterior. Já vi muitos casos de pessoas que passam no concurso de Oficial de Chancelaria e ficam trabalhando no MRE, até que consigam passar no CACD, quando (aí sim) tornam-se diplomatas.
Para fazer parte do corpo diplomático brasileiro, é necessário ser brasileiro nato, ter diploma válido de curso superior (caso a graduação tenha sido realizada em instituição estrangeira, cabe ao candidato providenciar a devida revalidação do diploma junto ao MEC) e ser aprovado no CACD (há, também, outros requisitos previstos no edital do concurso, como estar no gozo dos direitos políticos, estar em dia com as obrigações eleitorais, ter idade mínima de dezoito anos, apresentar aptidão física e mental para o exercício do cargo e, para os homens, estar em dia com as obrigações do Serviço Militar). Os aprovados entram para a carreira no cargo de Terceiro-Secretário (vide hierarquia na próxima seç~o, “Carreira e Salrios”). Os aprovados no CACD, entretanto, não iniciam a carreira trabalhando: há, inicialmente, o chamado Curso de Formação, que se passa no Instituto Rio Branco (IRBr). Por três semestres, os aprovados no CACD estudarão no IRBr, já recebendo o salário de Terceiro-Secretário (para remunerações, ver a próxima seç~o, “Hierarquia e Salrios).
O trabalho no Ministério começa apenas após um ou dois semestres do Curso de Formação no IRBr (isso pode variar de uma turma para outra), e a designação dos locais de trabalho (veja as subdivisões do MRE na página seguinte) é feita, via de regra, com base nas preferências individuais e na ordem de classificação dos alunos no Curso de Formação.
3 O nome “Itamaraty” vem do nome do antigo proprietrio da sede do Ministério no Rio de Janeiro, o Bar~o Itamaraty. Por metonímia, o nome pegou, e o Palácio do Itamaraty constitui, atualmente, uma dependência do MRE naquela cidade, abrigando um arquivo, uma mapoteca e a sede do Museu Histórico e Diplomático. Em Brasília, o Palácio Itamaraty, projetado por Oscar Niemeyer e inaugurado em 1970, é a atual sede do MRE. Frequentemente, “Itamaraty” é usado como sinônimo de Ministério das Relações Exteriores.
4 Todos os anos, há reserva de vagas para deficientes físicos. Se não houver número suficiente de portadores de deficiência que atendam às notas mínimas para aprovação na segunda e na terceira fases do concurso, que têm caráter eliminatório, a(s) vaga(s) restante(s) é(são) destinada(s) aos candidatos da concorrência geral.
O IRBr foi criado em 1945, em comemoração ao centenário de nascimento do Barão do Rio Branco, patrono da diplomacia brasileira. Como descrito na página do Instituto na internet, seus principais objetivos são:
harmonizar os conhecimentos adquiridos nos cursos universitários com a formação para a carreira diplomática (já que qualquer curso superior é válido para prestar o CACD);
desenvolver a compreensão dos elementos básicos da formulação e execução da política externa brasileira;
iniciar os alunos nas práticas e técnicas da carreira.
No Curso de Formação (cujo nome oficial é PROFA-I, Programa de Formação e Aperfeiçoamento - obs.: n~o sei o motivo do “I”, n~o existe “PROFA-II”), os diplomatas têm aulas obrigatórias de: Direito Internacional Público, Linguagem Diplomática, Teoria das Relações Internacionais, Economia, Política Externa Brasileira, História das Relações Internacionais, Leituras Brasileiras, Inglês, Francês e Espanhol. Há, ainda, diversas disciplinas optativas à escolha de cada um (como Chinês, Russo, Árabe, Tradução, Organizações Internacionais, OMC e Contenciosos, Políticas Públicas, Direito da Integração, Negociações Comerciais etc.). As aulas de disciplinas conceituais duram dois semestres. No terceiro semestre de Curso de Formação, só há aulas de disciplinas profissionalizantes. O trabalho no MRE começa, normalmente, no segundo ou no terceiro semestre do Curso de Formação (isso pode variar de uma turma para outra). É necessário rendimento mínimo de 60% no PROFA-I para aprovação (mas é praticamente impossível alguém conseguir tirar menos que isso). Após o término do PROFA-I, começa a vida de trabalho propriamente dito no MRE. Já ouvi um mito de pedida de dispensa do PROFA I para quem já é portador de título de mestre ou de doutor, mas, na prática, acho que isso não acontece mais.
Entre 2002 e 2010, foi possível fazer, paralelamente ao Curso de Formação, o mestrado em diplomacia (na prática, significava apenas uma matéria a mais). Em 2011, o mestrado em diplomacia no IRBr acabou.
Uma das atividades comuns dos estudantes do IRBr é a publicação da Juca, a revista anual dos alunos do Curso de Formação do Instituto. Segundo informações do site do IRBr, “[o] termo ‘Diplomacia e Humanidades’ define os temas de que trata a revista: diplomacia, ciências humanas, artes e cultura. A JUCA visa a mostrar a produção acadêmica, artística e intelectual dos alunos da academia diplomática brasileira, bem como a recuperar a memória da política externa e difundi-la nos meios diplomático e acadêmico”. Confira a página da Juca na internet, no endereço: http://juca.irbr.itamaraty.gov.bpt-bMain.xml.
Para saber mais sobre a vida de diplomata no Brasil e no exterior, sugiro a conhecida “FAQ do Godinho” (“FAQ do Candidato a Diplomata”, de Renato Domith Godinho), disponível para download no link: http://relunb.files.wordpress.com/2011/08/faq-do-godinho.docx. Esse arquivo foi escrito há alguns anos, então algumas coisas estão desatualizadas (com relação às modificações do concurso, especialmente). De todo modo, a parte sobre o trabalho do diplomata continua bem informativa e atual.
MEUS ESTUDOS PARA O CACD – http://relunb.wordpress.com
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.07.02 20:28 Little_Blackberry TIL que Dom Pedro II não é um dos 21 "Heróis e Heroínas da Pátria"

O homem mais importante da nação brasileira desde a sua independência não é um dos 21 homens e mulheres agraciados com o título de 'herói/heroína'. A quem interessa isso?
Lista completa

  1. Alferes Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, o primeiro nome no Livro em 21 de abril de 1992 por ocasião do bicentenário de sua execução. Incluído pela lei 7.919, de 11 de dezembro de 1989.
  2. Zumbi dos Palmares, inserido em 21 de março de 1997. Incluído pela lei 9.315, de 20 de novembro de 1996.
  3. Marechal Manuel Deodoro da Fonseca, incluído em 15 de novembro de 1997 por ocasião do 108.º aniversário da proclamação da República. Incluído pela lei 7.919, de 11 de dezembro de 1989.
  4. Sua Majestade Imperial (S.M.I.) Dom Pedro I, primeiro imperador do Brasil, proclamador da independência e fundador do Brasil como estado-nação independente, incluído em 5 de setembro de 1999 por ocasião do 177.º aniversário da proclamação da independência do Brasil em relação ao reino unido de Portugal, Brasil e Algarves. Incluído pela lei 9.828, de 30 de agosto de 1999.
  5. Marechal Luís Alves de Lima e Silva, duque de Caxias, incluído em 28 de janeiro de 2003. Incluído pela lei 10.641, de 28 de janeiro de 2003.
  6. Francisco Alves Mendes Filho, mais conhecido como "Chico Mendes", incluído em 22 de setembro de 2004 pela lei 10.952.[5]
  7. Coronel José Plácido de Castro, incluído em 17 de novembro de 2004 por ocasião do centenário da celebração do Tratado de Petrópolis. Incluído pela lei 10.440, de 2 de maio de 2002.
  8. Almirante Joaquim Marques Lisboa, marquês de Tamandaré, incluído em 13 de dezembro de 2004 por ocasião do 197.º aniversário de seu nascimento, instituído como Dia do Marinheiro.
  9. Almirante Francisco Manuel Barroso da Silva, barão do Amazonas, incluído em 11 de junho de 2005 por ocasião do 140.º aniversário da Batalha Naval do Riachuelo.
  10. Marechal-do-ar Alberto Santos Dumont, incluído em 26 de julho de 2006 por ocasião do centenário do voo do 14 Bis.
  11. José Bonifácio de Andrada e Silva, o Patriarca da Independência, incluído em 21 de abril de 2007.
  12. Frei Joaquim do Amor Divino Rabelo, mais conhecido como Frei Caneca, mártir da Confederação do Equador, incluído em 11 de outubro de 2007.[6]
  13. Brigadeiro Antônio de Sampaio pela lei 11.932, de 24 de abril de 2009.
  14. Cacique José Tiaraju, mais conhecido como Sepé Tiaraju, herói guarani missioneiro rio-grandense, incluído em 21 de setembro de 2009.[7]
  15. Anna Justina Ferreira Nery, mais conhecida como Ana Néri, tida como a primeira enfermeira brasileira e heroína na guerra do Paraguai, incluída em 2 de dezembro de 2009, pela lei 12.105.[8]
  16. Hipólito da Costa, jornalista criador do Correio Braziliense, pela Lei nº 12.283, de 5 de julho de 2010 (projeto de lei 4401/2001).
  17. São José de Anchieta, pela Lei nº 12.284, de 5 de julho de 2010 (projeto de lei 810/2003)
  18. Getúlio Vargas, ex-presidente da república, teve seu nome incluído, pela lei 12.326, de 15 de setembro de 2010.
  19. Heitor Villa-Lobos, maestro, pelo projeto de lei 1165/2003. Incluído pela lei 12.455, de 26 de julho de 2011.
  20. Mário Martins de Almeida, Euclides Bueno Miragaia, Dráusio Marcondes de Sousa e Antônio Américo Camargo de Andrade, conhecidos pela sigla MMDC (Martins-Miragaia-Dráusio-Camargo), heróis paulistas da Revolução Constitucionalista de 1932, incluídos em 20 de junho de 2011.
  21. Domingos José Martins, um dos líderes da Revolução Pernambucana de 1817, incluído em 15 de setembro de 2011.
  22. Leonel Brizola, Líder político trabalhista, foi governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro. Liderou o movimento da legalidade em 1961.
  23. Ana Maria de Jesus Ribeiro, mais conhecida como Anita Garibaldi, incluída pela lei 12.615, de 30 de abril de 2012.
  24. Mestre de campo general Francisco Barreto de Meneses, Mestre de campo João Fernandes Vieira, Mestre de campo André Vidal de Negreiros, Mestre de campo Henrique Dias, Capitão-Mor Antônio Filipe Camarão (nascido Potiguaçu) e Mestre de campo Antônio Dias Cardoso, heróis da Batalha dos Guararapes, que expulsaram os neerlandeses de Pernambuco no séc. XVII, incluídos pela Lei nº 12.701, de 6 de agosto de 2012.
  25. Bárbara de Alencar, primeira presa política do Brasil. Heroína da Revolução Pernambucana, líder independentista, republicana e abolicionista. Incluída pela Lei 13.056 de 22 de Dezembro de 2014.[9]
  26. Marechal Cândido Rondon, pelo projeto de lei 562/2003.Incluído pela lei 13.141, de 30 de junho de 2015.
  27. Clara Camarão, indígena, considerada precursora do feminismo no Brasil, incluída em 27 de março de 2017.
  28. Segundo Sargento Antônia Alves Feitosa, mais conhecida como Jovita Feitosa, voluntária que lutou na Guerra do Paraguai, incluída em 27 de março de 2017.
  29. Zuleika Angel Jones, mais conhecida como Zuzu Angel, ativista política que atuou na época da Ditadura militar, especialmente na busca pelos desaparecidos. Incluída em 12 de abril de 2017.
  30. Machado de Assis, escritor. Incluído em 21 de dezembro de 2017.[10]
  31. Carlos Gomes, maestro. Incluído em 26 de dezembro de 2017.[11]
  32. João Pedro Teixeira, incluído em 8 de janeiro de 2018.[12]
  33. José Feliciano Fernandes Pinheiro, primeiro visconde de São Leopoldo, magistrado e um dos fundadores do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Incluído pela Lei 13.599 em 8 de janeiro de 2018.[13]
  34. Euclides da Cunha, escritor e jornalista brasileiro. Incluído pela Lei 13.622 em 15 de janeiro de 2018.[14]
  35. Joaquim Francisco da Costa - Irmão Joaquim. Incluído pela Lei 13.636 em 15 de janeiro de 2018.[15]
  36. Luís Gama, advogado, um dos raros intelectuais negros no Brasil escravocrata do século XIX. Incluído pela Lei 13.628 em 16 de janeiro de 2018.[16]
  37. Miguel Arraes, advogado, economista e político brasileiro, considerado defensor intransigente dos pobres, ex-governador de Pernambuco. Incluído em 25 de setembro de 2018.[17]
  38. Antônio Vincente Mendes Maciel, mais conhecido como Antônio Conselheiro, líder religioso, incluído pela Lei 13.829, em 14 de maio de 2019.[18]
  39. Ulysses Guimarães, pela lei federal nº. 13.815, de 24 de abril de 2019.[19]
  40. Dandara dos Palmares e de Luiza Mahin, pela pela lei federal nº. 13.816, de 24 de abril de 2019.[19]
  41. Tobias Barreto, incluído em 11 de dezembro de 2019.[20]
  42. Osvaldo Aranha, pela lei nº. 13.991, de 17 de abril de 2020.[21]


---
Edit: não são 21 heróis, são 42. Lista de todos os heróis da lista acima.
submitted by Little_Blackberry to brasilivre [link] [comments]


2020.06.28 07:59 jeduardooliveira Algumas curiosidades das eliminatórias das copas do mundo - Parte VIII

Outras partes: Parte I Parte II Parte III Parte IV Parte V Parte VI Parte VII
1970
- Haviam 132 federações filiadas à FIFA. Dentre estas, 75 seleções se inscreveram para disputar as eliminatórias da copa. Foram rejeitadas as inscrições de: Albânia, Cuba, Guiné e Zaire (hoje Congo). Como Inglaterra e México já tinham suas vagas asseguradas e a Coréia do Norte se recusou a jogar contra Israel, abandonando as eliminatórias da Ásia, restaram 68 seleções para disputar as 14 vagas que sobraram;
- Desta vez a Europa teria uma vaga a menos (8) em relação a última copa, a FIFA não queria ter mais uma vez suas eliminatórias esvaziadas, então concedeu uma vaga para a África e uma também para a zona da Ásia e Oceania. A América do Sul ficaria com 3 vagas e a CONCACAF com uma;
- A França ficou no grupo 5 (UEFA), junto com Suécia e Noruega, que, presumivelmente, seria o alivio cômico do grupo. No primeiro jogo do grupo, a Suécia fez 5x0 na Noruega para a surpresa de zero pessoas. Como era de se esperar, a disputa seria entre França e Suécia, portanto os confrontos entre os dois seriam os últimos da chave. Algo comum na época. Porém, as coisas não saíram como o planejado e, mesmo jogando em casa, os franceses conseguiram a façanha de perder para a Noruega por 1 a 0. Na terceira e última vez que os noruegueses foram ao ataque, aos 18 do 2º tempo. O primeiro jogo entre Suécia e França, em Estocolmo, seria decisivo: se a Suécia vencesse, os franceses estariam fora da copa. E a Suécia não desperdiçou a chance, fez 2x0 e despachou a França;
- George Best é muitas vezes considerado o melhor jogador Britânico de todos os tempos. Jogava no Manchester United e foi campeão europeu de clubes em 1968. Norte Irlandês, não teve muita sorte com sua seleção. Nestas eliminatórias, sua seleção foi eliminada pela URSS após ter empatado em casa e perdido em Moscou, em jogo que Best não participou por estar contundido. Best faleceu em 25 de novembro de 2005, aos 59 anos, quando cerca de 100 mil norte irlandeses saíram às ruas de Belfast para acompanhar o cortejo de seu sepultamento.
- Tchecoslováquia e Hungria decidiram a vaga em um jogo extra, já que empataram em pontos no seu grupo. O empate classificaria os húngaros, que tinham melhor saldo. O jogo, na França, foi 4x1 para os tchecos que fizeram com a Hungria, pela primeira vez, fosse eliminada da copa nas eliminatórias;
- A Argentina começou muito mal as eliminatórias, perdendo os dois primeiros jogos, primeiro para a Bolívia, na altitude de La Paz, e depois para o Peru, ambas fora de casa. Poderia ter sido eliminada antes mesmo de jogar em casa, caso a Bolívia, que já havia vencido o Peru no primeiro jogo, saísse vitoriosa também no segundo, em Lima, mas o Peru venceu por 3x0. Então a Argentina deveria vencer os dois jogos, em casa, para forçar um empate triplo. 1X0 contra a Bolívia, no primeiro jogo, de pênalti (polêmico), mostravam que as coisas não estavam indo bem. A HECATOMBE ocorreu uma semana depois, em La Bombonera, com gente saindo pelo ladrão, com tudo que tinha direito a seleção argentina enfrentaria o Peru. Era obrigatório a vitória. O Peru não só conseguiu segurar os argentinos, como quase venceu, o gol de empate portenho só aconteceu aos 45 do segundo tempo, na verdade, uma goleada peruana poderia ter sido mais condizente com o que foi o jogo. A Argentina ainda colocou uma bola na rede nos acréscimos, que foi anulado pelo juiz e, talvez, fosse legal, mas àquela altura quando já havia expulsado um jogador Peruano, parecia que a lei da compensação havia prevalecido. Um doce 2x2 para os peruanos treinados pelo brasileiro Didi. Esta foi a única vez que a Argentina não jogou a copa por cair nas eliminatórias; Lances do jogo. Reportagem sobre o jogo.
- Já o Brasil passeou nas eliminatórias com 6 vitórias, sendo 4 goleadas, em um grupo com Paraguai, Colômbia e Venezuela. O Brasil fez 23 gols e sofreu 2, Tostão fez 10 e Pelé 6. O último jogo, no Maracanã, contra o Paraguai , bateu o recorde oficial de público pagante: 183.341. Em 1950, provavelmente houve o maior público total, com mais de 200 mil pessoas, mas foram 173 mil pagantes. Alguns gols do Brasil nas Eliminatórias.
- Uruguai, por sua vez, usou da malandragem para se classificar. Como os clubes não eram obrigados a liberar jogadores para as seleções, os clubes uruguaios se recusarem a liberar importantes jogadores dos seus rivais, Equador e Chile;
- Chegamos ao evento que ficou conhecido como: A GUERRA DO FUTEBOL. No Final de 1968, a situação política em Honduras não andava nada boa. O Presidente Oswaldo López Arellano, enfrentava seguidas greves e manifestações causadas pela má situação econômica do país e pelo alto desemprego. Os motivos eram muitos, mas Arellano resolveu atacar a imigração salvadorenha. Como havia gente sobrando em El Salvador (3,3 milhões) e terras sobrando em Honduras (5X maior e 2 milhões de pessoas), mais de 300 mil salvadorenhos cruzaram a fronteira a partir de 1960 e se estabeleceram em solo hondurenho. Em junho de 1969, o presidente Arellano decide expulsar os invasores, medida que provocou o deslocamento de tropas militares de ambos os países para suas fronteiras. Enquanto as tropas se deslocavam, as Eliminatórias se desenrolavam. Em 8 de junho, Honduras recebeu El Salvador os hondurenhos foram manifestar seu amor à seleção e seu desapreço aos salvadorenhos. Venceram por 1x0, aos 44 do 2º tempo. O jogo da volta aconteceu uma semana depois, debaixo de muita água, El Salvador venceu por 3x0. Um dia depois, o presidente de Honduras, Arellano, determinou que todos os Salvadorenhos deixassem o país, “nem que seja por fuzis”. O exército Salvadorenho, maior (21 mil homens contra 13 mil de Honduras) e mais bem equipado, sob o pretexto de proteger seus cidadãos, invade Honduras. Quando as equipes foram realizar o jogo desempate, no dia 26 de junho, a guerra já havia acabado (durou apenas 100 horas). Esse jogo, ao contrário do que se pensaria, foi tranquilo e até emocionante. El Salvador ficou duas vezes a frente do marcador, Honduras empatou me ambas. Na prorrogação, Pipo Rodriguez fez o gol que classificou El Salvador para a próxima fase (Sim! Teria mais uma ainda). Finda a partida, os 22 exaustos jogadores se abraçaram, demonstrando a inutilidade da guerra, que teve o saldo de 2 mil mortos. El Salvador conseguiu se classificar para a copa depois de bater o Haiti na prorrogação do jogo desempate, também.
Um pouco além das Eliminatórias:
- Pelé era o jogador mais bem pago do mundo, com salário mensal de 50 mil cruzeiros (11 mil dólares). Alguns outros jogadores brasileiros, como Gérson, Rivelino e Tostão, ganhavam metade disso, mas mesmo assim seus rendimentos totais eram equivalentes aos das estrelas do futebol europeu.
- O Brasil é, até hoje, a única seleção a vencer todos os jogos desde as eliminatórias até a final da copa do mundo.
- Durante o sorteio dos grupos da copa, o Comitê decidiu que o Brasil não participaria do sorteio (foi o único país, na história das Copas, a não ser nem indicado para cabeça-de-chave, nem sorteado para um grupo). Os dois cabeças-de-chave pré-designados foram o México no Grupo 1 e a Inglaterra no Grupo 3. O Brasil, por sua tradição, seria o cabeça-de-chave do Grupo 2. O México não aceitou, pois nas Quartas de Final haveria o cruzamento dos Grupos 1 e 2, com o consequente risco de um confronto prematuro entre México e Brasil. Logo, o Brasil teria que encabeçar o Grupo 4, mas aí o Comitê Organizador não achou uma boa ideia – o Brasil era a maior atração da Copa depois do México e o Estádio de León só comportava vinte mil pessoas. Como o outro Grupo que não cruzaria com o México nas Quartas seria o 3 (o da Inglaterra), o Comitê decidiu que o Brasil seria incluído nele.
- Em 2007, a seleção brasileira que venceu a Copa do Mundo de 1970 foi eleita a melhor de todos os tempos em uma pesquisa global com especialistas realizada pela revista World Soccer. Aliás, todas as vezes que ganhamos a copa, enfrentamos eles (e nunca perdemos), a única vez que não enfrentamos os Ingleses e vencemos a copa foi em 1994, já que eles não se classificaram, porém enfrentamos seus “filhos”, os EUA;
Fontes:
A grande história dos mundiais 1962, 1966, 1970, do MAX GHERINGER (2018).
https://trivela.com.bcopa-copa-historia-completa-da-repescagem-intercontinental-nas-eliminatorias/
GEHRINGER, Max. Revista A Saga da Jules Rimet. A História das Copas de 1930 a 1970. Editora Abril, 2006.
https://www.fifa.com/worldcup/archive/england1966/
https://trivela.com.bos-50-anos-do-maior-publico-oficial-da-selecao-os-170-mil-contra-o-paraguai-em-1969/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Eliminat%C3%B3rias_da_Copa_do_Mundo_FIFA_de_1970
https://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_do_Futebol
https://oglobo.globo.com/esportes/selecao-brasileira-de-1970-a-melhor-de-todos-os-tempos-4176567
submitted by jeduardooliveira to futebol [link] [comments]


2020.06.10 05:15 tawnie60 Quando a vida bifurca

Obs 1: Bom acho que será longo.
Obs 2: Está mais para ajuda do que desabafo.
Obs 3: a conta é throwaway
Obs 4: fiz faculdade por fazer
Em curtas palavras: cheguei no momento em que a estrada (profissional) que me trouxe até aqui, dolorosa como só, não me serve mais. Ela me dá duas opções mais claras, mas eu não sei o que eu quero. Eu não sei quem eu sou, ou o que me fará feliz.
Passei a pouco dos meus 30 (sim, tem um pouco de crise dos 30 aqui), trabalho para um dos gigantes do brasil, tipo de empresa gigante, que te dá muito mais trabalho do que deveria, só se importa com lucro e etc...E há alguns anos já não me sinto bem lá, não gosto do trabalho, to cansada da cobrança em excesso todos os dias, etc...
Aí eu me formei. Depois eu aprovei na OAB (sou formada em direito).
Ai aparece a opção 1: Advogar
Mas não consigo saber se o que me fará feliz é advogar. Eu nunca advoguei, nunca estagiei, realmente eu não tenho como saber isso. Acho que advogar é difícil, acho que eu vou apanhar demais, da vida, pela falta de experiencia, dos colegas, do promotor, do juiz, dos clientes, se eu tomo esse caminho. Ai vem a questão de qual ramo do direito escolher (são uns 500). Por mais lindo que seja advogar, acho que é difícil. Mas eu sou bastante competente e inteligente, ouvi isso minha vida toda, não deve ser por nada. Advogar traz a promessa de retornos maiores que a segunda opção, mas ao mesmo tempo, nada garantidos. Horários com maior flexibilidade também precisam estar aqui. Sendo sincera, não saberia nem por onde começar. Ia requerer um curso de capacitação prática. Mas e aonde arrumar clientes? Como cobrar? Ok, o tempo pode me ensinar todas essas coisas. mas a insegurança e o medo da miséria batem forte a porta.
Opção 2: Concurso público. Queridinho do Brasil. Aqui tem um caminho árduo e suado. Estudar pra concurso (eu venho fazendo isso há 1 ano mais ou menos) é extremamente difícil. Sozinha na sala, lendo a mesma letra fria de lei, ou uma das 5mil que podem cair, pela primeira vez.
As vantagens clara você sabe, estabilidade, renda garantida, menor cobrança (teoricamente) e etc. Complicado que eu não sei dizer se isso vai me fazer feliz. Se eu não me torno uma velha amargurada, trabalhando 8h por dia, cheia de má vontade no coração, contando os dias para me aposentar e ai sim "ser feliz". Como se a vida toda até lá fosse um sacrifício, em troca de uma salvação. Mas ponto é que concurso parece que vai me limitar demais, alguns dizem, "concurso fecha a porta da pobreza mas também a da riqueza." E minha família entoa isso como um mantra (maior parte de autônomos/empresários).
Ponto é que eu cansei. Estou de férias e neste domingo chorei por ter que retornar ao trabalho, mesmo só voltando dia 22. Complicado que isso aconteceu no meu primeiro trabalho (5 anos nos dois) e eu e minha família ficamos achando que isso seja culpa minha. Que chega uma hora que eu imaturamente "enjoo" do trabalho e fico com raiva e não quero mais. Minha mãe me disse isso com todas as palavras ontem, mas eu também penso isso. Será que o problema sou eu?
Consegui montar uma reserva, pra uns 2 anos sem trabalhar. Isso sem investir em nada, digo montar uma sala e etc.
Sei que eu preciso mudar. aonde trabalho não tenho perspectiva de ganhar bem (digo 7, 8, 9, 10 mil/mes), o regime de trabalho é doentio, excessivo, tipica empresa que adoece as pessoas e acho que eu to sim um pouco afetada.
Como que você decidiu o que fazer com a sua vida? Me parece que a maioria das pessoas simplesmente vai vivendo e vendo, e minha necessidade de controle anula isso totalmente. Além de ter os que parecem que nasceram sabendo, passam a faculdade, a escola toda já destinados.
A partir daqui, são informações complementares, eu acredito
Me falta muita coragem. Toda minha vida faltou. Relacionamentos, dirigir, esportes etc. Em relação a dinheiro é um pouco pior ainda. Ver meu pai sempre reclamando, "que nunca ia chegar" e etc acho que me afetaram e me deixaram mais medrosa ainda.
Eu sei que preciso mudar. Mas quando não se sabe para que porto se vai, nenhum vento é favorável.
Se você leu até aqui ou não, de qualquer forma, grata.
submitted by tawnie60 to desabafos [link] [comments]


2020.06.08 19:02 Coming_Back_To_Life Vampiro: A Máscara backstory de personagem

Olá pessoal, gostaria de compartilhar o backstory do meu personagem atual de Vampiro a Máscara. A nossa campanha se passa nos dias atuais, em Brasília, e eu resolvi fazer um personagem que está nessas terras a um tempinho. Espero que curtam.
Eu morava em uma cidade chamada Campo Formoso, no estado de Goiás. Uma cidade pequena, de gente simples, que sempre existiu na base da esperança do progresso que viria junto da prometida linha do trem. Eu vivi até morrer e não vim trem algum.
Minha família era pequena, mas grande o bastante para ter dificuldade para se esconder da sombra da fome e das necessidades. Desde criança fui ensinado a caçar no cerrado, as vezes na pedrada ou paulada, as vezes na surdina para não despertar o bicho ou o seu dono.
Quando passei dos dez anos ganhei minha primeira carabina, paga com queijo feito de leite de vaca magra. Não havia privilégio de errar os tiros, já que bala não dá em árvore, mas árvore dá em criança que erra o tiro, espanta a caça, chama a fome e desperdiça a munição.
Nos dias em que a caça era das boas, chegada era a hora de colocar em prática outra habilidade tão importante quanto conseguir caça de sobra: Vender, ainda que as vezes para quem não precise ou não queira comprar. Uma conversa mais próxima, uns trejeitos reconstituindo como foi a caçada na frente do comprador e as vezes até o cumprimentar carismático com as duas mãos juntas, tudo pela família.
Passando o tempo e o tempo passando, com os anos em meio ao cerrado também aprendi a diferenciar o que faz bem e dá energia daquilo que faz a pessoa desistir de tentar pôr hoje. Nem toda raiz forte faz mal e com algumas folhas maceradas se faz um chá e do bagaço curativo para feridas.
Por volta dos meus 17 anos chegou em Campo Formoso a pessoa que definiria o meu futuro de forma definitiva, para bem e para mal.
Miguel dos Anjos, um homem de meia idade, mas com ar jovial. Boa forma física, cabelos castanhos-fogo e vestido como quem não espera visitas. Logo se instalou em uma casa de tábuas de Mutambo no fim da segunda rua depois da avenida principal. A casa mais parecia uma morada de João de Barro, sem muito conforto por dentro e luz do sol somente por fora. Não tinha cadeiras, ou confortos básicos, talvez fosse assim que as pessoas fizessem em outras cidades. Vai saber. Dentre as poucas posses, ele tinha um par de luvas grandes e vermelhas, com cadarços brancos, boxe. Eram luvas de boxe. Eu não sabia o que isso queria dizer, mas não via a hora de saber.
Poucos dias depois da sua chegada à cidade, nós passamos a conviver e como foi fácil nos tornarmos amigos. Parece que caímos como uma luva um para o outro. Logo eu comecei a aprender a lutar, parecia que todos os sacrifícios e dificuldades da vida serviram para tornar mais fácil a minha habilidade para esse esporte. Em pouco tempo passamos a treinar todos os dias, enquanto dividíamos histórias sobre o cerrado e as coisas que andam pelo mato, falávamos até sobre lendas que outras pessoas da cidade sonhavam em esquecer.
Os anos passaram. Cada vez eu tinha de me preocupar menos com caçar ou barganhar no mercadinho da cidade pelo pão de cada dia. Boxe, o caminho para mim era o boxe.
E assim foi até o dia, muitos anos depois, da etapa regional de boxe peso-pena da cidade de Campo Formoso.
Só muito tempo depois eu descobriria a notícia a seguir, mas o importante é que eventualmente eu descobri:
Clarim Goiano
Mathias - Luvas de aço e Coração de Ouro
Mathias Oliveira venceu na noite de ontem, 22 de Junho de 1940 em Campo Formoso, a etapa regional de boxe peso-pena. A vitória suada no ringue goiano classificou o atleta para disputar o campeonato nacional.
Aquela noite seria a última em Campo Formoso, até o dia em que só existiriam noites. Depois de lutar e conseguir a vitória eu tive de ir às pressas para a rodoviária pegar o último ônibus em direção a São Paulo, consegui embarcar a tempo, mas nunca cheguei ao destino.
Quando eu desperto eu não sei onde estou e nem o que aconteceu comigo. Logo descubro que sou um monstro! Minha pele agora é fria, meus dentes parecem afiados e sinto fome de algo que nunca comi e mais do que fome, desejo.
Eu perambulo noite após noite tentando entender o que aconteceu, tentando me encontrar, mas a confusão é tanta que me perco em pensamentos e em meio todo tipo de matagal. Chama a minha atenção os diversos tipos de besta que surgem na escuridão, mas aparentemente nenhuma com coragem o bastante para se aproximar de mim.
Com o tempo aceito que agora eu sou isso...
Eventualmente eu consigo voltar pra minha cidade, entretanto ela está absolutamente abandonada.
Em busca de respostas eu acabo descobrindo na biblioteca, se é que posso chamar assim, um jornal datado de alguns anos atrás, nele a notícia: "Governador Brandão muda planos sobre ferrovia".
Certamente com essa notícia de que a ferrovia não viria mais para a cidade as pessoas largam a esperança de morar aqui e abandonam a cidade.
Desolado eu sigo em frente e chego até a minha antiga casa, quase nada foi deixado pra trás, algumas roupas rasgadas pelo chão, a parafina de várias velas e sujeira, bastante sujeira.
No meu antigo quarto eu vejo um jornal do dia seguinte da minha luta.
Na capa uma foto minha com os braços levantados comemorando a vitória, ao fundo tentando se levantar nas cordas está o meu oponente, porém eu não consigo ver o seu rosto, eu sei que está na foto, mas eu não consigo ver!
Há ainda uma outra pessoa na foto, ao fundo, na torcida que eu também não consigo ver o rosto, apenas um borrão.
Eventualmente eu sigo em frente, mas levo sempre comigo algumas coisas como lembrança da minha vida, dentre elas esse jornal.
Um dia um colega de viagem, muito talentoso na arte do desenho e pintura se impressiona com a minha história de boxeador, pelo menos com a parte que eu permiti que ele soubesse e assim ele se oferece para recriar a foto com um toque mais artístico.
No que ele faz o desenho eu consigo ver os rostos que antes apareciam borrados para mim. Eu não me lembro daqueles rostos, mas suspeito que estão ligados ao fato de que eu me tornei um vampiro.
Talvez o adversário que eu derrotei fosse um vampiro?
Apesar de a cidade ter sido abandonada, vez ou outra eu me via andando pelas redondezas, talvez a procura de um rosto familiar.
Esse desejo me foi realizado.
Certa vez enquanto observava as nuvens negras no céu, por vezes encobrindo as estrelas e a lua, fui surpreendido com uma visita inesperada.
Miguel dos Anjos, o meu antigo treinador de boxe, além da surpresa da sua presença ele também me surpreendeu a tornar algo bem claro.
Ao perceber que eu não havia chegado ao meu destino, ele se pôs a me procurar incansavelmente. Depois de duas noites me encontrou num matagal, a meio fio de distância da morte. Mesmo sabendo que o ônibus que eu havia tomado chegou ao destino, ele se sentiu tentado a procurar os destroços de qualquer que fosse o acidente em que eu havia me envolvido. O estrago era muito grande.
Ele decidiu me "salvar" e assim me transformou em um morto imortal, da morte nasceu o eu vampiro.
Ao longo dos anos ele se pôs a me ensinar o que é ser Gangrel, as leis do novo mundo e os limites dos meus novos poderes.
Eventualmente chegou a nós uma notícia que deixou Miguel extremamente transtornado, no coração do cerrado se materializaria uma nova cidade, das mais modernas, feita de rios de concreto e sem meia consideração com as terras daquele planalto. Como nenhuma flor são só espinhos, havia algo de bom nessa história. Junto com a nova capital, chegaria nessas terras um outro Gangrel chamada Annabelle, a quem sou apresentado e com quem passamos várias noites conversando sobre quem somos e principalmente sobre as implicações da nova cidade que estava nascendo. Dentro de pouco tempo a insatisfação e a irritação com relação a tudo isso cobra o seu preço e Miguel decide que deve retornar para o cerrado virgem onde certamente estará mais em sintonia com a sua natureza.
Passados alguns anos, buscando meios de aperfeiçoar as minhas habilidades medicinais eu acabei fazendo amizade com uma moça, na época, chamada Leia. Curioso como percebemos que sabíamos tantas coisas diferentes sobre as plantas do cerrado. Uma mesma planta, mas com usos totalmente distintos. Eventualmente, talvez por conta do meu carisma ou por conta euforia que Leia sentiu em poder dividir sua forma de ver o mundo com alguém, ela me confessou ser uma bruxa. Me contou com alegria sobre a sua ligação com a natureza e com os animais. Eu aproveitei a deixa para lhe contar que eu também sei um feitiço, sobre como me manter sempre jovem, mas que não poderia jamais revelá-lo sobre pena de perder o seu efeito. Ao longo de todos esses anos ela nunca me questionou, por mais que as vezes seja fácil perceber a curiosidade nos seus olhos.
Nada melhor do que o encontro de dois espíritos livres. Foi assim que a minha amizade com o Oliveira começou. Brasília se mostrou uma cidade fácil de se entediar. Isso se torna um pouco mais difícil quando você está em cima de uma moto rasgando os eixos do planalto de ponta a ponta no silêncio da noite, ouvindo apenas o borbulhar do escapamento que meio grita meio tosse como um velho fumante e alcoólatra. A lataria tremendo com o sobe e desce dos pistões a cada revolução do motor e o som rápido e curto dos postes, placas e outros veículos que ficam para trás. Pilotar é pra mim, uma daquelas coisas na vida que a gente não sabe fazer muito bem, mas se diverte fazendo. Já o Oliveira sabe o bastante para ensinar. Depois de horas pilotando, os braços ficam doloridos de tanto ler o que se escreve em braile ao longo do tempo no asfalto, costumamos ir para um mirante olhar a cidade dormir.
submitted by Coming_Back_To_Life to rpg_brasil [link] [comments]


2020.06.07 22:32 cleowatermoon Só um desabafo de uma estudante da área da saúde

Olá,é a primeira vez que eu posto algo no reddit. Eu queria desabafar e achei que seria uma boa por aqui.
Basicamente,eu tenho 22 anos e estou no 6 período de biomedicina e me formo ano que vem,e eu lembro que quando entrei para a graduação pensei muitas vezes em me formar e trabalhar com ciência,mas não é tão fácil e o nosso país não colabora muito,então eventualmente eu desisti,e desde então pensei em ir para área de estética. E aí nesse momento as pessoas pensam "mas nossa,não tem nada a ver com o que você queria antes",pois é meus amigos,e não tem mesmo. A verdade é que além da frustração de ser muito dificil de fato trabalhar com isso no nosso país,ainda tem todos esses movimentos anticiência,e pô uma área que eu gostaria de trabalhar é com a produção de vacinas,e pensar que de alguma forma as pessoas são contra algo tão óbvio e já confirmado pela ciência tem se tornado comum me faz ter um desgaste mental ainda maior com relação aos meus estudos...
Enfim é isso
submitted by cleowatermoon to desabafos [link] [comments]


2020.06.01 03:50 NatanaelAntonioli O que os Anonymous fez, ou deixou de fazer?

1) Quem são os Anonymous?
Primeiro: ao contrário da Cicada - que se identifica assinando suas mensagens oficiais com uma chave PGP - o Anonymous é uma comunidade virtual descentralizada.
Ser descentralizada significa que não há um "Anonymous oficial", um "Anonymous verdadeiro" ou que existam "Anonymous falsos". Também significa que não há um processo para "se juntar ao Anonymous" que envolva passar por testes e obter aprovação de uma organização superior, e que não há um quartel general dos Anonymous no qual atividades feitas por essa comunidade são comandadas.
Qualquer um pode realizar um ato de hacktivismo e se identificar como Anonymous. Basta se chamar de Anonymous, e de preferência usar a identidade visual e jargão associados com essa comunidade (máscara e frase, principalmente).
Justamente por isso, existem centenas de atos associados ao Anonymous, como você pode ver em uma linha do tempo presente em https://en.wikipedia.org/wiki/Timeline_of_events_associated_with_Anonymous. Essa linha do tempo não é uma lista de atividades feitas por uma organização única, mas sim por pessoas que se proclamaram como parte dessa comunidade, e que provavelmente nunca tiveram relação entre si.
Grupos que fazem atos mais impactantes ganham mais notoriedade, mais reputação, e mais seguidores em seus perfis oficias. Lembre-se: esses perfis não são da Anonymous, mas sim de um grupo específico que se identifica como Anonymous.
Sendo assim, se dois grupos, clamando ser Anonymous, fizerem (a) invadir a conta do Donald Trump e deixar um link para seu perfil, e (b) invadir a conta comercial da padaria da esquina e deixar um link para seu perfil, o grupo (a) certamente será mais levado a sério do que o grupo (b), e, se continuar em atividade, poderá formar uma célula centralizada.
Existe, por exemplo, um perfil ativo desde 2012 e com 2 milhões de inscritos (https://www.youtube.com/useAnonymousWorldvoce/videos) que clama ser oficial e posta conspirações no melhor estilo canal dos amiguinhos. Esse canal poderia ser meu, ou seu, ou de qualquer um que usasse esse nome.
A criatura no céu é, na verdade, uma pipa de dementador: https://observatoriodocinema.uol.com.bfilmes/2017/03/harry-potter-jornal-relata-aparicao-de-dementador-nos-ceus-da-africa. Ter mais de 2 milhões de inscritos e se proclamar como Anonymous não te livra de ser um imbecil.
2) Sendo assim, qual grupo fez o quê ultimamente?
No dia 28 de março de 2020, uma página no Facebook com 11 milhões de seguidores intitulada Anonymous (https://www.facebook.com/anonews.co/) e associada ao site AnonymousNews (https://anewspost.com) publicou um vídeo (esse que você viu por aí: https://www.facebook.com/anonews.co/videos/285581555919237/?v=285581555919237) no qual a violência policial em Minnesota é denunciada, citando casos de abusos policiais contra a população negra. Os protestos são exaltados, e o vídeo afirma que os crimes cometidos por eles (não deixando claro exatamente a quem "eles" se referem, provavelmente o departamento policial) serão levados ao mundo.
https://preview.redd.it/fpc4bft0b7251.png?width=424&format=png&auto=webp&s=24f28ae2a013a9517c976a1df1caf4d93a1e8ed3
Dia 31, um influenciador de tecnologia afirmou que o Anonymous tirou do ar o site do departamento de polícia local (https://twitter.com/williamlegate/status/1266938876632981507).

https://preview.redd.it/rorhiev7c7251.png?width=592&format=png&auto=webp&s=54b557850c4137d913231af04ab00ebe8666e4c6
3) E cadê os documentos sobre Epstein, Trump, Michael Jackson e Princesa Diana?
Na verdade, nenhuma dessas coisas foi publicada pela primeira vez recentemente. Apesar dessa postagem (https://twitter.com/moonstargym/status/1267237023934558210) dar a entender isso, todas essas denúncias já haviam feitas no passado, e sequer tinham relação com um grupo intitulado Anonymous!
O livro que liga Epstein a várias personalidades conhecidas, por exemplo, foi descoberto em 2012 pelo jornalista Nick Bryant, e ganhou as manchetes dos jornais em 2019 (https://www.nytimes.com/2019/07/22/style/jeffrey-epstein-little-black-book.html), mesma época em que uma versão completa do livro foi publicada na internet (https://archive.org/details/jeffreyepsteinslittleblackbookunredacted/page/n31/mode/2up).
Data de envio do livro do Epstein.
Se você tiver dúvidas, basta acessar o material, usar a função CTRL+F e buscar por nomes que você viu no Twitter.

https://preview.redd.it/4pmlwkped7251.png?width=174&format=png&auto=webp&s=e36daabb20e294f75252188d83a9045c5361de03
https://preview.redd.it/tzvfilwfd7251.png?width=137&format=png&auto=webp&s=39d742253f7b31adb8bc7a17e935f994230c14c1
A versão divulgada recentemente é apenas uma transcrição dessa lista em formato de texto puro, e não contém novas informações.
As acusações de estupro contra Donald Trump também já existiam no passado. Aqui (https://legalschnauzer.blogspot.com/2019/01/donald-trump-has-paid-about-30-million.html), temos a publicação de exatamente a mesma lista que hoje foi atribuída aos Anonymous, em janeiro de 2019. O responsável pelo compilado de denúncias foi o site Wayne Madsen Report (WMR) (https://www.waynemadsenreport.com), mantido por Wayne Madsen, um autor americano e teórico da conspiração.
https://preview.redd.it/9a019yfvd7251.png?width=481&format=png&auto=webp&s=13269e755c5baee1c2c17f4ea43fd1910c1e585d
Por fim, a acusação envolvendo um assassino de aluguel que confessou ser responsável pela morte da princesa Diana foi checada pelo Snopes em junho de 2017 (https://www.snopes.com/fact-check/retired-mi5-agent-confesses-on-deathbed-i-killed-princess-diana/), que apontou que a origem da matéria foi o site Your News Wire (https://www.snopes.com/tag/yournewswire-com/), com um amplo histórico de notícias falsas, inclusive essa.
A acusação de que a morte de Avicii foi um assassinato após tentativas de expor um caso de abuso infantil é de 2018, surgiu do site Neon Nettle a partir de especulações, e é falsa, conforme análise do Snopes (https://www.snopes.com/fact-check/dj-avicii-expose-pedophile-ring/).
3.1) E os documentos do Vaticano?
De acordo com esse tweet (https://twitter.com/manelmarquez/status/1267400380704489472), a página do Vaticano foi invadida pelo Anonymous, e deixaram um link com denúncias de casos de abuso infantil.
De fato, o link está na página. Só acessar http://www.vatican.va/content/vatican/it.html.
Porém, o que ele simplesmente ignorou é que esse link é da resposta da própria Igreja a casos de abusos infantil ("chiesa" é "igreja" em italiano"), esse documento foi enviado pela própria Igreja, e isso já existia desde 2013 (http://archive.is/Vmv4H).
Já que estamos falando do site do vaticano, capturas recentes não mostram nenhum tipo de invasão: http://archive.vn/http://www.vatican.va/content/vatican/it.html e http://web.archive.org/web/20200529204115/http://www.vatican.va/content/vatican/it.html.
Um perfil brasileiro que se identifica como Anonymous postou o que intitulou um exposed do Vaticano, em https://twitter.com/anonymousdobstatus/1267528929193189378 e https://twitter.com/anonymousdobstatus/1267532085302120463. Porém, todas as informações aí presentes foram retiradas de notícias antigas, e não trazem nada de novo. São elas:
Urrutigoity (2014): http://www.ihu.unisinos.bnoticias/534505-o-curioso-caso-de-carlos-urrutigoity-parte-1
Montero (2008): https://www.twincities.com/2008/09/09/archdiocese-denies-helping-priest-to-flee-as-alleged-in-lawsuit/
Madden (2015): https://jacksondiocese.org/2015/09/statement-regarding-father-paul-madden/
Van Dael (2015): https://www.pri.org/stories/2015-10-16/fugitive-fathers-two-priests-have-been-suspended-globalpost-s-investigation
Baeza (1988): http://www.bishopaccountability.org/assign/Fernandez_Federico_ofm.htm
Tomé Ferreira (2018): https://g1.globo.com/sp/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2018/09/24/bispo-de-rio-preto-investigado-pelo-vaticano-em-denuncias-de-abusos-sexuais-deixa-cargo-ligado-a-cnbb.ghtml
Aldo di Cillo (2016): http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2016/09/ex-seminarista-da-pb-diz-ter-sofrido-assedio-sexual-de-bispo-dom-aldo.html
Antônio Sarto (2003): https://www.bishop-accountability.org/sites/Spricigo_Tarcisio/Crime.htm
4) Sendo assim, esse ocorrido acarretará em consequências reais?
Já que isso não ocorreu agora, provavelmente não - ao menos de forma série e em função disso.
O usuário médio do Twitter pode ter descoberto isso agora, mas as pessoas que investigam e tomam providências nesses casos, não. Além disso, o da princesa Diana sequer é verdadeiro.
E, por fim, nenhum grupo vazou "documentos ultra secretos e incriminadores" contra Trump no momento. Não há nenhuma ameaça sólida em jogo.
5) Devo pedir aos Anonymous que investigue o Bolsonaro, ou outra pessoa?
"Pedir aos Anonymous" tem tanto efeito quanto "pedir aos palmeirenses". Ambos não existem de forma centralizada, não compõe uma organização única, e qualquer pessoa pode se identificar como um.
Se você acha que pessoas que se identificam como Anonymous têm algum tipo de habilidade para isso, peça. Mas é mais inteligente pedir para pessoas que são capazes de realizar ataques cibernéticos, ou envolvidas com hacktivismo.
6) E o perfil no Twitter que se identifica como Anonymous atualmente?
O perfil presente em https://twitter.com/YourAnonCase, apesar de ter sido criado em 2011, não há capturas relacionadas a esse perfil no passado (http://archive.is/https://twitter.com/YourAnonCase e http://web.archive.org/web/*/https://twitter.com/YourAnonCase), o perfil só se tornou famoso hoje (https://socialblade.com/twitteuseyouranoncase/monthly), e, por isso, não tem nenhuma reputação no momento.
https://preview.redd.it/tfag8sq8h7251.png?width=589&format=png&auto=webp&s=95ad1796161c864e39bbd3f1d90a91b3bc856bf3

https://preview.redd.it/9tr3uk75h7251.png?width=502&format=png&auto=webp&s=0fdba0e65c118b48493db23775d32de1621b8f0a
https://preview.redd.it/f5vdvow5h7251.png?width=443&format=png&auto=webp&s=34b7426dff976d537b5da6be490123b48fe3c136
Já o perfil presente em https://twitter.com/OpDeathEaters é um perfil de uma operação mais séria de combate a casos de abuso infantil (inclusive envolvendo Epstein) que se identifica como Anonymous, mas cujas postagens são de 2019, e não parecem conter informações inéditas.
https://preview.redd.it/y8a61nlbh7251.png?width=605&format=png&auto=webp&s=1342eaeb967435f75008ea9ed657bd0013c98faa
E outro perfil, presente em https://twitter.com/YourAnonCentral com 2 milhões de seguidores é um perfil com mais reputação, que contém vários retweets do perfil da operação contra abuso infantil, além de mensagens questionando Trump sobre o caso Epstein. Porém, sem publicações inéditas.
https://preview.redd.it/m0no0gx1i7251.png?width=608&format=png&auto=webp&s=8ad7283f64dae70a0226922b2062f50a2e166a37
A galeria abaixo contém os tweets no qual o grupo - esse sim com reputação - mencionou Epstein. Todos eles fazem referência aos conteúdos levantados em 2019.

https://preview.redd.it/8bmzy8aul7251.png?width=618&format=png&auto=webp&s=0fcd8daf19bc091667f8d2fcd58b2442f43a0c7f
https://preview.redd.it/jnwsu2jvl7251.png?width=582&format=png&auto=webp&s=1a681b65034b7c173f1235fcc6fd84dc0251d138
https://preview.redd.it/zq1adbbxl7251.png?width=590&format=png&auto=webp&s=05cce53e9f40443d63ee60bfa895dc577dbcc82b
https://preview.redd.it/u0cthhu0m7251.png?width=570&format=png&auto=webp&s=177b827e2a9157fe53fd3d706099cf0f98a3f135
https://preview.redd.it/y75oz9k4m7251.png?width=571&format=png&auto=webp&s=d1f6abc0fe5348aeb7a68b51ec63fd15858b5228
E, aqui, momentos em que o mesmo caso foi mencionado em 29 de janeiro.
https://preview.redd.it/e7s2yer7m7251.png?width=571&format=png&auto=webp&s=719146a6b1e3fcaa74770dc9ef533f05f0e4971e
https://preview.redd.it/f7fnomx9m7251.png?width=556&format=png&auto=webp&s=713f06054ae890c1678080633b5ee2b6ca647ffc
E no dia 17 de janeiro.

https://preview.redd.it/8min7mddm7251.png?width=571&format=png&auto=webp&s=27f9f66b78041d2315e5481f51aebb14f4bf071f
Em suma: até o momento, não há novidades sobre Epstein. Apenas referências de uma célula do grupo com reputação a uma investigação feita entre 2015 e 2019.
submitted by NatanaelAntonioli to fabricadenoobs [link] [comments]


2020.05.31 17:57 Prismatta Texto de um possível redditor sobre eficácia de violência em protestos

AFINAL DE CONTAS, A VIOLÊNCIA É POLITICAMENTE EFICAZ?
TL;DR: terrorismo e guerrilha são relativamente ineficazes; quebra-quebra talvez funcione, talvez não; assassinatos definitivamente funcionam (em ditaduras, não em democracias).
O assassinato do afro-americano George Floyd por policiais de Minneapolis gerou escândalo em todo o mundo e levou a uma onda de manifestações na região. Inicialmente pacíficas, elas foram se tornando mais tumultuosas ao longo dos dias. Delegacias foram atacadas, lojas foram incendiadas e saqueadas. O vandalismo atraiu o opróbio de uma fração significativa do espectro político americano que, francamente, não teria lá muita simpatia pelo movimento de qualquer forma. Por outro lado, não são raros nas redes sociais os comentários elogiosos sobre as táticas agressivas da população de Minneapolis, particularmente em comparação a manifestações mais bem-comportadas, mas em última análise inócuas. No Reddit Brasil, uma foto de um prédio em chamas com a legenda “nota de repúdio em Minneapolis” recebeu 2.900 reações positivas em um dia. O gracejo reflete uma crença comum de que atos de violência, insurreições armadas e depredação de propriedades seriam mais eficientes em coagir as autoridades no poder, extrair concessões e atingir objetivos políticos. Entretanto, uma breve análise da literatura em ciência política sobre o tema revela um quadro um pouco mais ambíguo.
Comecemos com a forma mais ubíqua (e destrutiva) de violência política: o terrorismo. Ao longo da história, grupos políticos de todos os matizes lançaram mão de assaltos, sequestros e atentados na luta contra adversários estatais mais poderosos, direcionando os seus ataques à população civil como uma forma de desmoralizar o governo. A sopa de letrinhas inclui nacionalistas dos quatro cantos do mundo – irlandeses, portorriquenhos, bascos, tâmeis, palestinos – e militantes de ambos os lados do espectro político. O que eles conseguiram?
À primeira vista, é possível observar ganhos limitados conseguidos através de táticas de terror. Ao analisarem os padrões geográficos de ataques a bomba em Israel entre 1988 e 2006, Gould e Klor (2010) mostram que eles aumentaram o apoio da população israelense a concessões territoriais a palestinos, com os efeitos sendo mais fortes entre grupos conservadores. Além disso, segundo Pape (2003), grupos políticos que iniciam ataques suicidas também aumentam as chances de que democracias liberais retirem suas forças de ocupação.
Contudo, o quadro é menos positivo no longo prazo. Abrahms (2006) examinou 28 grupos considerados terroristas pelos Departamento de Estado norte-americano, concluindo que apenas 3 (7%) atingiram os seus objetivos autodeclarados ao longo das décadas. Com um banco de dados de 477 campanhas desde 1968, Cronin (2009) encontra um impressionante índice de fracasso absoluto (ou seja, a incapacidade de alcançar qualquer objetivo estratégico) de 94%, com o grupo terrorista médio durando entre cinco e nove anos. Uma coisa é conseguir a saída temporária de forças de segurança em um território restrito; outra, muito diferente, é separar a Irlanda do Norte do Reino Unido, a Chechênia da Rússia ou instaurar uma utopia anarquista na Europa.
Se a prática de atentados contra civis não parece uma estratégia promissora, talvez poderia ser mais produtivo focar contra as forças de segurança do regime. Chenoweth e Stephan (2011) compilaram 323 campanhas violentas e não-violentas entre 1900 e 2006, encontrando uma taxa de sucesso total ou parcial duas vezes maior entre as segundas do que entre as primeiras (52% x 24%). O resultado permanece mesmo quando se leva em conta fatores como o tipo de regime atingido, as suas capacidades e o nível de repressão. Segundo Chenoweth, campanhas de guerrilha apresentam maiores barreiras físicas, morais e informacionais à participação, que é o aspecto mais importante a definir o sucesso de um movimento. Quanto mais pessoas forem para as ruas, e quanto mais diversos forem os setores que elas representam, maiores as chances de defecção nos setores de apoio de um regime (60% em relação às forças de segurança, no caso das maiores campanhas), backfiring em caso de repressão (que tem uma chance 22% maior de ocorrer se o movimento for pacífico) e sanções internacionais. Também nesse sentido, desafios pacíficos a governos latino-americanos tendem a ser respondidos com concessões, enquanto desafios violentos são reprimidos (FRANKLIN, 2009)
Bom, então não há dúvidas: a violência é definitivamente contraprodutiva, certo? Na verdade, as coisas não são tão simples assim. As pesquisas de Chenoweth fazem uma divisão dicotômica entre grupos insurgentes armados e manifestações pacíficas. A codificação de violência em sua amostra é derivada a partir do conjunto de dados “Correlates of War” (COW), que só inclui conflitos em que todos os combatentes estão armados e ocorrem ao menos mil mortes em batalha. No entanto, atos estratégicos de violência podem ocorrer em meio a movimentos majoritariamente não-violentos, como o arremesso de objetos contra policiais, tumultos e destruição de propriedades públicas e privadas. O estudo desse fenômeno, denominado “violência coletiva desarmada”, ainda é bem incipiente. Analisando 103 regimes não-democráticos entre 1990 e 2004, Kadivar e Ketchley (2018) descobrem que esse tipo de ação é positivamente associada à incidência de abertura política, medida como um aumento de até três pontos no score da Polity IV. Além disso, referindo-se à base de dados de campanhas não-violentas utilizada por Chenoweth, os autores apontam que muitos delas, como os protestos no Chile, na Polônia, na Sérvia e em Madagascar, na verdade fizeram uso extensivo da violência coletiva desarmada.
O trabalho de Kadivar e Ketchley (2018) é confirmado por alguns estudos empíricos, mas não por outros. De acordo com Aidt e Leon (2016), tumultos causados por secas aumentam as chances de redemocratização em países da África subsaariana. Bermeo (1997) descobre que a ocupação violenta de fábricas e depredações generalizadas fortalecem a posição de forças moderadas durante suas negociações com regimes autoritários. No caso de concessões em regimes democráticos, McAdam e Su (2002) concluem que protestos mais extremos contra a Guerra do Vietnã aumentaram a fração de votos de congressistas a favor da paz, apesar de terem tornado o processo legislativo mais vagaroso. Por sua vez, manifestações maiores e pacíficas tiveram o efeito contrário, reduzindo a porcentagem de votos pacifistas, mas acelerando as discussões no Congresso. Na França, há evidências de que atos específicos de violência foram produtivos no contexto de greves (SHORTER E TILLY, 1971); na Itália, os efeitos foram opostos (SNYDER E KELLY, 1976). As pesquisas dos anos 70 sobre o efeito de quebra-quebras nas comunidades negras dos EUA têm resultados contraditórios entre si (GIUGNI, 1998).
Nesse campo, o estudo de Huet-Vaughn (2015) chama a atenção. O autor critica boa parte da literatura citada por não ter utilizado variáveis instrumentais para controlar uma possível relação de endogeneidade. Lançando mão dos índices de pluviosidade e a frequência de feriados na França, que reduziriam a incidência de destruição de propriedade por, respectivamente, desencorajarem a prática de atividades fisicamente exaustivas e afastarem os jovens das manifestações, Huet-Vaughn encontra uma relação negativa entre depredações e índices de mudança de política. Ainda assim, ele reconhece que mais pesquisas são necessárias na área. Portanto, os estudos sobre violência política de baixo nível, quer seja na forma de tumultos generalizados ou de atos de depredação em meio a manifestações predominantemente pacíficas, ainda não permitem uma conclusão muito sólida.
Talvez essa discussão meio bizantina dê vontade de simplesmente pegar um revólver e mandar o presidente para a vala. Vejamos no que isso poderia dar. Jones e Olken (2007) compilaram uma base de dados com todas as tentativas de assassinato de chefes de Estado entre 1875 e 2004 – 278, dos quais apenas 59 resultaram em morte. O assassinato bem-sucedido de ditadores aumenta em 13% a chance de transição democrática em comparação com casos mal-sucedidos; enquanto o assassinato de presidentes democráticos não altera a natureza das instituições políticas. De fato, um tiro bem dado em um autocrata leva a uma probabilidade 19% maior de que transferência de poder no futuro ocorram de forma regular; a morte de um líder democrata, novamente, não tem esse efeito. A tendência maior de democratização pode ser observada até 10 anos depois do ato. Resumindo, portanto, o que a ciência política sabe até agora sobre a eficácia política da violência: Terrorismo contra civis praticamente nunca dá certo.
Guerras de guerrilha malogram em ¾ das ocasiões, com a metade da taxa de sucesso de movimentos primariamente não-violentos.
Atos específicos de depredação no bojo de protestos pacíficos têm efeitos bastante controversos (achei mais estudos que encontravam efeitos positivos do que negativos, mas entre os últimos está aquele que aparenta ser mais metodologicamente rigoroso, embora limitado do ponto de vista geográfico).
Mandar um ditador comer capim pela raiz (o que não é nada fácil, já que tentativas de assassinato têm um índice de fracasso de 75%) aumenta significativamente as chances de redemocratização, mas matar um democrata não tem efeito nenhum.
AVISO: EVITEI POSTAR O NOME DO SUJEITO POR CONTA DA PRIVACIDADE DO AUTOR E DE SEU USUÁRIO, PORÉM SE ELE SENTIR CONFORTÁVEL, POSSO COLOCAR OS CRÉDITOS.
submitted by Prismatta to brasil [link] [comments]


2020.05.22 12:35 diplohora Grupo Ubique - curso de PI com diplomata Romulo Neves_ CACD2020

Post original do Facebook
Detalhes sobre o Curso Preparatório de Política Internacional para o CACD 2020, que começa no próximo sábado, dia 23/05.
O curso foi elaborado para que você estude de maneira inteligente para o CACD e esteja habilitado a discorrer com segurança sobre os principais temas da agenda internacional, sem perder tempo selecionando temas e selecionando material relevante. Nós organizamos o conteúdo de maneira coerente e sintética para você.
Um dos objetivos do curso é o de ajudá-lo a superar aquela sensação de estar deixando algo para trás ou de se sentir afogado por tanta informação.
As aulas cobrirão os 30 principais temas da agenda internacional. Uma aula semanal, com dois temas, com duração de 2h a 2h30, para cobrir toda a agenda internacional contemporânea.
Por favor, leia atentamente as informações abaixo, sobre os detalhes do curso. Se não encontrar alguma informação relevante, não hesite em entrar em contato novamente pelo e-mail [email protected]
A matrícula estará disponível a partir de quarta-feira, dia 20/05, e poderá ser paga por meio de cartão de crédito ou Pay Pal na página do Grupo Ubique.
Como está organizado o curso? Quem é o professor? Qual é a frequência das aulas? Com funcionam as aulas? Com funciona o acesso às aulas? Quando começa o curso? Posso assistir à aula várias vezes? Por que é um curso específico de Política Internacional? Por que as aulas sobre cada tema têm apenas 1h-1h15 de duração? Como devo assistir às aulas? Além das aulas, haverá alguma outra interação com o professor? As aulas tratarão dos temas em relação ao Brasil? Posso interromper o curso? Qual a duração do curso? Quanto custa o curso? Tem desconto de lançamento? Que recursos complementares terei acesso como aluno do curso de Política Internacional? Haverá biliografia complementar? Quais são os temas das aulas do curso?
Como está organizado o curso? São 16 aulas, uma por semana, cobrindo os 30 assuntos mais importantes da agenda internacional. As aulas sintetizam e estruturam os principais elementos de cada assunto, habilitando o aluno a responder questões de múltipla escolha, mas também, e principalmente, a discorrer com segurança em questões discursivas sobre os assuntos abordados. Além dos 30 principais temas da agenda internacional, haverá uma aula sobre o método de preparação e uma aula bônus, sobre as alterações nos fluxos do comércio global nos últimos 10 anos.
Quem é o professor? O professor Rômulo Neves é diplomata de carreira, há 15 anos, tendo servido na Venezuela, Suriname, Etiópia e, atualmente, no Paquistão. Fui ainda Chefe da Divisão da Sociedade da Informação e da Divisão de Oceania. Tem 14 anos de experiência docente, tendo lecionado nos curso de Sociologia na UnB; de Relações Internacionais no IESB, UDF e UniCeub e de Direito na Uniplac. É formado em Ciências Sociais, pela USP, com especialização em Economia e Relações Internacionais e mestrado em Sociologia, pela mesma universidade. É mestre em Diplomacia pelo Instituto Rio Branco, tendo ganhado o Prêmio Araújo Castro pela dissertação de Mestrado. Foi aluno do curso de doutorado em Sociologia, da UnB, tendo trancado em função de transferência ao exterior. Foi jornalista, cobrindo Economia, nos jornais Gazeta Mercantil e Folha de São Paulo.
Qual é a frequência das aulas? Uma aula semanal, cobrindo dois temas da agenda internacional.
Com funcionam as aulas? As aulas com duração de 2h a 2h30 estão estruturadas para dar ao aluno um completo panorama de cada tema, habilitando-o a compreender os principais elementos dos assuntos tratados e montar sua própria linha de raciocínio. Por essa abordagem, detalhes e informações complementares, que também aparecerão nas aulas, podem ser usados como ilustração dos pontos, mas não são o foco da preparação. Não se trata de um compêndio de detalhes, mas de compreender as chaves de compreensão dos temas. Cada aula apresenta os fatos relevantes para cada tema da agenda, os interesses subjacentes, as disputas em andamento e a estrutura dos principais problemas em cada um dos temas. As aulas foram estruturadas para que não seja necessário recorrer a material externo para que o estudante domine a estrutura do tema e possa elaborar um texto próprio sobre cada um dos temas tratados. As provas subjetivas do CACD não são testes de memória, mas uma avaliação sobre a sua capacidade de compreensão dos principais temas da agenda internacional e sua habilidade em elaborar um texto estruturado sobre esses temas. As aulas trabalham essa capacidade. Ao final de cada aula, é apresentada uma lista com os principais pontos tratados, para auxiliar o processo de fixação da estrutura. Os alunos poderão enviar questões por e-mail, logo depois da aula. As respostas às questões estruturais mais importantes e relevantes serão enviadas a toda a turma ao longo da semana seguinte. Espera-se que, se o candidato tem uma curiosidade pessoal específica sobre alguma questão pontual ou detalhes complementares, ele possa buscar a informação por meio de pesuisa própria. Recorda-se, porém, que o concurso cobre uma quantidade muito abrangente de disciplinas, e todo o tempo disponível deveria ser dedicado à preparação eficiente em todas elas. No caso da disciplina de Política Internacional Contemporânea, com pouquíssimas exceções, detalhes complementares não são relevantes para a preparação para as provas do CACD.
Com funciona o acesso às aulas? Depois de efetivada a matrícula, o aluno receberá uma senha para acessar a área do aluno na página do Grupo Ubique (www.grupoubique.com.br), onde suas aulas poderão ser acessadas.
Quando começa o curso? O curso começa no sábado, dia 23/05. A aula do sábado será ao vivo, mas quem não puder assistir a aula no sábado, poderá assistir a reprise que estará acessível da manhã da quarta-feira seguinte até a noite de sexta-feira, para acesso no horário mais conveniente do aluno. Quem adquirir o curso posteriormente, vai iniciar o curso a partir do momento da aquisição, com a disponibilização de uma aula por semana, na ordem dos outros alunos.
Posso assistir à aula várias vezes? Os alunos terão acesso uma vez à aula da semana em horário à sua escolha no período de quarta à sexta, posterior à aula ao vivo no sábado. Os alunos que assistirem à aula ao vivo, terão acesso mais uma vez no período citado. Os alunos que optarem por assistirem no período de quarta à sexta, terão acesso apenas uma vez à aula. Durante o acesso, é possível pausar e voltar a apresentação quantas vezes quiser, mas uma vez desconectado, não haverá a possibilidade de novo acesso. Esse formato foi definido em razão de 3 fatores: i) o curso foi desenvolvido para você economizar tempo e estudar de maneira eficiente. Não é esperado que você decore o conteúdo, mas que consiga, a partir de suas anotações desenvolver sua própria narrativa sobre o ponto, incluir o conhecimento em seu repertório, num formato que faça sentido para você; ii) não é desejável que o aluno fique assitindo várias vezes o mesmo conteúdo, levando em consideração a quantidade de material a ser estudado para o concurso e; iii) infelizmente, o compartilhamento e a pirataria de material didático é uma constante no ambiente dos concursos. Mesmo matendo o preço o mais acessível possível, o risco de compartilhamento indevido de material é muito alto, mesmo que a prática seja desonesta e pouco inteligente, já que aumenta artificialmente a vantagem dos concorrentes (o termo de uso assinado no momento da matrícula citará o impedimento de reprodução). Assim, como uma aula presencial, o aluno terá acesso uma vez ao conteúdo, com exceção daqueles que assistirem à aula ao vivo no sábado. Mas todos os alunos que participarem do curso vão ter acesso uma vez mais a todas as aulas do curso, ao final das aulas. Assim, uma última revisão de algum tema específico será possível para todos os alunos.
Por que é um curso específico de Política Internacional? Porque se trata da disciplina mais trabalhosa para o candidato selecionar o material relevante e organizar seus estudos. Muitas vezes os estudantes perdem mais tempo garimpando material do que propriamente estudando. Como a disciplina é formada por pontos nos quais os 2 ou 3 anos anteriores podem ser cruciais, não há biliografia atualizada para cobrir todos os pontos essenciais de cada tema. Assim, o acompanhamento do material publicado na imprensa é essencial. E seguirá sendo. O curso, entretanto, vai habilitar o candidato a identificar rapidamente o que é relevante no material publicado na imprensa em cada tema, bem como agregar eventuais novas informações a uma análise estruturada, que estará habilitado a realizar a partir do curso. Em suma, o estudante não apenas estará preparado para discorrer sobre os temas estudados em qualquer circunstância, como também a economizar tempo, identificando o que é e o que não é relevante no material publicado na imprensa em cada tema. O curso é indicado para todos os estudantes que queiram economizar tempo para cobrir a bibliografia das outras disciplinas cobradas no concurso. Para as outras disciplinas, a bibliografia contida nos editais cobre bem o conteúdo.
Por que as aulas sobre cada tema têm apenas 1h a 1h15 de duração? As provas discursivas nos concursos públicos não são compostas de perguntas que avaliam apenas o conteúdo da disciplina, mas a capacidade de articulação e expressão dos candidatos. Assim, tão ou mais importante do que conhecer todos os detalhes de determinado assunto, é crucial identificar quais são os principais pontos de inflexão e como é possível interligar os diferentes assuntos da agenda internacional. Aulas expositivas de 3h ou 4h geralmente se perdem em detalhes que podem parecer centrais, mas são apenas acessórios e prejudicam a preparação do candidato, roubando foco e tempo. O objetivo é habilitar o candidato a articular os temas, discorrer sobre os principais aspectos que conformam aquela agenda e não a escrever um compêndio de detalhes. Lembre-se, você fará provas de outras disciplinas cuja natureza - de conteúdo estruturado em livros texto - é mais própria ao tratamento do detalhe do detalhe do que a prova de Política Internacional. É improvável que as questões de uma prova discursiva de Política Internacional se limitem a detalhes de aspectos secundários. O foco deve ser a compreensão da agenda, dos principais interesses em jogo e dos pontos de transição e inflexão. Fatos pitorescos podem ser um adendo interessante, mas dificilmente serão o cerne de uma resposta bem avaliada nessas provas. Assim, o foco do curso é na compreensão da estrutura dos assuntos, onde os pontos de inflexão servem para o encadeamento da análise e não como curiosidades secundárias. Obviamente, informações complementares estarão presentes nas aulas, mas como ilustração da estrutura do tema e não como a estrutura em si. Quanto mais claro estiverem os conceitos centrais, mais o estudante pode compreender a função de informações complementares na estutura de sua resposta. As aulas são relativamente curtas exatamente para ajudá-lo a controlar e aproveitar melhor o seu tempo. Não se perca no planejamento.
Como devo assistir às aulas? As aulas estão estruturadas com a apresentação de um conjunto de eventos e informações que se interligam e se conectam para uma compreensão da agenda de maneira integral. Assim, espera-se que o estudante: i) separe o tempo para assistir à aula de maneira integral, evitando interrupções ou distrações durante a aula. ii) tome notas dos principais temas apresentados. A tomada de notas estrutura o tema a partir de sua percepção. As notas fixam em sua memória o encadeamento e o desenvolvimento dos fatos. Não se trata de reescrever a totalidade da aula, mas de anotar os principais conceitos e tópicos para fixação e recuperação futura. iii) posteriormente, releia suas anotações e escreva um texto de três laudas sobre a sua compreensão sobre o tema. Este texto é a base de sua compreensão daquele tema da agenda. É o conteúdo que fará parte permanentemente de seu repertório. Em qualquer questão da prova que trate daquela temática, esses elementos poderão ser usados, com pequenas variações de ênfase, para estruturar sua resposta.
Além das aulas, haverá alguma outra interação com o professor? As principais perguntas do conjunto de estudantes, de elementos estruturais dos temas tratados nas aulas, recebidas por e-mail, serão respondidas antes da próxima aula e serão disponibilizadas em área específica no site do Grupo Ubique. Além disso, o estudante terá direito a submeter um de seus textos a cada 4 semanas para correção e comentários da equipe do Ubique.
As aulas tratarão dos temas em relação ao Brasil? Nos temas em que for relevante, serão tratadas as posições internacionais do Brasil em relação ao tema. Na maioria dos temas, será apresentada de maneira sintética como aquele tema afeta o Brasil e seus interesses.
Posso interromper o curso? Caso tenha algum problema que o impeça de seguir o calendário de aulas, é necessário que informe por e-mail sobre a impossibilidade de seguir o calendário e solicite a suspensão da disponibilização das aulas. Para retomar a disponibilização, será preciso enviar um novo e-mail. O curso será retomado no ponto onde foi suspenso.
Qual a duração do curso? O curso terá duração de 16 semanas, a fim de habilitar os candidatos a participarem da 3.a fase do CACD 2020 tendo assistido a todas as aulas.
Quanto custa o curso? O curso custará R$ 1.200,00, com duração total de 4 meses, ou seja R$ 300 por mês. O pagamento poderá ser feito por meio de cartão de crédito ou Pay Pal.
Tem desconto de lançamento? Sim. Para os alunos que contratarem o curso até 22/05, há um desconto de 10%, o que resultado no custo total de R$ 1.080,00, ou seja R$ 270,00 por mês
Que recursos complementares terei acesso como aluno do curso de Política Internacional? Alunos do curso de Política Internacional terão direito a i) uma correção por mês de um texto de um tema, à escolha do candidato; ii) desconto de 40% na primeira compra dos serviços de correção do Ubique de textos e redações; iii) uma aula de mentoria para preparação do concurso, com o Prof. Marcílio Falcão, do Ubique; iv) 30% de desconto na correção do simulado de prova de PI a sere realizado pelo Ubique, no final do curso. Os candidatos inscritos no curso também receberão 2 aulas bônus: uma no início do curso, com dicas sobre como estudar Política Internacional, e outra no final do curso sobre Alterações no Fluxo Global de Comércio nos últimos 10 anos.
Haverá bibliografia complementar? O objetivo do curso é economizar o tempo do candidato. O curso parte da avaliação que a bibliografia existente não dá conta dos temas a serem estudados, pois precisariam obrigatoriamente ser complementada com muito material estruturado da imprensa, então não faz sentido indicar bibliografia que, por ser incompleta, não resolve o problema do candidato e, ainda toma tempo de preparação para outras disciplinas cujo material sim está organizado numa bibliografia de referência. Cada candidato poderá, caso seja de seu interesse, se aprofundar em determinado tema, mas o objetivo do curso é preparar os alunos para estruturar as grandes linhas dos principais temas da agenda internacional e não discorrer sobre os detalhes complementares de cada um desses temas. Em suma, o curso não seguirá nenhuma bibliografia de referência, porque já é a síntese de extensa bibliografia, complementada pela estruturação do material publicado na imprensa internacional, cuja leitura integral neste momento não é produtiva para a preparação do aluno.
Quais são os temas das aulas do curso? A lista com os 30 principais temas da agenda internacional, que serão tratados nas aulas, será enviada para os alunos no momento de sua matrícula. A lista é extensiva e almeja cobrir todos os principais pontos da agenda internacional. A própria lista é um plano de estudos detalhado, que ajudará o candidato a se sentir seguro e preparado para a prova de Política Internacional Contemporânea
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.05.22 12:33 diplohora Curso de PI com Romulo Neves -Grupo Ubique (2020)

Post original no Facebook
Detalhes sobre o Curso Preparatório de Política Internacional para o CACD 2020, que começa no próximo sábado, dia 23/05.
O curso foi elaborado para que você estude de maneira inteligente para o CACD e esteja habilitado a discorrer com segurança sobre os principais temas da agenda internacional, sem perder tempo selecionando temas e selecionando material relevante. Nós organizamos o conteúdo de maneira coerente e sintética para você.
Um dos objetivos do curso é o de ajudá-lo a superar aquela sensação de estar deixando algo para trás ou de se sentir afogado por tanta informação.
As aulas cobrirão os 30 principais temas da agenda internacional. Uma aula semanal, com dois temas, com duração de 2h a 2h30, para cobrir toda a agenda internacional contemporânea.
Por favor, leia atentamente as informações abaixo, sobre os detalhes do curso. Se não encontrar alguma informação relevante, não hesite em entrar em contato novamente pelo e-mail [email protected]
A matrícula estará disponível a partir de quarta-feira, dia 20/05, e poderá ser paga por meio de cartão de crédito ou Pay Pal na página do Grupo Ubique.
Como está organizado o curso? Quem é o professor? Qual é a frequência das aulas? Com funcionam as aulas? Com funciona o acesso às aulas? Quando começa o curso? Posso assistir à aula várias vezes? Por que é um curso específico de Política Internacional? Por que as aulas sobre cada tema têm apenas 1h-1h15 de duração? Como devo assistir às aulas? Além das aulas, haverá alguma outra interação com o professor? As aulas tratarão dos temas em relação ao Brasil? Posso interromper o curso? Qual a duração do curso? Quanto custa o curso? Tem desconto de lançamento? Que recursos complementares terei acesso como aluno do curso de Política Internacional? Haverá biliografia complementar? Quais são os temas das aulas do curso?
Como está organizado o curso? São 16 aulas, uma por semana, cobrindo os 30 assuntos mais importantes da agenda internacional. As aulas sintetizam e estruturam os principais elementos de cada assunto, habilitando o aluno a responder questões de múltipla escolha, mas também, e principalmente, a discorrer com segurança em questões discursivas sobre os assuntos abordados. Além dos 30 principais temas da agenda internacional, haverá uma aula sobre o método de preparação e uma aula bônus, sobre as alterações nos fluxos do comércio global nos últimos 10 anos.
Quem é o professor? O professor Rômulo Neves é diplomata de carreira, há 15 anos, tendo servido na Venezuela, Suriname, Etiópia e, atualmente, no Paquistão. Fui ainda Chefe da Divisão da Sociedade da Informação e da Divisão de Oceania. Tem 14 anos de experiência docente, tendo lecionado nos curso de Sociologia na UnB; de Relações Internacionais no IESB, UDF e UniCeub e de Direito na Uniplac. É formado em Ciências Sociais, pela USP, com especialização em Economia e Relações Internacionais e mestrado em Sociologia, pela mesma universidade. É mestre em Diplomacia pelo Instituto Rio Branco, tendo ganhado o Prêmio Araújo Castro pela dissertação de Mestrado. Foi aluno do curso de doutorado em Sociologia, da UnB, tendo trancado em função de transferência ao exterior. Foi jornalista, cobrindo Economia, nos jornais Gazeta Mercantil e Folha de São Paulo.
Qual é a frequência das aulas? Uma aula semanal, cobrindo dois temas da agenda internacional.
Com funcionam as aulas? As aulas com duração de 2h a 2h30 estão estruturadas para dar ao aluno um completo panorama de cada tema, habilitando-o a compreender os principais elementos dos assuntos tratados e montar sua própria linha de raciocínio. Por essa abordagem, detalhes e informações complementares, que também aparecerão nas aulas, podem ser usados como ilustração dos pontos, mas não são o foco da preparação. Não se trata de um compêndio de detalhes, mas de compreender as chaves de compreensão dos temas. Cada aula apresenta os fatos relevantes para cada tema da agenda, os interesses subjacentes, as disputas em andamento e a estrutura dos principais problemas em cada um dos temas. As aulas foram estruturadas para que não seja necessário recorrer a material externo para que o estudante domine a estrutura do tema e possa elaborar um texto próprio sobre cada um dos temas tratados. As provas subjetivas do CACD não são testes de memória, mas uma avaliação sobre a sua capacidade de compreensão dos principais temas da agenda internacional e sua habilidade em elaborar um texto estruturado sobre esses temas. As aulas trabalham essa capacidade. Ao final de cada aula, é apresentada uma lista com os principais pontos tratados, para auxiliar o processo de fixação da estrutura. Os alunos poderão enviar questões por e-mail, logo depois da aula. As respostas às questões estruturais mais importantes e relevantes serão enviadas a toda a turma ao longo da semana seguinte. Espera-se que, se o candidato tem uma curiosidade pessoal específica sobre alguma questão pontual ou detalhes complementares, ele possa buscar a informação por meio de pesuisa própria. Recorda-se, porém, que o concurso cobre uma quantidade muito abrangente de disciplinas, e todo o tempo disponível deveria ser dedicado à preparação eficiente em todas elas. No caso da disciplina de Política Internacional Contemporânea, com pouquíssimas exceções, detalhes complementares não são relevantes para a preparação para as provas do CACD.
Com funciona o acesso às aulas? Depois de efetivada a matrícula, o aluno receberá uma senha para acessar a área do aluno na página do Grupo Ubique (www.grupoubique.com.br), onde suas aulas poderão ser acessadas.
Quando começa o curso? O curso começa no sábado, dia 23/05. A aula do sábado será ao vivo, mas quem não puder assistir a aula no sábado, poderá assistir a reprise que estará acessível da manhã da quarta-feira seguinte até a noite de sexta-feira, para acesso no horário mais conveniente do aluno. Quem adquirir o curso posteriormente, vai iniciar o curso a partir do momento da aquisição, com a disponibilização de uma aula por semana, na ordem dos outros alunos.
Posso assistir à aula várias vezes? Os alunos terão acesso uma vez à aula da semana em horário à sua escolha no período de quarta à sexta, posterior à aula ao vivo no sábado. Os alunos que assistirem à aula ao vivo, terão acesso mais uma vez no período citado. Os alunos que optarem por assistirem no período de quarta à sexta, terão acesso apenas uma vez à aula. Durante o acesso, é possível pausar e voltar a apresentação quantas vezes quiser, mas uma vez desconectado, não haverá a possibilidade de novo acesso. Esse formato foi definido em razão de 3 fatores: i) o curso foi desenvolvido para você economizar tempo e estudar de maneira eficiente. Não é esperado que você decore o conteúdo, mas que consiga, a partir de suas anotações desenvolver sua própria narrativa sobre o ponto, incluir o conhecimento em seu repertório, num formato que faça sentido para você; ii) não é desejável que o aluno fique assitindo várias vezes o mesmo conteúdo, levando em consideração a quantidade de material a ser estudado para o concurso e; iii) infelizmente, o compartilhamento e a pirataria de material didático é uma constante no ambiente dos concursos. Mesmo matendo o preço o mais acessível possível, o risco de compartilhamento indevido de material é muito alto, mesmo que a prática seja desonesta e pouco inteligente, já que aumenta artificialmente a vantagem dos concorrentes (o termo de uso assinado no momento da matrícula citará o impedimento de reprodução). Assim, como uma aula presencial, o aluno terá acesso uma vez ao conteúdo, com exceção daqueles que assistirem à aula ao vivo no sábado. Mas todos os alunos que participarem do curso vão ter acesso uma vez mais a todas as aulas do curso, ao final das aulas. Assim, uma última revisão de algum tema específico será possível para todos os alunos.
Por que é um curso específico de Política Internacional? Porque se trata da disciplina mais trabalhosa para o candidato selecionar o material relevante e organizar seus estudos. Muitas vezes os estudantes perdem mais tempo garimpando material do que propriamente estudando. Como a disciplina é formada por pontos nos quais os 2 ou 3 anos anteriores podem ser cruciais, não há biliografia atualizada para cobrir todos os pontos essenciais de cada tema. Assim, o acompanhamento do material publicado na imprensa é essencial. E seguirá sendo. O curso, entretanto, vai habilitar o candidato a identificar rapidamente o que é relevante no material publicado na imprensa em cada tema, bem como agregar eventuais novas informações a uma análise estruturada, que estará habilitado a realizar a partir do curso. Em suma, o estudante não apenas estará preparado para discorrer sobre os temas estudados em qualquer circunstância, como também a economizar tempo, identificando o que é e o que não é relevante no material publicado na imprensa em cada tema. O curso é indicado para todos os estudantes que queiram economizar tempo para cobrir a bibliografia das outras disciplinas cobradas no concurso. Para as outras disciplinas, a bibliografia contida nos editais cobre bem o conteúdo.
Por que as aulas sobre cada tema têm apenas 1h a 1h15 de duração? As provas discursivas nos concursos públicos não são compostas de perguntas que avaliam apenas o conteúdo da disciplina, mas a capacidade de articulação e expressão dos candidatos. Assim, tão ou mais importante do que conhecer todos os detalhes de determinado assunto, é crucial identificar quais são os principais pontos de inflexão e como é possível interligar os diferentes assuntos da agenda internacional. Aulas expositivas de 3h ou 4h geralmente se perdem em detalhes que podem parecer centrais, mas são apenas acessórios e prejudicam a preparação do candidato, roubando foco e tempo. O objetivo é habilitar o candidato a articular os temas, discorrer sobre os principais aspectos que conformam aquela agenda e não a escrever um compêndio de detalhes. Lembre-se, você fará provas de outras disciplinas cuja natureza - de conteúdo estruturado em livros texto - é mais própria ao tratamento do detalhe do detalhe do que a prova de Política Internacional. É improvável que as questões de uma prova discursiva de Política Internacional se limitem a detalhes de aspectos secundários. O foco deve ser a compreensão da agenda, dos principais interesses em jogo e dos pontos de transição e inflexão. Fatos pitorescos podem ser um adendo interessante, mas dificilmente serão o cerne de uma resposta bem avaliada nessas provas. Assim, o foco do curso é na compreensão da estrutura dos assuntos, onde os pontos de inflexão servem para o encadeamento da análise e não como curiosidades secundárias. Obviamente, informações complementares estarão presentes nas aulas, mas como ilustração da estrutura do tema e não como a estrutura em si. Quanto mais claro estiverem os conceitos centrais, mais o estudante pode compreender a função de informações complementares na estutura de sua resposta. As aulas são relativamente curtas exatamente para ajudá-lo a controlar e aproveitar melhor o seu tempo. Não se perca no planejamento.
Como devo assistir às aulas? As aulas estão estruturadas com a apresentação de um conjunto de eventos e informações que se interligam e se conectam para uma compreensão da agenda de maneira integral. Assim, espera-se que o estudante: i) separe o tempo para assistir à aula de maneira integral, evitando interrupções ou distrações durante a aula. ii) tome notas dos principais temas apresentados. A tomada de notas estrutura o tema a partir de sua percepção. As notas fixam em sua memória o encadeamento e o desenvolvimento dos fatos. Não se trata de reescrever a totalidade da aula, mas de anotar os principais conceitos e tópicos para fixação e recuperação futura. iii) posteriormente, releia suas anotações e escreva um texto de três laudas sobre a sua compreensão sobre o tema. Este texto é a base de sua compreensão daquele tema da agenda. É o conteúdo que fará parte permanentemente de seu repertório. Em qualquer questão da prova que trate daquela temática, esses elementos poderão ser usados, com pequenas variações de ênfase, para estruturar sua resposta.
Além das aulas, haverá alguma outra interação com o professor? As principais perguntas do conjunto de estudantes, de elementos estruturais dos temas tratados nas aulas, recebidas por e-mail, serão respondidas antes da próxima aula e serão disponibilizadas em área específica no site do Grupo Ubique. Além disso, o estudante terá direito a submeter um de seus textos a cada 4 semanas para correção e comentários da equipe do Ubique.
As aulas tratarão dos temas em relação ao Brasil? Nos temas em que for relevante, serão tratadas as posições internacionais do Brasil em relação ao tema. Na maioria dos temas, será apresentada de maneira sintética como aquele tema afeta o Brasil e seus interesses.
Posso interromper o curso? Caso tenha algum problema que o impeça de seguir o calendário de aulas, é necessário que informe por e-mail sobre a impossibilidade de seguir o calendário e solicite a suspensão da disponibilização das aulas. Para retomar a disponibilização, será preciso enviar um novo e-mail. O curso será retomado no ponto onde foi suspenso.
Qual a duração do curso? O curso terá duração de 16 semanas, a fim de habilitar os candidatos a participarem da 3.a fase do CACD 2020 tendo assistido a todas as aulas.
Quanto custa o curso? O curso custará R$ 1.200,00, com duração total de 4 meses, ou seja R$ 300 por mês. O pagamento poderá ser feito por meio de cartão de crédito ou Pay Pal.
Tem desconto de lançamento? Sim. Para os alunos que contratarem o curso até 22/05, há um desconto de 10%, o que resultado no custo total de R$ 1.080,00, ou seja R$ 270,00 por mês
Que recursos complementares terei acesso como aluno do curso de Política Internacional? Alunos do curso de Política Internacional terão direito a i) uma correção por mês de um texto de um tema, à escolha do candidato; ii) desconto de 40% na primeira compra dos serviços de correção do Ubique de textos e redações; iii) uma aula de mentoria para preparação do concurso, com o Prof. Marcílio Falcão, do Ubique; iv) 30% de desconto na correção do simulado de prova de PI a sere realizado pelo Ubique, no final do curso. Os candidatos inscritos no curso também receberão 2 aulas bônus: uma no início do curso, com dicas sobre como estudar Política Internacional, e outra no final do curso sobre Alterações no Fluxo Global de Comércio nos últimos 10 anos.
Haverá bibliografia complementar? O objetivo do curso é economizar o tempo do candidato. O curso parte da avaliação que a bibliografia existente não dá conta dos temas a serem estudados, pois precisariam obrigatoriamente ser complementada com muito material estruturado da imprensa, então não faz sentido indicar bibliografia que, por ser incompleta, não resolve o problema do candidato e, ainda toma tempo de preparação para outras disciplinas cujo material sim está organizado numa bibliografia de referência. Cada candidato poderá, caso seja de seu interesse, se aprofundar em determinado tema, mas o objetivo do curso é preparar os alunos para estruturar as grandes linhas dos principais temas da agenda internacional e não discorrer sobre os detalhes complementares de cada um desses temas. Em suma, o curso não seguirá nenhuma bibliografia de referência, porque já é a síntese de extensa bibliografia, complementada pela estruturação do material publicado na imprensa internacional, cuja leitura integral neste momento não é produtiva para a preparação do aluno.
Quais são os temas das aulas do curso? A lista com os 30 principais temas da agenda internacional, que serão tratados nas aulas, será enviada para os alunos no momento de sua matrícula. A lista é extensiva e almeja cobrir todos os principais pontos da agenda internacional. A própria lista é um plano de estudos detalhado, que ajudará o candidato a se sentir seguro e preparado para a prova de Política Internacional Contemporânea.
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.05.21 13:08 HALover9kBR Trabalhos a Fazer e Reais por Hora

Olá, compatriotas! Hello, foreigners visiting!
Gostaria de compartilhar com todos vocês algumas ideias sobre como mensurar investimentos em itens relacionados a entretimento e consumo. Estas ideias que vou expôr a seguir são derivadas do que aprendi acompanhando o trabalho de Horace Dediu em seu site Asymco e podcast The Critical Path. Conclusão ao final, servindo de TL;DR

Jobs to Be Done — Trabalhos a Fazer

A primeira coisa a pensar quando você vai gastar com alguma coisa é “Que trabalho eu quero que este produto faça pra mim?” Pode parecer estranho imaginar que você está contratando um filme, roupa, jogo ou livro pra fazer uma tarefa, mas existe uma analogia fácil de capturar o espírito dessa teoria:
Ninguém quer uma furadeira; o que as pessoas querem é um furo na parede.
Usando esse pensamento, quando você compra um jogo, você não está apenas adquirindo um produto, mas contratando-o para fazer um ou mais dos trabalhos abaixo (lista exemplificativa; os jogos listados em cada item não se aplicam a apenas um):
  1. Entretenimento. Você quer o jogo para se distrair. Ex.: Sonic Mania, usado apenas para passar o tempo.
  2. Conexão social. Você quer o jogo para mediar interação com amigos/estranhos. Ex.: Fortnite, usado como ponto de encontro virtual.
  3. Status social. Você quer o jogo para sinalizar que você tem um certo status social. Ex.: Sekiro, usado como demonstrador de habilidade e coordenação.
  4. Política afirmativa. Você quer o jogo para incentivar uma posição política do desenvolvedor. Ex.: Celeste, usado como forma de conscientização sobre saúde mental.
  5. Estética. Você quer o jogo como peça artística para alimentar sua sensibilidade. Ex.: What Remains of Edith Fintch, usado como literatura interativa.

Reais por Hora

Uma vez que você sabe qual o trabalho que você está contratando o produto para fazer, é mais fácil medir a relação custo/benefício do investimento nesse produto. Esta é uma valoração de cunho pessoal, podendo ser diferente para diferentes pessoas. O exemplo abaixo é um ponto de vista ilustrativo, e será invertido para demonstrar como o referencial altera a fórmula.

O que é mais “barato”: uma entrada de cinema por R$45 ou um jogo de R$200?

Referencial A

Qual trabalho você contratou o cinema pra fazer? Usando entretenimento como única medida, ir ao cinema é um investimento de R$22.50 por hora, grosseiramente. E o jogo? Dependendo do jogo, pode ser um investimento de R$5 por hora — no caso de um AAA que renda 40hs de entretenimento.
(Nos dois exemplos há horas não contabilizadas de discussão, pesquisa, fanart e leitura além do cânone, mas não foram consideradas em nenhum dos dois casos para simplificar o exemplo.)

Referencial B

Caso o trabalho que você contrata o cinema para fazer seja social, como evento de interação e participação com outros indivíduos, a conta se altera. Você tem o encontro antes do filme, a experiência compartilhada do filme e a discussão depois. Além disso, ao ver um filme de elevado hype, você também está contratando o cinema como sinalizador de status, pois está consumindo um produto cultural antes de outras pessoas.
Medidas similares podem ser usadas para um jogo: ele pode ser contratado como uma ferramenta social, de integração com um grupo, ou como um sinalizador de status, como produto de consumo cultural.
Estas medidas são muito menos objetivas que a de reais por hora de entretenimento, mas são importantes e devem ser levadas em consideração.

Por que as pessoas gastam dinheiro com “roupinhas” em jogos?

Esta é uma pergunta que eu sempre me fiz: o que leva uma pessoa a pagar dinheiro de verdade por um item num jogo? Trabalhos a fazer podem indicar melhor o que motiva esse tipo de transação.
Uma skin em Fortnite não é um produto muito diferente do que uma roupa Calvin Klein, ou um sapato Louboutin. As pessoas que os adquirem não estão contratando esses produtos para fazer um trabalho pragmático, mas para servirem como sinalizadores de status, lubrificantes sociais e representações intangíveis de sua personalidade. Esse é um valor pouco tangível e altamente pessoal, sendo de difícil comunicação objetiva.

Um momento para Maslow

Essa discussão certamente soa como vácuo de significado para qualquer um que saiba o que é conviver com dificuldades para suprir necessidades básicas como comida, abrigo ou medicamentos. Tal postura é uma reação natural e compreensível, e devemos concordar que uma pessoa que precisa satisfazer suas necessidades mais básicas não vai se preocupar com sinalizadores de status da mesma forma que alguém inserido num contexto de abundância.
Ocorre, por outro lado, que é natural uma pessoa ter níveis de satisfação como os representados na pirâmide de Maslow. Nessa perspectiva, não é produtivo fazer juízo de valor quanto ao comportamento humano, se imaginarmos que nossas necessidades básicas, uma vez supridas, tendem a resultar na busca de novas necessidades, menos pragmáticas e socialmente questionáveis por grupos externos.

Conclusão

Antes de investir em algum produto, vale a pena gastar algum tempo cogitando a relação ampla custo/benefício que você vai derivar desse produto, considerando que trabalhos você o está contratando para fazer. Essa postura ajuda no processo decisório, confere mais segurança nas ações e reduz a intensidade de arrependimento posterior.
Acima de tudo, pode resultar em consumo consciente e, idealmente, em menos consumo.
submitted by HALover9kBR to brasil [link] [comments]


2020.05.16 18:06 epilef_backwards Sobre memórias (ou como Steins;Gate fez algo único na história dos animes).

Sobre memórias (ou como Steins;Gate fez algo único na história dos animes).
Ninguém sabe o que o futuro reserva. É por isso que as possibilidades são infinitas.
É clicando com o botão direito e, imediatamente após, selecionando a opção de loop na OST "Christina I", belíssima instrumental composta pelo gênio do piano Abo Takeshi, que, em meio às lágrimas que rapidamente me vêm aos olhos ao relembrar do episódio 22, inicio a escrita da análise desse show. Devo avisar, de antemão, que Steins;Gate, animação que adapta a visual novel de mesmo nome, dirigido por Takuya Satō , não é um anime para qualquer um. Como bem dito por Thalius, ser para todos não significa ser para qualquer um. Essa citação, em particular, uma das minhas preferidas, cabe à animação não porque ela trata de assuntos supostamente incrivelmente complexos como o tempo, mas, sim, porque ela apresenta diversas camadas e níveis de entretenimento. É, sim, possível se entreter apenas com a camada mais superficial, aquela que apresenta uma história sci-fi sobre viagem no tempo, no entanto, o aproveitamento da mensagem real do anime só é despertado quando você adentra às profundezas de Steins;Gate. Para iniciar, é bem verdade que a presença de temas profundos e, mesmo, desconhecidos pela ciência atual pode parecer um tanto quanto amedrontador e até desencorajador, principalmente para aqueles que não estão acostumados com termos científicos ou não se interessam tanto pelas ciências "exatas". Felizmente, temos o primeiro acerto de Steins;Gate nesse ponto, e o início das características que o diferem de qualquer outro anime existente, pois o anime se prende apenas na intensidade necessária aos conceitos e explanações que supostamente deveriam ser complexas. Isso é inteligente por parte dos roteiristas, pois são apresentados, sim, momentos explanatórios sobre uma máquina que eles irão construir, sobre os conceitos utilizados nessa máquina ou, mesmo, sobre o funcionamento de certos princípios essenciais para o nosso entendimento;contudo, o anime nunca faz isso parecer monótono ou mais complicado do que é. Muito pelo contrário: Steins;Gate faz um trabalho excepcional em explicar os conceitos necessários à trama de maneira simples e compacta, sem necessidade de longos diálogos e/ou complicações extraordinários só para "cultizar" os personagens que realizam a explicação (sim, Sword Art Online: Alicization, eu estou olhando para você neste exato momento; para você e, principalmente, para a explicação longínqua, monótona e confusa sobre o funcionamento do mundo de realidade virtual apresentado na temporada). Desse modo, Steins;Gate consegue estabelecer rapidamente os conceitos principais que regem o show sem fazer parece-los bichos de sete cabeças, o que poderia, e, provavelmente, iria, afastar muitos indivíduos.
Outra qualidade louvável, ainda no mesmo plano da última, é a capacidade da animação em flutuar em um tema complexo como viagem no tempo e não apresentar furos no roteiro que embaralham a trama, fazendo que ela fique confusa e desconexa. Ao meus eu jamais tinha encontrado uma animação sobre viagens no tempo que não apresentasse sequer um furo de roteiro quando se trata de diversas linhas temporais. E exemplos contrários não faltam, incluindo o mundo fora das animações japoneses (a série The Flash, por exemplo, apresenta um roteiro fraco e repetitivo, no entanto, o que faz da experiência muito desagradável são os constantes furos criados pelo excesso de personagens indo e vindo em linhas do tempo que aparentemente são infinitas, porém, insuficientes para o roteiro, o qual usa e abusa em todos os níveis desse artifício do gênero). Isso é muito importante na consistência e no envolvimento com a obra, pois, assim que sabemos que o roteiro utiliza a viagem no tempo mais como artifício barato para resolver qualquer problema que apareça para ele, nosso senso de importância e de gravidade é drasticamente reduzido, uma vez que sabemos que, assim que o roteiro precisar, é só aparecer um personagem onisciente do futuro que irá resolver os problemas. Uma outra possibilidade de furo de roteiro causada pelo fator viagem no tempo é essa aparente onipresença de personagens que a utilizam. Em fato, talvez esse seja o maior problema nas histórias de viagem no tempo: personagens aparecem do nada e, bem como apareceram, começam a contar absolutamente tudo que irá acontecer, o que incluí detalhes impossíveis de serem lembrados. Tás posto um exemplo de ilustração: personagem A volta à linha do tempo que irá acontecer X evento de maneira a impedir aquele evento (lembrem-se, portanto, que é a primeira vez dela ali, o que significa que ela apenas tem noção de um PANORAMA sobre o futuro) e, de modo a confirmar que veio do futuro, diz que um copo de vidro irá ser derrubado e quebrado em exatos 5 segundos. Após os 5 segundos, bem como previsto por A, o copo é derrubado e, consequentemente, quebra ao tocar o chão. A pergunta mais simples e impossível de ser respondida é: como ela sabia do copo? Por acaso vir do futuro entrega à personagem conhecimento absoluto do que aconteceu antes? Sem contar que, em muitos casos, A sequer EXISTIA no momento que essa cena acontece, o que torna IMPOSSÍVEL o conhecimento do evento em questão. Esse truque é constantemente utilizado na parte da "solução do futuro distópico" e, por si só, não apresenta grande problema, o problema se instaura quando esse artifício compõe 90% das formas como a trama se resolve, pois fica clara a inabilidade do roteirista em utilizar sua criatividade e capacidade de escrever uma história no que tange à solução de problemáticas. Em suma, o problema não é haver um viajante do tempo que dá uma pista sobre ou soluciona certa problemática, o problema é só haver um viajante do tempo que dá uma pista sobre ou soluciona certa problemática. Quanto a isso, Steins;Gate dá uma aula de como resolver essa "intrincada do viajante do tempo", utilizando-se de uma série de artifícios narrativos para desviar o excessivo uso do já citado viajante. Em primeiro lugar, existem apenas dois personagens que possuem um conhecimento "sobrenatural": o protagonista, Okabe, e John Titor, aqui na pele de Suzuha, uma das personagens secundárias do show. Isso implica diretamente em dois fatores que devem ser de extrema atenção: existem menos personagens para furar o roteiro, uma vez que, quanto mais personagens transitam pelas linhas, mais fácil é do roteiro se perder em meio a tanta informação e o roteiro precisará de outras maneiras para resolver problemas, já que como se não fosse absurdo suficiente 20 personagens sabendo sobre linhas resolverem misticamente qualquer problema da trama, mais absurdo, ainda, é imaginar que apenas 2 o farão. Desse modo, Steins;Gate decide traçar um caminho que, embora seja mais complexo de ser realizado, pode entregar um resultado excepcional no final da obra. E felizmente é isso que acontece. Diferentemente das demais obras de viagem temporal, Steins;Gate apresenta um roteiro muito apurado e astuto, uma vez que ele se utiliza de personagens que já conhecemos como aqueles que irão, em um futuro, ter sapiência sobre tais viagens. Isso significa que os personagens que irão "dominar" o tempo já estão na trama, só precisamos dar tempo a eles para eles o dominarem. Em outras palavras: em teoria, temos somente dois personagens que sabem sobre viagens e máquinas do tempo e outras linhas temporais, no entanto, ao longo da própria história daquela linha do tempo, outros personagens também terão esses conhecimentos. Esse truque fica explícito na cena em que Daru reconstrói a máquina do tempo. Em um primeiro momento, poderíamos imaginar que ali se alocava um furo de roteiro, uma vez que, mesmo ele sendo colocado com um grande conhecedor de máquinas, programação e mecânica no geral, é surreal alguém construir um objeto que será criado anos a frente. Contudo, assim que imaginamos a pensar isso, recebemos a informação que o Daru será o construtor da máquina, o que significa que há parte do "DNA" dele nela, ou seja, a maneira de pensar dele, de montar máquinas própria do personagem, o que explica como ele conseguiu consertá-la. Outra "esperteza" do roteiro é criar um porto seguro, ou seja, aquele personagem que, independente da linha temporal, irá conseguir entender o que o viajante do tempo fala. Eu normalmente não gosto desse artifício, uma vez que ele é usado de maneira porca na maioria dos casos, pois, geralmente, não há nenhuma explicação lógica para aquela personagem em específica acreditar no viajante do tempo. No entanto, Steins;Gate não é a maioria dos casos. Aqui, temos a personagem Kurisu como sendo o porto seguro do personagem principal ao longo da sua caminha de construção e desconstrução da linha temporal. E tinha que ser ela, justamente porque ela é quem apresenta o conhecimento "bruto" sobre tais assuntos, ela é quem desenvolveu a máquina de saltos temporais. Ou seja, a escolha do roteiro foi exata e faz que não duvidemos da autenticidade do fato dela aceitar e entender o que o Okabe fala sempre que ele salta de uma linha para outra.
Saindo puramente dos aspecto envolvendo viagens e saltos temporais, o anime mostra novamente como possuir um roteiro sólido é uma das bases para a construção de uma obra-prima. Percebam como nada acontece em apenas um plano em Steins;Gate. Utilizando os dois exemplos citados no parágrafo acima, enquanto o roteiro anula a possibilidade de haver incongruências temporais ao trazer à tona que Daru foi o construtor da linha do tempo, ele cria um dos muitos plot twists da série; enquanto o roteiro utiliza Kurisu como o porto seguro do próprio roteiro para servir como alguém que aceita e ajuda o protagonista após o salto, ele insere os momentos mais profundos de desenvolvimento do casal e da sua relação, bem como aproxima ambos os personagens dos espectadores ao gerar um senso de humanidade e sentimentalidade nos dois. Sempre que pensamos que estamos encarando uma camada do show, seja um plot twist ou outro artifício do roteiro, temos, ao menos, mais uma outra camada acontecendo ao mesmo tempo. Desse modo, nada em Steins;Gate é único, gratuito, não existem cenas por conta própria, todas elas servem aos plots da animação mesmo que em camadas mais escondidas dos espectadores. Um exemplo claro são os D-mails: enquanto eles claramente servem como preparação para o plot da metade do anime, por trás deles temos a ideia de o quanto enviar uma simples mensagem pode alterar com a vida de milhares e, por que não, bilhares de pessoas. Um simples D-mail alterou por completo o bairro de Akihabara. Um simples D-mail alterou o sexo de uma das personagens, causou uma confusão gigantesca envolvendo outra personagem, o suicídio de outra. E o principal: a imprevisibilidade do tempo. Nem nós, nem os envolvidos nas mensagens e nem mesmo Okabe e Suzuha sabiam o que iria acontecer a princípio. Essas camadas são de extrema importância para um bom desenvolvimento a trama, uma vez que 24 episódios, mesmo parecendo uma quantidade considerável, é pouco tempo para uma história, ainda mais se tratando de animes (os quais os episódios tendem a durar entre 22 e 24 minutos com aproximadamente 19~20 minutos de animação propriamente dita, já que deve haver espaço para a opening e ending). Um dos truques de mestre do roteiro de Steins;Gate é apresentar várias coisas ao mesmo tempo: enquanto há um plot, temos desenvolvimento da trama, dos personagens, explanação sobre temas complexos de maneira surpreendentemente acessível (alô, Thiago!) e uma mensagem sendo passada por trás daquilo.
Ainda no roteiro, é chegada a hora de falar sobre o que, ao menos para mim, separa completamente Steins;Gate dos demais animes que eu assisti, sim, de todos, é chegada a hora de falar sobre os personagens. Ou melhor, sobre o desenvolvimento dos personagens. É muito raro, em animes, haver um real desenvolvimento de personagem, ou seja, um arco completo de desenvolvimento. O que acontece em animes que levam com mais seriedade o ato de escrever uma história, realidade que, infelizmente, não é a da maioria dos animes, é um "pseudodesenvolvimento", o que significa que, ao invés de ser apresentado um arco completo, é apresentado um meio arco ou um arco de "tamanho" correlato. Ou seja, nos é dado certo desenvolvimento do personagem, porém, tal desenvolvimento é limitado em demasia e, em alguns casos, é dotado de uma única utilidade na trama: não deixa o personagem, normalmente o principal, planificado, sem sentimentos, sem evolução. Isso porque tal evolução é o que humaniza o personagem, é o que nos faz sentir algo por ele, sentir suas dores e suas conquistas, pois criamos empatia por ele. E em Steins;Gate temos o que eu considero como sendo um dos melhores arcos de desenvolvimento de personagens do mundo dos animes. Antes de chegar nele, devo falar sobre os personagens em si.
A obra apresenta relativamente poucos personagens, estando esses relacionados de alguma forma com o laboratório, seja porque são um dos membros ou porque é quem aluga o laboratório para Okabe e seu grupo, o que possibilita a criação de uma identidade para cada um deles: os personagens de Steins;Gate, mesmo os secundários, são quase que exclusivos da obra. Mesmo muitos seguindo alguns estereótipos, eles sempre apresentam algo para nos lembrarmos de que eles são humanos e cada um apresenta sua própria personalidade. Isso, em si, já se caracteriza como uma característica importante no desenvolvimento de um anime de qualidade: é sempre bom termos bons personagens ao nosso lado durante a caminhada que nos será contada. Contudo, apenas bons personagens não fazem uma trama. É necessário haver o desenvolvimento deles, uma vez que é importante demonstrar que o que aconteceu na estória afetou eles de algum modo, afinal de contas, se não afetou meros personagens criados por outros humanos, quem dirá um humano. E, novamente, Steins;Gate acerta em cheio. Com momentos pequenos que demonstram o estado emocional dos personagens (falo de olhares, maneirismos criados ou deixados de lado, estado corporal, postura, etc) e de explanações necessárias sobre como personagens está se sentindo ou sobre como ele mudou após certo acontecimento, Steins;Gate desenvolve os seus personagens por meio de outros acontecimentos da trama(lembram do "sempre há mais de uma camada?" então...). Além de compactar a trama, os momentos de twists e plots são de extrema importância em um show porque é ali onde deve haver um impacto maior nas personagens e em nós espectadores, e Steins;Gate não deixa devendo em absolutamente nada quando falamos de plots e twists de uma estória. É inacreditável a capacidade do roteirista de subverter possíveis convenções do gênero em momentos tocantes, emotivos e importantes para a trama. É ao subverter as nossas expectativas após termos contato com tantas obras mal feitas sobre viagem no tempo que o roteiro encontra o elo entre as diversas partes da trama da animação; em outras palavras, é quando achamos que sabemos o que está acontecendo que o roteiro nos pega desprevenidos, é quando achamos que a situação não pode ficar pior que ela, de alguma maneira, consegue realizar esse feito. Inclusive, Steins;Gate apresenta algo único, ao menos eu nunca assisti uma obra com tal característica, ao realizar um dos maiores plots da série com algo que já tínhamos conhecimento. É o já conhecido, e muito bem utilizado nas melhores obras de todos os tempos do cinema, "nossa, como eu pude não perceber isso". Estou falando do momento em que o Okabe percebe que, ao decidir voltar à linha beta, ele também fez uma outra decisão: sacrificar Makise Kurisu. Um dos raros momentos nos animes que me dão arrepios ao lembrar dele. Mesmo já sendo algo que você sabe, afinal de contas ela morre naquela linha temporal no primeiro episódio, o anime faz questão de nunca mais tocar no assunto, de esconder tal fato, a fim de, no momento em que imaginamos estar tudo certo, nos pegar com os rabos entre as pernas. Absolutamente genial. São poucos os pontos que eu sequer cheguei a cogitar um erro quando se trata do roteiro de Steins;Gate.
E não bastando os inacreditáveis plots da série, temos um arco de desenvolvimento duplo que ocorre concomitantemente à evolução da trama e à preparação de outros plots (novamente, nunca é apenas uma camada): o arco do Okabe. Eu poderia resumir ele a algo como "assista por conta própria e experimente o que é a evolução real de um personagem", porém, estaria sendo injusto comigo mesmo, porque o fator que mais me motivou a escrever essa crítica foi esse arco. No início do anime nos é apresentado um estranho e peculiar cientistita japonês nomeado de Okabe Rintarou, o qual possuí um também estranho e peculiar laboratório composto por outos dois membros: Daru, conhecido como "super hackar", e Mayuri, uma gentil e inocente amiga de infânce de Okabe. No laboratório, eles testam equipamentos supostamente tecnologicamente avançados. Embora seja um local mais parecido com um mini-apartamento que foi utilizado por 20 anos como oficina e não com um laboratório, Daru e Okabe são extremamente inteligentes e realmente projetam e criam alguns objetos interessantes (enquanto Mayuri fica ao fundo compensando a aura nerd em demasia dos dois). Ao ser apresentado, Okabe apresenta diversos maneirismos e atitudes únicas do personagem, fatores que já estabelecem uma relação direta com o personagem: tudo aquilo que é novo é intrigante, e, se é intrigante o suficiente, por que não tentar entendê-lo? É apartir dessa ideia de peculiaridade do personagem que nos gradualmente, ao decorrer dos primeiros 11 episódios, aprendemos a gostar do personagem, a reconhecer tais pecualirades não apenas como esquizitices do personagem, mas sim como traços que componhem a sua personalidade animada, radiante e até despojada, mesmo ficando claro que ele não é o melhor cara do mundo quando se trata de relações interpessoais. No entanto, nunca é passada aquela ideia de pessoa isolada, que nega os demais em prol de uma ideia maluca da sua cabeça (a qual é muito presenta em cientistas malucos; geralmente, o personagem é um completo babaca), o que nos conecta de vez com o personagem. No entanto, tudo muda quando os efeitos dos D-mails começam a aparecer, tudo muda quando ele precisa a largar o seu estilo despreocupado com o mundo e começar a tomar decisões que vão alterar a sua vida e a vida de todos aqueles que ele ama. Inclusive as duas que ele mais ama. Mayuri e Kurisu são personagens chaves na história à medida que são elas, ou fatos que acontecem com elas, que guiam as tomadas de decisão de Okabe: ora a morte da Mayuri faz que Okabe decida ir de volta à linha Beta, ora Kurisu o faz entender de outra maneira a situação e o ajuda a superar os desafios dessa árdua caminhada. É ao longo dela, portanto, que temos o desenvolvimento desses dois como um casal e como figuras isoladas com um aumento considerado do "screen time" de ambos juntos, o que demonstra a inteção do roteiro em enfatizar eles como um casal. Mas lembram-se do que eu disse antes? Nunca é apenas uma camada. Não somente temos a intenção do casal pelo simples fato de ambos parecerem, e, quem sabe, serem feitos um para o outro, mas sim porque é desse desenvolvimento que o anime prepara o choque que tanto Okabe como nós iremos sentir: o da decisão entre quem irá viver e quem irá morrer. Vejam como aquelas ideias colocadas anteriormente sobre o porto seguro se conectam diretamente ao que acabara de ser exposta: é Kurisu quem serve de porto seguro, para a trama e para Okabe. É ela quem o ajuda nos momentos mais desesperadores, quem sorri para ele quando o mesmo só consegue ver uma linha que leva a um final desastroso. É, portanto, do desenvolvimento de um simples casal que o roteiro retira um rico arco de um dos personagens. Aliás, cito o romance dele com a Kurisu como o principal pois de fato ele o é, porém, cada personagem em específico da obra serve de desenvolvimento para o Okabe e cada linha temporal que ele volta ou avança apresenta uma direta alteração nele. Percebam como o anime dedicou um episódio inteiro apenas para ele e Ruka poderem ter seus conflitos e suas sub-tramas resolvidas. Nada é deixado para trás em Steins;Gate, bem como nada é de graça. Percebam como outro episódio é dedicado à explanação sobre a realidade da Moeka e sobre como ela foi induzida a realizar o ato que desencadeou toda a jornada de Okabe. As pontas das linhas da animação sempre se encontram devidamente amarradas.
No entanto, para completar o arco do personagem e separar, de uma vez por todas, Steins;Gate dos demais animes, temos a mensagem principal do anime. Percebam que eu sequer toquei nela ao longo da escrita, e isso se dá justamente porque o anime contém diversas mensagens, cada uma em sua devida camada de entretenimento. No entanto, foi após terminar o episódio 24, sentar e pensar um tanto sobre a obra que eu consegui enxergar o que o autor realmente quis passar para quem assiste a animação: muito mais do que uma obra sobre o tempo, sobre pulos, viagens e temáticas temporais, sobre um casal destinado a ficar junto, sobre como os humanos não devem brincar com o tempo achando que não haverão consequências futuras, Steins;Gate é sobre memórias. Não somente memórias, mas como essas memórias podem afetar uma pessoa. Como essas memórias moldam que nós, humanos, somos, como essas memórias são uma dádiva e uma maldição: esquecer elas pode ser doloroso, porém viver com elas pode ser tão doloroso quanto. Todos esses pontos convergem no que, para mim, foi o melhor momento do show: o episódio 22. Foi um dos únicos três momentos dentre os que eu já experimentei assistindo animes em que o pranto foi inevitável. Porque não somente é o ápice perfeito para um casal perfeito, não somente é um momento que todos pensávamos até então, não somente é um turbilhão de emoções: é sobre como esses momentos mágicos e líricos podem ser, em fato, um laço à realidade que vivemos que terá de ser partido de maneira dolorosa e melancólica. A dor de conhecer uma pessoa melhor do que ela mesma e ela sequer saber direito quem você é. A dor de ter que guardar as memórias vividas. A dor de ter que lidar com memórias que, como o nome sugere, são, agora, apenas memórias. Como bem dito por Kurisu, a Teoria da Relatividade é muito romântica. Mas muito triste.
Nada do que foi colocado seria tão efetivo se não tivéssemos uma brilhante trilha sonora de fundo. Em específico, devo citar a música que coloquei no início do texto. Essa é a OST que aparece no episódio 22, e justamente por ser o episódio mais emotivo e doloroso da série, essa OST carrega consigo um peso, uma clara dor, uma clara sensação de algo que ficou no passado. Ou melhor, em outra linha temporal. Algo que você amou e se agarrou com todas as forças, porém o destino inevitavelmente fez você perdê-lo. No geral, Steins;Gate tem muitas das melhores OSTs das animações, sempre cumprindo com o papel de reforçar o mood da situação.
Em suma, Steins;Gate é uma animação única pois consegue fazer muito bem tudo aquilo que se propõe a fazer: apresenta personagens incríveis e únicos, plots e twists de levar você do céu a terra em questão de segundos (os quais vão completamente te hipnotizar e forçá-lo a terminar o show sem pausas), arcos emocionais, principalmente o de Okabe, ímpares e cumpre a difícil missão de apelar o mínimo possível às convenções de obras do tipo. Se pudesse resumir o anime em uma palavra seria a palavra "único", pois diversas das características citadas não se encontram em outros animes ou, caso se encontrem, são minimizadas pela pressa do roteiro em querer demonstrar logo os plots da série. Não posso deixar de falar, antes de terminar o texto, sobre o passo do anime. Mesmo muitos criticando a primeira metade, ela, para mim, é o exemplo perfeito de como uma história deve ser feita. Sem pressa, demonstrando os personagens e dando a eles peso, importância, expressão, unicidade e humanidade. Steins;Gate é uma obra-prima do início ao fim e mesmo que possa apresentar algumas peças que, por se tratar de uma animação relativamente curta (lembremos que outras animações que fizeram algo parecido com Steins;Gate tiveram 40~50 para tal), podem faltar, as peças que se encontram montando o quebra-cabeça compensam completamente as que podem faltar. É como olhar uma Pixel Art a distância: um ou outro bloquinho faltando não retira a primazia do todo.
Minha nota perfeita é muito mais sobre como o anime me impactou do que seu número de acertos e erros, e é por isso que Steins;Gate segue sendo uma das quatro notas 10 na minha lista e meu terceiro anime preferido. Estonteante, imprevisível e apaixonante, certamente é um anime que te fará pensar sobre conceitos complexos, como viagens e saltos temporais, e, ao mesmo tempo, conceitos completamente humanos, como perda, memórias e escolhas.
Se tivesse acesso a uma máquina do tempo, buscaria alguma linha temporal em que o meu eu não se apaixonou completamente por Steins;Gate, porém, devo concordar com Okabe sobre como tudo parece convergir para um inevitável fim.
Escrita ao longo dos dias 14, 15 e 16 de maio de 2020, 16 anos antes da Terceira Grande Guerra.
Um dos poucos momentos na história da animação em que a perfeição foi alcançada. O final do episódio 24, junto com o episódio 22, são os melhores momentos que eu tive ao assistir uma animação japonesa ao longo das centenas assistidas.
submitted by epilef_backwards to u/epilef_backwards [link] [comments]


2020.05.05 19:20 IntraCampos Resultados Completos - Sondagem Intracampos 2020 (Todos os partidos)

Resultados Completos - Sondagem Intracampos 2020 (Todos os partidos)

Resultados obtidos até 22 de Abril de 2020
Realizei a mais profunda análise por mim feita desde a realizada na véspera das eleições legislativas de 2019. Foram mais de 3000 respostas analisadas obtidas no reddit (cerca de metade delas do pré-eleições e a outra metade do pós), de modo a fazer um rescaldo dos resultados, procurando comparar o passado com o presente. Por esse mesmo motivo, devido a essa mudança brusca na metodologia, os resultados também variam bastante. O PS continua a subir, como tem acontecido desde o início do ano. O PSD tem uma quebra imensa, baixando pela primeira vez dos 20%, o Chega sobe e torna-se a terceira força política, o Bloco continua estabilizado na casa dos 9%, a CDU desce mas continua com um valor mais elevado do que o obtido há uns meses. O CDS sobe mantendo-se par a par com os resultados de Outubro, o PAN continua numa espiral descendente como a apresentada desde as europeias para cá. A IL desce desde Abril mas sobe muito em relação ao ano passado. O Livre e a Aliança encostam nos escombros do MRPP e RIR. Esta também é a primeira vez que coloco todos os partidos participantes nas últimas eleições.
Eleições Legislativas a 05/2020:
PS: 37.14% PSD: 19.32% CH: 9.65% BE: 9.05% CDU: 7.29% CDS: 4.27% PAN: 2.95% IL: 2.55% MRPP: 0.94% RIR: 0.65% L: 0.54% A: 0.49% PURP: 0.30% PDR: 0.25% NC: 0.24% MPT: 0.24% PNR: 0.21% JPP: 0.21% PPM: 0.20% PTP: 0.16% MAS: 0.10% OBN: 3.25%
Nos próximos dias irei publicar uma parte 2 desta sondagem, com uma análise regional pormenorizada distrito a distrito, assim como explicar a origem do eleitorado de cada partido. Também já não faltará muito para começar a minha análise autárquica. Irei publicar município a município as minhas previsões no caso das candidaturas serem as mesmas + novos partidos. Relembro que em 2017, acertei nos vencedores de 4 em cada 5 municípios nas dezenas que analisei.
Este é o link para quem quiser participar na sondagem. Não modifiquei as perguntas, coisa que irei fazer na próxima versão, adicionando a hipótese de branco, nulo ou abstenção, entre outras coisas Foquei-me muito fortemente na análise das respostas obtidas, não tendo tido tempo para modificar o questionário.
https://s.surveyplanet.com/4YbUNmxNO
submitted by IntraCampos to portugal [link] [comments]


2020.04.24 18:19 HairlessButtcrack Cronologia do Covid-19

Boas malta fiz uma cronologia dos eventos nos estados unidos para entender como é que eles estiveram e quis comparar com a nossa. Decidi postar depois de ver este e este posts.
As conclusões não são boas, os media (americanos) dizem mal da inação do Trump mas nós tivemos uma sorte do Carvalho. Se em movimento de pessoas fossemos iguais a outros países os números eram muito piores, que se formos a olhar bem proporcionalmente em casos estamos ao nível dos estados unidos (mas com metade das mortes). A nossa primeira ação foi a meio de março.
(A minha cronologia certamente que não está completa e estou aberto a adicionar ou retirar coisas dadas fontes, Grande parte veio da Lusa/CM/JN outras coisas vieram da cronologia que fiz dos EUA)
Cronologia:
31 de dezembro de 2019 Organização Mundial de Saúde (OMS) revela haver mais de duas dezenas de casos de pneumonia de origem desconhecida detetados na cidade chinesa de Wuhan, província de Hubei.
1 de janeiro de 2020 É encerrado o mercado de peixe e carne de Wuhan que se pensa estar na origem da contaminação, dado que os doentes tinham todos ligação ao local.
4 de janeiro São 44 os casos de doentes com uma pneumonia de origem desconhecida reportados pelas autoridades chinesas.
5 de janeiro A OMS relatou uma "pneumonia de causa desconhecida" em Wuhan, China. A OMS desaconselhou restrições de viagem ou comércio na época.
8 de janeiro O CDC (EUA) emitiu o primeiro alerta público sobre o coronavírus.
9 de janeiro A OMS emitiu uma declaração nomeando a doença como um novo coronavírus em Wuhan. A China publicou os dados genéticos do novo coronavírus.
10 de janeiro É registado o primeiro morto, um homem de 61 anos, frequentador do mercado de Wuhan. Oficialmente há 41 pessoas infetadas na China. As autoridades chinesas identificam o agente causador das pneumonias como um tipo novo de coronavírus, que foi isolado em sete doentes.
13 de janeiro Primeiro caso confirmado fora da China, na Tailândia.
14 de janeiro A OMS disse que não encontrou provas de transmissão de pessoa para pessoa. https://twitter.com/WHO/status/1217043229427761152 https://nypost.com/2020/03/20/who-haunted-by-old-tweet-saying-china-found-no-human-transmission-of-coronavirus/
O chefe da Comissão Nacional de Saúde da China, Ma Xiaowei, forneceu confidencialmente uma avaliação “sombria” da situação para as principais autoridades de saúde chinesas. O memorando relacionado afirmava que "a transmissão de humano para humano é possível". Uma investigação da AP News indicou que a denúncia de um caso na Tailândia levou à reunião, bem como o risco de se espalhar com o aumento das viagens durante o Ano Novo Chinês e várias considerações políticas. No entanto, o público chinês não é avisado até 20 de janeiro.
15 de janeiro Primeiro caso reportado no Japão do novo coronavírus, entretanto designado como 2019-nCoV. Primeira declaração das autoridades portuguesas sobre o novo coronavírus. A diretora-geral da Saúde estima, com base nas informações provenientes da China, que o surto estará contido e que uma eventual propagação em massa não é "uma hipótese no momento a ser equacionada".
20 de janeiro Autoridades confirmam que há transmissão entre seres humanos. (CM reporta isto mas não consigo confirmar em mais fonte nenhuma, a OMS só confirmou a 23 de Janeiro)
O secretário geral do Partido Comunista Chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro do Conselho de Estado, Li Keqiang, emitem o primeiro aviso público sobre o coronavírus aos cidadãos chineses. Uma investigação da AP News alegou que, de 14 a 20 de janeiro, as autoridades chinesas tomaram medidas confidenciais para mobilizar sua resposta à pandemia, mas não alertaram o público. Alertar o público seis dias antes podia ter evitado "o colapso do sistema médico de Wuhan", segundo um epidemiologista.
21 de janeiro Primeiro caso nos Estados Unidos, num doente em Washington regressado de Wuhan.
22 de janeiro Macau confirma o primeiro caso da doença, numa altura em que há mais de 440 infetados. Começa o isolamento da cidade de Wuhan ao mundo. Autoridades de saúde chinesas cancelam voos e saída de comboios. Portugal anuncia que acionou os dispositivos de saúde pública e tem três hospitais em alerta: São João (Porto), Curry Cabral e Estefânia (ambos Lisboa).
23 de janeiro OMS reúne comité de emergência na Suíça para avaliar se o surto constitui uma emergência de saúde pública internacional. Decide não a decretar. Autoridades chinesas proíbem entradas e saídas numa segunda cidade, Huanggan, a 70 km de Wuhan. As duas cidades têm em conjunto mais de 18 milhões de habitantes. Alguns aeroportos no mundo, como no Dubai, nos Estados Unidos e nalguns países africanos, começam a tomar precauções para lidar com o fluxo de turistas chineses que tiram férias no Ano Novo Lunar, que coincide com o surto.
24 de janeiro Confirmados em França os primeiros dois casos na Europa, ambos importados.
25 de janeiro Pequim suspende as viagens organizadas na China e ao estrangeiro. Austrália anuncia primeiro caso. Hong Kong declara estado de emergência. Primeiro caso suspeito em Portugal, mas as análises revelam que é negativo.
27 de janeiro O Centro Europeu de Controlo das Doenças pede aos estados-membros da União Europeia que adotem "medidas rigorosas e oportunas" para controlo do novo coronavírus.
28 de janeiro Mecanismo Europeu de Proteção Civil é ativado, a pedido de França, para repatriamento dos franceses em Wuhan. Confirmados dois casos, um na Alemanha e outro no Japão, de doentes que não estiveram na China, tendo sido infetados nos seus países por pessoas provenientes de Wuhan.
29 de janeiro Pelo menos 17 portugueses pedem para sair da China, quase todos na região de Wuhan. Finlândia confirma primeiro caso. Rússia encerra fronteira terrestre com a China. Estudo genético confirma que o novo coronavírus terá sido transmitido aos humanos através de um animal selvagem, ainda desconhecido, que foi infetado por morcegos.
30 de janeiro OMS declara surto como caso de emergência de saúde pública internacional, mas opõe-se a restrições de viagens e trocas comerciais.
31 de janeiro Estados Unidos decidem proibir a entrada de estrangeiros que tenham estado na China nos últimos 14 dias e impor quarentena a viajantes de qualquer nacionalidade provenientes da província de Hubei. Ministério da Saúde de Portugal anuncia que vai disponibilizar instalações onde os portugueses provenientes de Wuhan possam ficar em isolamento voluntário.
1 de fevereiro Austrália proíbe entrada no país a não residentes vindos da China.
2 de fevereiro Os 18 portugueses e as duas brasileiras retirados da cidade de Wuhan chegam a Lisboa e ficam em isolamento voluntário por 14 dias. Filipinas anunciam o primeiro caso mortal no país. É a primeira morte fora da China.
3 de fevereiro OMS anuncia que está a trabalhar com a Google para travar informações falsas sobre o novo coronavírus. O chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, declarou que não havia necessidade de medidas que "interferissem desnecessariamente com viagens e comércio internacionais" para parar o coronavírus. Elogiou a resposta chinesa e referiu que a propagação do vírus é "mínima e lenta".
11 de fevereiro OMS decide dar oficialmente o nome de Covid-19 à infeção provocada pelo novo coronavírus.
13 de fevereiro Autoridades chinesas mudam a forma de contabilizar e assumir casos de infeção. Passam a contar não apenas os casos com confirmação laboratorial, mas também os que têm confirmação clínica apoiada por exames radiológicos.
14 de fevereiro Segunda morte confirmada fora da China, no Japão.
15 de fevereiro Um turista chinês de 80 anos morre em França. É a primeira morte registada na Europa - o primeiro europeu a morrer no seu continente acontece a 26 de fevereiro.
16 de fevereiro Terceira morte confirmada fora da China, num turista chinês que visitava França.
19 de fevereiro Dois primeiros casos revelados no Irão. No mesmo dia é anunciado que os dois morreram devido ao Covid-19.
20 de fevereiro Autoridades chinesas voltam a alterar a metodologia da contagem de infetados, uma decisão que se reflete numa descida acentuada no número de novos casos. Coreia do Sul regista a primeira morte. Suíça adia uma cimeira internacional sobre saúde devido à epidemia, na qual estaria presente o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) e ministros da Saúde.
21 de fevereiro Autoridades chinesas anunciam que surto está "sob controlo". Itália regista primeira vítima mortal, um italiano de 78 anos.
22 de fevereiro Irão fecha escolas, universidades e centros educativos em duas cidades. País confirma mais de 40 casos de infeção e oito mortes.
23 de fevereiro Autoridade japonesas confirmam que um português, Adriano Maranhão, canalizador no navio Diamond Princess, atracado no porto de Yokohama, deu teste positivo ao vírus da infeção Covid-19. Presidente da China, Xi Jiping, admite que o surto é a mais grave emergência de saúde no país desde a fundação do regime comunista, em 1949. Autoridades italianas ordenam suspensão dos festejos do Carnaval de Veneza. Fundo Monetário Internacional (FMI) considera que epidemia coloca em risco a recuperação económica mundial e manifesta disponibilidade para ajudar financeiramente os países mais pobres e vulneráveis.
24 de fevereiro Comissão Europeia anuncia mobilização de 230 milhões de euros para apoiar a luta global contra o Covid-19. Diretor-geral da OMS avisa que o mundo tem de se preparar para uma "eventual pandemia", considerando "muito preocupante" o "aumento repentino" de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão.
25 de fevereiro O português infetado a bordo de um navio de cruzeiros atracado no Japão é enviado para um hospital de referência local. O especialista que liderou a equipa da OMS enviada à China afirma que o mundo "simplesmente não está pronto" para enfrentar a epidemia.
26 de fevereiro Primeiro caso de contágio na América do Sul. É no Brasil, um homem de 61 anos, de São Paulo, regressado do norte de Itália. Vários países confirmam igualmente os primeiros casos: Grécia, Finlândia, Macedónia do Norte, Geórgia e Paquistão. OMS revela que o número de novos casos diários confirmados no resto do mundo ultrapassou pela primeira vez os registados na China.
27 de fevereiro Arábia Saudita suspende temporariamente a entrada de peregrinos que visitam a mesquita do profeta Maomé e os lugares sagrados do Islão em Meca e Medina, bem como turistas de países afetados pelo coronavírus. Segundo português hospitalizado no Japão "por indícios relacionados" com o Covid-19, também tripulante do navio de cruzeiros Diamond Princess. A DGS divulga orientações às empresas, aconselhando-as a definir planos de contingência para casos suspeitos entre os trabalhadores que contemplem zonas de isolamento e regras específicas de higiene, e para portos e viajantes via marítima, que define que qualquer caso suspeito validado deve ser isolado e que apenas um elemento da tripulação deve contactar com o passageiro.
28 de fevereiro Primeiro caso confirmado na África subsariana, na Nigéria, depois de terem sido identificadas infeções no norte do continente, no Egito e na Argélia. Suíça proíbe pelo menos até 15 de março qualquer evento público ou privado que reúna mais de mil pessoas. Comissão Europeia solicita aos Estados-membros da UE que avaliem os impactos económicos do novo coronavírus. OMS aumenta para "muito elevado" o nível de ameaça do novo coronavírus. Responsáveis da Feira Internacional de Turismo de Berlim anunciam a suspensão do evento, considerado o maior do mundo, que se deveria realizar entre 4 e 8 de março. Governo português reforça em 20% o stock de medicamentos em todos os hospitais do país, além de estar a preparar um eventual reforço de recursos humanos.
29 de fevereiro Governo francês anuncia cancelamento de "todas as concentrações com mais de 5.000 pessoas" em espaços fechados e alguns eventos no exterior, como a meia-maratona de Paris. Primeira vítima mortal nos Estados Unidos da América.
1 de março Governo das Astúrias confirma primeiro caso de infeção pelo novo coronavírus na região espanhola, o escritor chileno Luis Sepúlveda, que esteve recentemente na Póvoa de Varzim, em Portugal. Macau com perdas históricas nas receitas do jogo em fevereiro, menos 87,8% em relação a igual período de 2019, num mês em que os casinos fecharam por 15 dias devido ao surto de Covid-19. Adriano Maranhão, primeiro português infetado no Japão, tem alta hospitalar.
2 de março Confirmados dois primeiros casos em Portugal Funcionários públicos em teletrabalho ou isolamento profilático sem perda de salário em Portugal, segundo um despacho do Governo. Governo português divulga um despacho a ordenar aos serviços públicos que elaborarem planos de contingência para o surto de Covid-19.
3 de março Primeira morte em Espanha. Itália confirma 79 mortes. Número de infetados em Portugal sobe para quatro. Mais de três mil mortos e de 91 mil infetados em todos os continentes, segundo dados da OMS. Os países mais afetados são China, Coreia do Sul, Irão e Itália. Hospitais São João e Santo António, no Porto, esgotaram capacidade de resposta a casos suspeitos, novas unidades são ativadas Comissão Nacional de Proteção Civil passa a funcionar em permanência, para fazer face ao novo coronavírus. Governo português dá cinco dias às empresas públicas para elaborarem planos de contingência. Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed), que gere a política monetária do país, corta em 50 pontos base as taxas de juro, devido ao novo coronavírus. O presidente da Fed, Jerome Powell, considera inevitável que os efeitos do surto alastrem às economias mundiais e alterem o seu normal funcionamento "durante algum tempo". FMI e Banco Mundial anunciam que reuniões de abril, que se realizam anualmente em Washington, vão ser feitas à distância, em "formato virtual".
4 de março Itália, o país europeu mais afetado, fecha todas as escolas e universidades. Tinha então 3,089 infetados e 107 mortos. Número de infetados em Portugal sobre para seis. Em todo o mundo, há registo de mais de 3.100 mortos e de 93.100 infetados em 77 países de cinco continentes. Mais de 290 milhões de jovens sem aulas em todo o mundo, segundo a UNESCO. Os trabalhadores em quarentena em Portugal por determinação de autoridade de saúde vão receber integralmente o rendimento nos primeiros 14 dias, diz despacho do Diário da República. O primeiro-ministro português anuncia linha de crédito para apoio de tesouraria a empresas afetadas pelo impacto económico do surto do novo coronavírus, caso seja necessário, no valor inicial de 100 milhões de euros. Banco Mundial anuncia 12.000 milhões de dólares (cerca de 10.786 milhões de euros) para ajudar os países que enfrentam impactos económicos e de saúde. O setor dos serviços contraiu pela primeira vez na China desde que há registos. FMI diz que crescimento mundial será inferior em 2020 ao de 2019 devido ao impacto da epidemia do novo coronavírus, mas que é "difícil prever quanto". Surto diminuiu exportações mundiais em 50 mil milhões de dólares em fevereiro, segundo uma análise publicada pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento. A Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, no Porto, suspende aulas por ter havido contactos com o quinto infetado.
5 de março Portugal com nove casos de infeção. O número de pessoas infetadas em todo o mundo aumenta para 97.510, das quais 3.346 morreram, em 85 países e territórios. A China é o país mais afetado (80.409 casos e 3.012 mortes); seguido pela Coreia do Sul (6.088 casos, 35 mortes), Itália (3.858 casos, 148 mortes) e Irão (3.513 casos, 107 mortes). Bolsa de Turismo de Lisboa adiada para 27 a 31 de maio Perdas das companhias aéreas mundiais podem chegar aos 113 mil milhões de dólares (101,1 mil milhões de euros), estima a associação internacional de transporte aéreo (IATA). TAP reduz 1.000 voos em março e abril devido a quebra nas reservas, suspende investimentos e avança com licenças sem vencimento. O Fundo Monetário Internacional disponibiliza 50 mil milhões de dólares (cerca de 46,7 mil milhões de euros) para combater o surto.
6 de março 13 casos infetados em Portugal. Número de casos no mundo ultrapassa os 100 mil, das quais 3.456 morreram, em 92 países e territórios. A China (sem as regiões administrativas de Macau e Hong Kong), o país onde a epidemia foi declarada no final de dezembro, soma 80.552 casos e 3.042 mortes. Preço do barril de Brent cai mais de 6%, para 47 dólares, devido à quebra da procura
7 de março Número de infeções em Portugal sobe para 21 Visitas a hospitais, lares e estabelecimentos prisionais da região Norte suspensas temporariamente. A ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, recomenda também o adiamento de eventos sociais. Uma escola de Idães, em Felgueiras, o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), a Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto e o edifício do curso de História da Universidade do Minho foram encerrados por serem instituições relacionadas com casos de pessoas infetadas em Portugal. Governo italiano proíbe as entradas e saídas da Lombardia e de outras 11 províncias próximas para limitar a disseminação do coronavírus, que já causou 233 mortes e 5.061 infetados em todo o país.
8 março Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa decide entrar em quarentena de 14 dias após receber em Belém uma turma de Felgueiras. Mais quatro casos em Portugal, número de infetados sobe para 25. Reino Unido anuncia um aumento de 64 novos casos, elevando-o a um total de 273 casos. Este país regista três mortos. EUA tem 564 infetados, os mortos são 21. Itália confirma 1.492 casos adicionais e 133 mortes. Números totais: 7.375 infetados e 366 mortos. O primeiro-ministro Giuseppe Conte estendeu o bloqueio de quarentena para cobrir toda a região da Lombardia e outras 14 províncias do norte do país. Registado o primeiro morto em África, que ocorre no Egito - um cidadão alemão hospitalizado a 1 de março e depois sofreu insuficiência respiratória causada por pneumonia aguda. DGS encerra escolas e suspende atividades de lazer e culturais nos concelhos de Lousada e Felgueiras por causa do acumular de casos.
9 março Alemanha regista as duas primeiras mortes no país. Infetados aumentam para 1.176. Universidades de Lisboa e Coimbra suspendem todas as aulas presenciais por duas semanas. Itália estende quarentena a todo o país, onde número de mortos atinge 463. Primeiros casos em Chipre significam que todos os países da União Europeia estão atingidos pelo novo coronavírus. Números da Espanha aumentam para 1.231 casos, com 30 mortes. Itália: 9.172 infetados e 463 mortos. França revela que os deputados Guillaume Vuilletet e Sylvie Tolmont estão infetados, havendo cinco deputados da Assembleia com Covid-19. Também foi confirmado que o ministro da Cultura, Franck Riester, havia testado positivo. O número de casos aumentou para 1.412.
10 março Câmara de Lisboa encerra museus, teatros municipais e suspende atividades desportivas em recintos fechados. Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) decreta fecho de museus, monumentos e palácios na sua dependência. Governo português suspende voos para todas as regiões de Itália por 14 dias. O primeiro-ministro italiano Conte estende o bloqueio de quarentena a toda a Itália, incluindo restrições de viagens e a proibição de reuniões públicas. Número de infetados sobe para 10.149, número de mortos é já 631. Portugal: 41 infetados
11 março Organização Mundial de Saúde passa a considerar o Covid-19 como uma pandemia, isto é um surto de doença com distribuição geográfica internacional muito alargada e simultânea. Itália anuncia que o jogador da Juventus Daniele Rugani, colega de Ronaldo, testa positivo para Covid-19. Total de infetados em Itália: 12.462. Total de mortos: 827. Portugal: 59 infetados. Turquia anuncia primeiro caso num homem regressado da Europa. Mais de mil médicos disponibilizam-se para reforçar a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde.
12 março Portugal decide encerrar todos os estabelecimentos de ensino até ao final das férias da Páscoa a partir de 16 de março, encerramento de discotecas, restrições em restaurantes, centros comerciais, serviços públicos e proibição de desembarque de passageiros de cruzeiros. Portugal tem agora 78 pessoas infetadas e ainda zero mortes relacionadas com Covid-19. Estado de alerta declarado em todo o país, com proteção civil e forças e serviços de segurança em prontidão. Região Autónoma da Madeira suspende atracagem de navios de cruzeiro e impõe medição de temperatura a passageiros nos aeroportos. Governo dos Açores fecha escolas e museus, interdita cinemas e ginásios. Hospital de São João anuncia que uma das primeiras pessoas internadas em Portugal com Covid-19 se curou. Em apenas um dia, Itália regista 2651 novos infetados, elevando o número de doentes com Covid-19 para 15.113. Nas mesmas 24 horas, morreram 189 italianos. O total de mortos em Itália é agora 1.016.
13 março Europa toma o lugar da China como maior epicentro do coronavírus, diz a OMS, numa altura em que o crescimento de casos abranda no país oriental (China tem agora 80.815 infetados e 3.117 mortos) e acelera em Itália e no resto do continente europeu. Portugal: 112 infetados com o Covid-19. 61 países da África, Ásia, Europa, Oriente Médio, América do Norte e América do Sul anunciaram ou implementaram fecho total ou parcial de escolas e universidades. Trinta e nove países fecharam todas as escolas, afetando 421,4 milhões de crianças e jovens. Nesta altura são 11 os países que proíbem a entrada de voos de Portugal (e da Europa): Arábia Saudita, Argentina, El Salvador, EUA, Guatemala, Itália, Jordânia, Kuwait, Nepal, República Checa e Venezuela. Estados Unidos proíbem entrada de voos de passageiros vindos do espaço Schengen na Europa (26 países, incluindo obviamente Portugal) durante 30 dias. Venezuela, país de 32 milhões de habitantes, confirma os dois primeiros casos de infetados: uma pessoa vinda dos EUA e outra de Espanha. O país de Nicolas Maduro também proibiu voos vindos da Europa durante um mês. Eslováquia, Malta e República Checa fecham fronteiras com os países membros da EU. Governo permite a funcionários públicos ficar em casa em regime de teletrabalho sempre que funções o permitam. Madeira suspende voos provenientes da Dinamarca, França, Alemanha, Suíça e Espanha, países de transmissão ativa.
Presidente dos EUA, Donald Trump, declara estado de emergência nacional.
UEFA suspende todos os jogos sob a sua égide, incluindo Liga dos Campeões e Liga Europa. República Checa anuncia fecho total de fronteiras a partir de 16 de março.
14 março Número mundial de infetados: 150.054. Total de mortos: 5.617 Portugal: 169 infetados. Nas últimas 24 horas houve 57 novos casos. Não há ainda mortes em Portugal. Ministra da Saúde, Marta Temido, anuncia que Portugal entrou "numa fase de crescimento exponencial da epidemia", com 169 casos confirmados.
Açores e Madeira decidem quarentena obrigatória para todas as pessoas que cheguem às regiões autónomas. Governo de Espanha, onde há mais de 5.700 casos, impõe "medidas drásticas" no âmbito do estado de alerta, proíbe cidadãos de andar na rua, exceto para irem trabalhar, comprar comida ou à farmácia.
15 de março Número de casos em Portugal atinge 245, em todo mundo há quase 160.000 pessoas infetadas e já morreram mais de 6.000.
Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, convoca Conselho de Estado por videoconferência para 18 de março, para discutir a "eventual decisão de decretar o estado de emergência" em Portugal.
Sindicato Independente dos Médicos conta mais de 50 clínicos infetados e mais de 150 em quarentena.
Governo proíbe consumo de bebidas alcoólicas na via pública e eventos com mais de cem pessoas, apelando para que deslocações se limitem ao estritamente necessário.
Autoridade Marítima Nacional interdita atividades desportivas ou de lazer que juntem pessoas nas praias do continente, Madeira e Açores.
16 de março Portugal regista a primeira morte devido ao coronavírus. O número de infetados pelo novo coronavírus sobe para 331. Segundo a Direção-Geral da Saúde, há 2.908 casos suspeitos, dos quais 374 aguardam resultado laboratorial.
Governo português anuncia o controlo de fronteiras terrestres com Espanha, passando a existir nove pontos de passagem e exclusivamente destinados para transporte de mercadorias e trabalhadores que tenham de se deslocar por razões profissionais.
Portugal vai também intensificar o controlo sanitário nos aeroportos.
Macau decreta quarentena obrigatória de 14 dias para quem chegar ao território, com exceção da China continental, Taiwan e Hong Kong.
Assembleia da República dispensa funcionários inseridos em grupos de risco e promove o trabalho à distância e rotatividade.
17 de março O número de infetados sobe para 448.
É anunciado que o SNS foi reforçado com mais 1.800 médicos e 900 enfermeiros e que há 30 profissionais de saúde infetados, 18 dos quais médicos. E é também anunciado o nascimento do primeiro bebé filho de uma mulher infetada. O bebé não foi infetado.
O governo regional da Madeira anuncia o primeiro caso na região.
O município de Ovar fica sujeito a "quarentena geográfica" e o Governo declara o estado de calamidade pública para o concelho, que passa a ter entradas e saídas controladas. A circulação de pessoas nas ruas também é controlada.
António Costa anuncia a suspensão das ligações aéreas de fora e para fora da União Europeia.
A CP reduz em 350 as ligações diárias.
18 de março O Presidente da República decreta o estado de emergência por 15 dias, depois de ouvido o Conselho de Estado e de ter obtido o parecer positivo do Governo e da aprovação do decreto pela Assembleia da República.
O estado de emergência vigora até 02 de abril.
António Costa diz que "o país não para" e que o Governo tudo fará para manter a produção e distribuição de bens essenciais.
O estado de emergência contempla o confinamento obrigatório e restrições à circulação na via pública. A desobediência é crime e pode levar à prisão.
No dia em que o Governo revela um conjunto de linhas de crédito para apoio à tesouraria das empresas de 3.000 milhões de euros, é também anunciado que as contribuições das empresas para a Segurança Social são reduzidas a um terço em março, abril e maio, e que as empresas vão ter uma moratória concedida pela banca no pagamento de capital e juros.
O número de infetados sobe para 642 e regista-se uma segunda morte. O Alentejo regista os primeiros dois casos.
19 de março O número de vítimas mortais sobe para três em Portugal, com os casos confirmados a ascenderem a 785. Graça Freitas anuncia que quem apresentar sintomas ligeiros ou moderados da doença é seguido a partir de casa.
O primeiro-ministro anuncia, após a reunião do Conselho de Ministros, as medidas e regras para cumprir o estado de emergência, incluindo o "isolamento obrigatório" para doentes com covid-19 ou que estejam sob vigilância. Os restantes cidadãos devem cumprir "o dever geral de recolhimento domiciliário". A regra é que os estabelecimentos com atendimento público devem encerrar e o teletrabalho é generalizado.
A proposta de lei do Governo com as medidas excecionais é de imediato promulgada pelo Presidente da República.
É também anunciado que o Governo criou um "gabinete de crise" para lidar com a pandemia e que suspendeu o pagamento da Taxa Social Única.
O governo dos Açores determina a suspensão das ligações aéreas da transportadora SATA entre todas as ilhas e a TAP anuncia que vai reduzir a operação até 19 de abril, prevendo cumprir 15 dos cerca de 90 destinos.
20 de março Com o país recolhido começam a destacar-se respostas da sociedade civil e das autarquias para fazer face à pandemia, anunciam-se ações de solidariedade para com os mais necessitados.
O Governo reúne-se em Conselho de Ministros para aprovar um conjunto de medidas de apoio social e económico para a população mais afetada. António Costa anuncia que é adiado para o segundo semestre o pagamento do IVA e do IRC, a prorrogação automática do subsídio de desemprego e do complemento solidário para idosos e do rendimento social de inserção.
É também anunciado que as celebrações religiosas, como funerais, e outros eventos que impliquem concentração de pessoas são proibidos, e que as autoridades de saúde ou de proteção civil podem decretar a requisição civil de bens ou serviços públicos se necessários para o combate à doença.
Portugal tem seis vítimas mortais e 1.020 casos confirmados.
21 de março O número de mortes sobe para 12, o dobro do dia anterior, e os infetados são 1.280.
Marta Temido estima que o pico de casos aconteça em meados de abril, e diz que Portugal vai adotar um novo modelo de tratamento de infetados, que passa pelo aumento do acompanhamento em casa. Graça Freitas estima que a taxa de letalidade é de cerca de 1%, mas avisa que pode mudar.
O Governo anuncia que vai prorrogar os prazos das inspeções automóveis e reduz os leilões nas lotas, criando uma linha de crédito até 20 milhões de euros para o setor da pesca.
Com o país em casa surgem as primeiras notícias de infeções em lares. Na Casa de Saúde da Idanha, em Belas, arredores de Lisboa, é anunciado que 10 utentes estão infetados. Um lar em Vila Nova de Famalicão fica sem funcionários depois de oito terem dado positivo ao covid-19.
O ministro dos Negócios Estrangeiros anuncia que a TAP prevê realizar voos para a Praia e Sal (Cabo Verde), Bissau (Guiné-Bissau) e São Tomé para transportar portugueses para casa.
22 de março O número de mortes associadas à covid-19 sobe para 14 e o de infetados para 1.600 (mais 320).
Num domingo de sol muitas pessoas saem à rua e na Póvoa de Varzim a polícia é chamada devido ao "desrespeito ao estado de emergência" (multidão a passear). Em Coimbra a PSP também é chamada por causa de um aglomerado na Mata Nacional do Choupal.
São detidas sete pessoas no país por crime de desobediência.
Os utentes do lar de Famalicão são transferidos para o Hospital Militar do Porto.
As autoridades iniciam o repatriamento de mais de 1.300 passageiros que chegam a Lisboa num navio de cruzeiro (entre eles estão 27 portugueses).
O Governo assina três despachos, que entram em vigor no dia seguinte, para garantir serviços essenciais de abastecimento de água e energia, recolha de lixo e funcionamento de transportes públicos.
O presidente da Associação Nacional de Freguesias, Jorge Veloso, pede que as pessoas das cidades e os emigrantes evitem ir para o interior.
23 de março Portugal tem 23 mortes e 2.600 infeções.
As queixas sobre a falta de equipamentos para quem mais necessita, como profissionais de saúde ou de segurança, começam a surgir. O Governo anuncia que o Estado vai comprar à China equipamentos de proteção e que espera quatro milhões de máscaras. Cinco polícias e dois técnicos sem funções policiais estão infetados numa esquadra de Vila Nova de Gaia.
O Governo cria uma linha de apoio de emergência de um milhão de euros para artistas e entidades culturais e reforça com 50 milhões de euros os acordos de cooperação com o setor social (responsável pelos lares de idosos ou centros de dia).
Uma residência para idosos na Maia, Porto, coloca em isolamento 46 idosos devido a casos de infeção.
24 de março O número de mortes sobe para 33 e o número de infeções passa a 2.362.
A secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, anuncia a ativação do Plano Nacional de Emergência de Proteção Civil, no mesmo dia em que são já 27 as detenções por violação das regras do estado de emergência.
O Presidente da República admite que o pico da pandemia possa ocorrer depois de 14 de abril. No parlamento, o presidente e líder parlamentar do PSD abandona o plenário depois de uma discussão sobre o número excessivo de deputados na bancada social-democrata.
A Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) lança uma linha de financiamento de 1,5 milhões de euros para investigação e "implementação rápida" de respostas às necessidades do SNS.
Em Vila Real, o presidente da Câmara alerta para a existência de 20 utentes e funcionários de um lar infetados com covid-19.
O Rali de Portugal é adiado.
25 de março Portugal regista mais 10 mortes chegando às 43, quando são contabilizadas 2.995 infeções.
O secretário de Estado da Saúde diz que o sistema tem capacidade de fazer 8.600 testes diários. A questão de se fazer mais testes ou não divide opiniões.
A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil coloca em alerta laranja, o segundo mais grave, os distritos de Lisboa, Porto e Aveiro.
O ministro de Estado e das Finanças diz que o país "nunca esteve tão bem preparado" para enfrentar uma crise como a causada pelo vírus.(lol) O Banco de Portugal anuncia que é facilitada a concessão de crédito pessoal por parte dos bancos.
A Câmara de Melgaço implementa um cerco sanitário na aldeia de Parada do Monte, com 370 habitantes, após confirmação de três casos de infeção.
A ASAE diz que já fiscalizou 41 operadores económicos por causa de especulação de preços.
26 de março Há 3.544 infeções e morreram 60 pessoas.
Há doentes a ser tratados com medicamentos da malária e do ébola, ainda que sem certezas, diz Graça Freitas.
O Banco de Portugal estima que o Produto Interno Bruto caia este ano 3,7% num cenário base e 5,7% num cenário adverso, devido à pandemia. A taxa de desemprego deve subir acima dos 10%. No dia em que Marcelo Rebelo de Sousa admite prolongar o estado de emergência reúne-se o Governo em Conselho de Ministros e aprova a suspensão até setembro do pagamento dos créditos à habitação e de créditos de empresas. Aprova também medidas excecionais de proteção dos postos de trabalho (como redução temporária de horário ou suspensão do contrato) e uma proposta de lei que prevê um regime de mora no pagamento das rendas, habilitando ainda o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana a conceder empréstimos a inquilinos.
Na Maia um lar de idosos infetado é evacuado, em Vila Real aumentam as infeções num lar de idosos, de 20 para 45.
É anunciado que quem aterrar nos Açores tem confinamento obrigatório de 14 dias.
27 de março No lar da Nossa Senhora das Dores, em Vila Real, são agora 88 os infetados, entre os quais 68 utentes.
Em Portugal o número de mortes chega a 76 e o número de infetados sobe para 4.268.
Graça Freitas diz agora que o pico da pandemia pode afinal ser só em maio.
António Costa anuncia a chegada a Portugal de milhares de equipamentos de proteção individual e o Laboratório Militar também anuncia que começou a fazer testes de diagnóstico. Outras entidades como o Instituto de Medicina Molecular também começam a fazer testes.
Mil e quinhentos enfermeiros voluntariam-se para reforçar o apoio à linha telefónica SNS24, segundo a bastonária da Ordem.
As forças de segurança detiveram, desde o início do estado de emergência, 64 pessoas por crime de desobediência, e mandaram encerrar 1.449 estabelecimentos. O balanço é do MAI, segundo o qual também foram impedidas de entrar em Portugal 850 pessoas e uma delas foi detida. A detida, viria a confirmar-se depois, estava infetada com covid-19.
No Algarve, quando se aproxima o período da Páscoa, que costuma encher os hotéis, a associação empresarial do setor diz que a hotelaria está praticamente encerrada.
28 de março O número de mortes ascende à centena e os infetados são 5.170. Marta Temido também diz que o pico da epidemia só deve acontecer no final de maio e que as medidas de contenção social estão a abrandar a curva de infeções.
O Presidente da República pede aos portugueses para que, no período da Páscoa, continuem a respeitar as regras de contenção. A PSP interpela todas as pessoas que atravessam a Ponte 25 de Abril, no sentido norte-sul, e são divulgadas imagens de grandes filas de carros, alguns deles, diz a PSP, em incumprimento do estado de emergência.
É publicada uma retificação do diploma inicial do "lay-off" simplificado, acautelando que nenhum trabalhador de empresas que recorram e esse apoio pode ser despedido.
O Governo anuncia que vai organizar uma operação de transporte aéreo para o regresso temporário a Portugal de professores portugueses que estão em Timor-Leste.
29 de março Portugal contabiliza 119 mortes e 5.962 casos de infeções p. O número de pessoas internadas nos cuidados intensivos é de 138 doentes, um aumento para o dobro em relação ao dia anterior.
As notícias sobre infeções em lares continuam, como em Foz Côa, Guarda, onde o lar tem 47 infetados num universo de 62 idosos, segundo o provedor.
Em Ovar, onde foi declarado o estado de calamidade pública, são cinco as mortes, uma delas uma jovem de 14 anos, diz o vice-presidente da Câmara.
Nos Açores, o concelho de Povoação, na ilha de S. Miguel, é também submetido a um cordão sanitário.
Surgem notícias, através de sindicatos, de que há pelo menos um guarda prisional infetado do estabelecimento de Custoias e de uma auxiliar de ação médica no hospital prisional de Caxias. O Governo diz que vai ponderar criteriosamente a recomendação das Nações Unidas para libertação imediata de alguns presos mais vulneráveis.
30 de março António Costa avisa que Portugal "vai entrar no mês mais crítico desta pandemia", no dia em que os números da DGS indicam que há 140 mortes e 6.408 infetados.
Segundo o primeiro-ministro, com ou sem estado de emergência vai ser preciso prolongar as medidas que têm sido adotadas. E, diz também, que na próxima semana pretende cobrir o país com despistes de covid-19 em lares.
O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, afirma que o número de profissionais de saúde infetados chegou aos 853, e Graça Freitas admite impor-se uma cerca sanitária na região do Porto, motivando fortes críticas.
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, diz que a segurança social recebeu 1.400 pedidos de empresas que pretendem aderir ao "lay-off" simplificado.
(Continua nos comentários)
O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, admite nacionalizações e diz que seria "um erro trágico" reagir com medidas de austeridade à crise provocada pela pandemia, defendendo antes o apoio ao crescimento da economia.
O Governo pede a abertura de "forma condicionada" das juntas de freguesia onde estão instalados postos dos CTT, lembrando que esses serviços garantem a entrega de pensões. A empresa anunciou que ia antecipar a emissão e pagamento de vales em dois dias úteis.
Marcelo Rebelo de Sousa diz que se impõe manter as medidas de contenção que vigoram em Portugal.
A TAP avança para um processo de "lay-off" para 90% dos trabalhadores.
O governo dos Açores prolonga a situação de contingência no arquipélago até 30 de abril.
(Limite de Caracteres continua nos Comentários)
submitted by HairlessButtcrack to portugal [link] [comments]


PRIMEIRA RELAÇÃO APÓS O PARTO DÓI? É PIOR NO PARTO NORMAL ... COMO CONTAR PRO SEU PAI QUE VOCÊ É GAY MINHA RELAÇÃO COM DEUS  VLOGMAS #23 PERDI MINHA VIRGINDADE COM 22 ANOS - COMO FOI? PERDI MINHA VIRGINDADE COM 14 ANOS SEM PLANEJAR  Nicole Maria 18 MELHORES POSIÇÕES PARA FAZER AMOR Best 18 Positions To Make Love Primeira relação sexual depois de ter sido estuprado virgem! +18

1)em relação aos participantes desse debate e as regras ...

  1. PRIMEIRA RELAÇÃO APÓS O PARTO DÓI? É PIOR NO PARTO NORMAL ...
  2. COMO CONTAR PRO SEU PAI QUE VOCÊ É GAY
  3. MINHA RELAÇÃO COM DEUS VLOGMAS #23
  4. PERDI MINHA VIRGINDADE COM 22 ANOS - COMO FOI?
  5. PERDI MINHA VIRGINDADE COM 14 ANOS SEM PLANEJAR Nicole Maria
  6. 18 MELHORES POSIÇÕES PARA FAZER AMOR Best 18 Positions To Make Love
  7. Primeira relação sexual depois de ter sido estuprado virgem! +18

Primeira relação sexual do filho dele foi diferente... Acesse o site: humortadela.bol.uol.com.br para mais animações legais como essa. Curta a página do HT: ... 10 DICAS E TRUQUES INFALÍVEIS PARA A PRIMEIRA VEZ! Tuka Sampaio - Duration: 8:52. ... A TÉCNICA QUE FAZ A MULHER GOZAR RÁPIDO - Duration: 6:22. Diego Mattos 1,588,298 views. 6:22. PRIMEIRA ... Aqui eu conto como foi a experiência da minha primeira relação sexual. Me siga também nas redes sociais https://www.instagram.com/nicolemariablog/ Primeira relação sexual depois de ter sido estuprado virgem! +18 ... GLOBO AO VIVO (HD) 30/01/2019 ... TRISAL - Duration: 22:55. Acidez Feminina - Taty Ferreira 95,879 views. 22:55. ... MEU IRMÃO DE 12 ANOS REAGINDO AOS MEUS VÍDEOS DANÇANDO *no rolê ... 22. Tatiana Frazão 333,942 views. 7:22. TROLLEI MEU IRMÃO FALANDO QUE TO ... MINHA PRIMEIRA VEZ (virgindade) #askthay ... A primeira relação após o parto dói? Geralmente ela vai acontecer após o puerpério, também chamado de quarentena, que é o período de 40 dias após o parto em ... Deus é lindo! E, ao perceber isso a cada dia, decidi compartilhar meus pensamentos sobre isso com vocês. MAIS INFORMAÇÕES Email comercial: [email protected] Vamos conversar ...